Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Procissão dos carroceiros atrai quase 4.000 fiéis

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Travessia de Nossa Senhora da Boa Viagem, em S.Bernardo, celebra 300 anos da evangelização na região


Tauana Marin

04/09/2017 | 07:06


 Entre cantigas, orações e mensagens de fé, 3.800 fiéis – 2.000 em caminhada, 1.800 sob cavalos e charretes, além daqueles que acompanharam de carro, moto e de bicicleta – participaram ontem da procissão de Nossa Senhora de Boa Viagem, tradicional festa católica que acontece todos os anos em São Bernardo. Também conhecida como procissão dos carroceiros, a festividade atrai também romeiros de todo o Estado.

Neste ano, em especial, os fiéis celebraram os 300 anos de evangelização no Grande ABC, já que em 1717 foi iniciada a construção da primeira capela em louvor a São Bernardo, pelos beneditinos. De acordo com o padre Giuseppe Bortolato, que conduziu a procissão, também comemora-se os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida e os 100 anos da aparição de Nossa Senhora de Fátima.

Em trajeto de aproximadamente seis quilômetros, com início às 9h30 e término às 12h30, os fiéis saíram da antiga Borda do Campo, hoje Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na Vila Marlene, e caminharam até a Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem – Basílica Menor, conhecida como Matriz, no Centro da cidade. Durante a procissão, foi feita uma pausa e colocada uma placa no local da sede da Fazenda São Bernardo, na Avenida Senador Vergueiro, espaço atualmente ocupado por um supermercado Carrefour.

O prefeito Orlando Morando (PSDB) também participou e andou a cavalo durante todo o percurso, com a presença dos filhos Orlandinho e Antonella, da mãe, dona Catarina, e da sogra, dona Marta. “Venho há pelo menos 20 anos nessa romaria. Sou católico praticante e adoro andar a cavalo. Por isso, todos os anos eu participo. É motivo de muita emoção para todos os religiosos da cidade.”

Entre os romeiros estava Maria Edvirges da Silva, 67 anos. A doméstica, que participa há dez anos da festividade, tinha brilho especial nos olhos. “Estive muito doente, período em que deixei de andar. E graças à minha fé em Nossa Senhora hoje estou aqui. Estou grata por estar acompanhada de meu neto Igor Henrique, de 11 anos”. Há 35 anos essa data é festejada de perto pelo advogado Adão Fernandes da Luz, 66, frequentador da paróquia e participante ativo da comunidade. “Tive muitas graças alcançadas e fico grato à Nossa Senhora de Boa Viagem.”

Outro devoto que faz questão de participar todos os anos é o historiador da cidade Luiz João Marotti, 85, que há 66 anos participa da caminhada, levando em sua bicicleta a imagem de Nossa Senhora Aparecida. “Essa festa é a alegria da minha vida.”

Há também aqueles que participaram pela primeira vez do evento. É o caso da arquiteta Neide de Almeida, 53. “Sou munícipe e sempre observei de casa, mas neste ano decidi acompanhar. Meu pedido para hoje é pela nossa pátria, pelo mundo e pela tolerância.”

Após a procissão, durante toda a tarde de ontem os fiéis acompanharam shows. O evento se encerrou às 19h, missa celebrada pelo bispo da Diocese de Santo André, Dom Pedro Carlos Cipollini.

REVITALIZAÇÃO
Após participar da procissão, Morando seguiu para a entrega da revitalização da Praça Armando Silva, no Jardim Silvina, também conhecida como Praça dos Trabalhadores. A praça-parque foi um dos projetos que contemplam os festejos de aniversário da cidade, no mês passado.

Morando defende sua política habitacional

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), defendeu a política habitacional de seu governo e também o decreto que limitou a circulação de materiais de construção na região do pós-balsa. As duas medidas foram alvo de protestos no sábado organizados por políticos da oposição à sua administração.<EM>

Na madrugada de sábado, cerca de 900 integrantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) ocuparam um terreno particular próximo à Scania, na Rua João Augusto de Souza, no bairro Assunção, em São Bernardo. A atividade foi apoiada, inclusive, pelos deputados estaduais Luiz Turco (PT), de Santo André, e Carlos Neder (PT), da Capital. 

Morando lembrou do pedido de liminar já concedido a favor da MZM Incorporação, dona do terreno ocupado. “Ontem (sábado) foi expedida uma liminar. Nós vamos exigir do proprietário o cumprimento dessa liminar e, no que depender da Prefeitura, daremos o apoio para que possamos ter um crescimento ordenado da cidade, não desta forma. Não é invadindo áreas que fazemos uma cidade crescer de forma ordenada.”

Sobre o protesto na região do pós-balsa, que reuniu o deputado federal Alex Manente (PPS), o vereador Julinho Fuzari (PPS) e o parlamentar Toninho da Lanchonete (PT), Morando voltou a defender as medidas de fiscalização nos bairros Tatetos, Capivari, Santa Cruz, Taquacetuba e Curucutu, pregando preservação ambiental. 

“O que estamos propondo é um congelamento dentro da área para que não continue tendo um crescimento desrodenado, nocivo ao meio ambiente, já que é área de manacial”; O tucano disse ainda que a construção de casas irregulares põe em risco a Represa Billings, que “salvou São Paulo na última crise hídrica”. “Daqui nos exportamos água para outras bacias, então temos uma profunda responsabilidade e lamento aqueles que não tem o mesmo compromisso com o meio ambiente e com a nossa represa.” <TL>



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Procissão dos carroceiros atrai quase 4.000 fiéis

Travessia de Nossa Senhora da Boa Viagem, em S.Bernardo, celebra 300 anos da evangelização na região

Tauana Marin

04/09/2017 | 07:06


 Entre cantigas, orações e mensagens de fé, 3.800 fiéis – 2.000 em caminhada, 1.800 sob cavalos e charretes, além daqueles que acompanharam de carro, moto e de bicicleta – participaram ontem da procissão de Nossa Senhora de Boa Viagem, tradicional festa católica que acontece todos os anos em São Bernardo. Também conhecida como procissão dos carroceiros, a festividade atrai também romeiros de todo o Estado.

Neste ano, em especial, os fiéis celebraram os 300 anos de evangelização no Grande ABC, já que em 1717 foi iniciada a construção da primeira capela em louvor a São Bernardo, pelos beneditinos. De acordo com o padre Giuseppe Bortolato, que conduziu a procissão, também comemora-se os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida e os 100 anos da aparição de Nossa Senhora de Fátima.

Em trajeto de aproximadamente seis quilômetros, com início às 9h30 e término às 12h30, os fiéis saíram da antiga Borda do Campo, hoje Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na Vila Marlene, e caminharam até a Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem – Basílica Menor, conhecida como Matriz, no Centro da cidade. Durante a procissão, foi feita uma pausa e colocada uma placa no local da sede da Fazenda São Bernardo, na Avenida Senador Vergueiro, espaço atualmente ocupado por um supermercado Carrefour.

O prefeito Orlando Morando (PSDB) também participou e andou a cavalo durante todo o percurso, com a presença dos filhos Orlandinho e Antonella, da mãe, dona Catarina, e da sogra, dona Marta. “Venho há pelo menos 20 anos nessa romaria. Sou católico praticante e adoro andar a cavalo. Por isso, todos os anos eu participo. É motivo de muita emoção para todos os religiosos da cidade.”

Entre os romeiros estava Maria Edvirges da Silva, 67 anos. A doméstica, que participa há dez anos da festividade, tinha brilho especial nos olhos. “Estive muito doente, período em que deixei de andar. E graças à minha fé em Nossa Senhora hoje estou aqui. Estou grata por estar acompanhada de meu neto Igor Henrique, de 11 anos”. Há 35 anos essa data é festejada de perto pelo advogado Adão Fernandes da Luz, 66, frequentador da paróquia e participante ativo da comunidade. “Tive muitas graças alcançadas e fico grato à Nossa Senhora de Boa Viagem.”

Outro devoto que faz questão de participar todos os anos é o historiador da cidade Luiz João Marotti, 85, que há 66 anos participa da caminhada, levando em sua bicicleta a imagem de Nossa Senhora Aparecida. “Essa festa é a alegria da minha vida.”

Há também aqueles que participaram pela primeira vez do evento. É o caso da arquiteta Neide de Almeida, 53. “Sou munícipe e sempre observei de casa, mas neste ano decidi acompanhar. Meu pedido para hoje é pela nossa pátria, pelo mundo e pela tolerância.”

Após a procissão, durante toda a tarde de ontem os fiéis acompanharam shows. O evento se encerrou às 19h, missa celebrada pelo bispo da Diocese de Santo André, Dom Pedro Carlos Cipollini.

REVITALIZAÇÃO
Após participar da procissão, Morando seguiu para a entrega da revitalização da Praça Armando Silva, no Jardim Silvina, também conhecida como Praça dos Trabalhadores. A praça-parque foi um dos projetos que contemplam os festejos de aniversário da cidade, no mês passado.

Morando defende sua política habitacional

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), defendeu a política habitacional de seu governo e também o decreto que limitou a circulação de materiais de construção na região do pós-balsa. As duas medidas foram alvo de protestos no sábado organizados por políticos da oposição à sua administração.<EM>

Na madrugada de sábado, cerca de 900 integrantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) ocuparam um terreno particular próximo à Scania, na Rua João Augusto de Souza, no bairro Assunção, em São Bernardo. A atividade foi apoiada, inclusive, pelos deputados estaduais Luiz Turco (PT), de Santo André, e Carlos Neder (PT), da Capital. 

Morando lembrou do pedido de liminar já concedido a favor da MZM Incorporação, dona do terreno ocupado. “Ontem (sábado) foi expedida uma liminar. Nós vamos exigir do proprietário o cumprimento dessa liminar e, no que depender da Prefeitura, daremos o apoio para que possamos ter um crescimento ordenado da cidade, não desta forma. Não é invadindo áreas que fazemos uma cidade crescer de forma ordenada.”

Sobre o protesto na região do pós-balsa, que reuniu o deputado federal Alex Manente (PPS), o vereador Julinho Fuzari (PPS) e o parlamentar Toninho da Lanchonete (PT), Morando voltou a defender as medidas de fiscalização nos bairros Tatetos, Capivari, Santa Cruz, Taquacetuba e Curucutu, pregando preservação ambiental. 

“O que estamos propondo é um congelamento dentro da área para que não continue tendo um crescimento desrodenado, nocivo ao meio ambiente, já que é área de manacial”; O tucano disse ainda que a construção de casas irregulares põe em risco a Represa Billings, que “salvou São Paulo na última crise hídrica”. “Daqui nos exportamos água para outras bacias, então temos uma profunda responsabilidade e lamento aqueles que não tem o mesmo compromisso com o meio ambiente e com a nossa represa.” <TL>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;