Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Mesmo sem Volpi, PPS tentará o Paço

Orlando Filho/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ex-vice-prefeito, Dedé descarta aliança com Kiko, que aparece líder nas pesquisas em Ribeirão


Caio dos Reis
Especial para o Diário

14/09/2015 | 07:00


Ex-vice-prefeito de Ribeirão Pires, Edinaldo de Menezes, o Dedé (PPS), disse que a legenda se prepara para ter candidato ao Paço no pleito de 2016, mesmo com a decisão do ex-prefeito Clóvis Volpi de migrar para o PSDB e concorrer ao cargo máximo em Mauá.

Líder local do partido afirmou que o PPS não irá fazer aliança com nenhum nome, rechaçando a chance de apoiar o pré-candidato Adler Kiko Teixeira (PSB), que deixou Rio Grande da Serra para tentar ser prefeito em Ribeirão.

“Não tenho acordo com ninguém e o PPS está se preparando para disputar a eleição majoritária em 2016. Não existe ainda um nome definido, mas estamos estudando alguns e não estão descartados ex-vereadores, vereadores e empresários que tenham interesse no nosso projeto. Devemos ter uma definição em breve”, discorreu Dedé, hoje favorito para encabeçar chapa da legenda ano que vem.

Flávio Gomes e José Nelson da Paixão são os dois nomes do PPS na Câmara. Entretanto, os parlamentares não pensam em disputar eleição majoritária no momento. “Meu objetivo hoje é a reeleição. Mas a última pesquisa de atuação na Câmara me animou e se o partido tiver interesse, podemos conversar”, comentou Flávio, se referindo aos números do levantamento de atuação dos vereadores mais atuantes, na qual o popular-socialista dividiu vice-liderança, com 3,5%, com Diva do Posto (PR). “Está longe ainda, não estou com o pensamento nisso. Vamos acatar a decisão da legenda”, desconversou Paixão.

Opositor da gestão Saulo Benevides (PMDB), Dedé descartou os boatos sobre aproximação e apoio a Kiko. O ex-prefeito de Rio Grande da Serra despontou no último levantamento do DGABC Pesquisas sobre intenções de voto. “Números na frente agora não significam nada. Temos de montar um grupo forte para cumprir essa lacuna que existe em Ribeirão Pires”, disse Dedé.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mesmo sem Volpi, PPS tentará o Paço

Ex-vice-prefeito, Dedé descarta aliança com Kiko, que aparece líder nas pesquisas em Ribeirão

Caio dos Reis
Especial para o Diário

14/09/2015 | 07:00


Ex-vice-prefeito de Ribeirão Pires, Edinaldo de Menezes, o Dedé (PPS), disse que a legenda se prepara para ter candidato ao Paço no pleito de 2016, mesmo com a decisão do ex-prefeito Clóvis Volpi de migrar para o PSDB e concorrer ao cargo máximo em Mauá.

Líder local do partido afirmou que o PPS não irá fazer aliança com nenhum nome, rechaçando a chance de apoiar o pré-candidato Adler Kiko Teixeira (PSB), que deixou Rio Grande da Serra para tentar ser prefeito em Ribeirão.

“Não tenho acordo com ninguém e o PPS está se preparando para disputar a eleição majoritária em 2016. Não existe ainda um nome definido, mas estamos estudando alguns e não estão descartados ex-vereadores, vereadores e empresários que tenham interesse no nosso projeto. Devemos ter uma definição em breve”, discorreu Dedé, hoje favorito para encabeçar chapa da legenda ano que vem.

Flávio Gomes e José Nelson da Paixão são os dois nomes do PPS na Câmara. Entretanto, os parlamentares não pensam em disputar eleição majoritária no momento. “Meu objetivo hoje é a reeleição. Mas a última pesquisa de atuação na Câmara me animou e se o partido tiver interesse, podemos conversar”, comentou Flávio, se referindo aos números do levantamento de atuação dos vereadores mais atuantes, na qual o popular-socialista dividiu vice-liderança, com 3,5%, com Diva do Posto (PR). “Está longe ainda, não estou com o pensamento nisso. Vamos acatar a decisão da legenda”, desconversou Paixão.

Opositor da gestão Saulo Benevides (PMDB), Dedé descartou os boatos sobre aproximação e apoio a Kiko. O ex-prefeito de Rio Grande da Serra despontou no último levantamento do DGABC Pesquisas sobre intenções de voto. “Números na frente agora não significam nada. Temos de montar um grupo forte para cumprir essa lacuna que existe em Ribeirão Pires”, disse Dedé.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;