Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 4 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Vettel mantém rotina no GP da Espanha

Da AE Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Carlos Tadeu
Especial para o Diário

23/05/2011 | 07:50


Sebastian Vettel é realmente o atual cara da Fórmula 1. Ontem, no GP da Espanha, o alemão não largou na pole pela primeira vez na temporada - o companheiro de equipe Mark Webber saiu na frente -, viu o espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, assumir a liderança logo após a largada, segurou a pressão do inglês Lewis Hamilton, da McLaren, nas últimas voltas, mas superou as dificuldades e conquistou a quarta vitória em cinco corridas. O piloto da Red Bull lidera com sobras o Mundial com 118 pontos. Lewis Hamilton, que chegou em segundo, é o vice-líder (77). O inglês Jenson Button (McLaren) completou o pódio e está em quarto lugar na classificação geral, com 61 pontos.

Aliás, o terceiro colocado se deu bem com a estratégia adotada para a corrida. Após perder várias posições na largada, Button se recuperou ao fazer um pit stop a menos do que os primeiros colocados.

O australiano Mark Webber terminou em quarto e ocupa o terceiro lugar no Mundial de Pilotos (67 pontos). Correndo em casa, Alonso acabou em quinto, soma 51 pontos e está na quinta colocação.

O alemão Michael Schumacher (Mercedes) chegou em sexto. Seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, completou a prova em sétimo. Outro germânico, Nick Heidfeld (Renault), largou em último, fez corrida de recuperação e chegou em oitavo, seguido do mexicano Sergio Pérez e do japonês Kamui Kobayashi, ambos da Sauber.

O brasileiro Rubens Barrichello (Williams) terminou em 17º. Felipe Massa teve problemas no câmbio de sua Ferrari e abandonou a poucas voltas do fim.

Para confirmar seu domínio, Vettel contou com grande ajuda de sua equipe, que fez excelente trabalho nas trocas de pneus. Alonso, que liderou as primeiras voltas, não teve a mesma sorte. A Ferrari foi mais lenta nos pit stops, o que teve papel decisivo na corrida do espanhol, que tomou uma volta dos primeiros colocados.

 

Líder demonstra alívio por resistir à pressão de adversários

Depois de tantas dificuldades para vencer o GP da Espanha, Sebastian Vettel não conseguiu esconder o alívio.

 "Foi muito difícil e realmente apertado, mas ainda bem que consegui um bom desempenho no primeiro setor nas últimas duas voltas. Isto foi o suficiente para manter a liderança. O Kers funcionava às vezes, por isso não foi fácil. Hamilton dificultou muito a nossa vida. Foi um grande alívio entrar na reta dos boxes e ver a bandeirada", confessou.

Embora tenha ampla vantagem na temporada, Vettel considera que os adversários estão dando bem mais trabalho do que nas provas iniciais. Por isso, a vitória na Espanha teve sabor especial. "Estou muito feliz. É um grande resultado e confirma que estamos muito fortes. Conseguimos vencer mesmo sob pressão", analisou.

 

Massa lamenta problema no câmbio

Novamente, Felipe Massa teve um domingo para ser esquecido. O piloto da Ferrari tinha desempenho discreto no GP da Espanha e, no fim da corrida, teve problemas no câmbio de seu carro e abandonou. O brasileiro não escondeu a frustração e revelou outro problema que o atrapalhou no Circuito da Catalunha.

 "No momento, o maior problema na corrida foi quando andamos com pneus duros. Foi muito difícil guiar o carro quando colocamos este tipo de composto. Basicamente ficamos sem aderência. Acho que perdemos muito quando comparados com outras equipes", afirmou.

Ao contrário de Fernando Alonso, seu companheiro de equipe, que chegou a liderar o GP da Espanha nas voltas iniciais, Massa não conseguiu andar nas primeiras posições. Ele largou em oitavo e, na parte final da prova, enfrentou dificuldades com os pneus duros e chegou a rodar na pista.

O brasileiro relatou o que o forçou a abandonar a corrida. "Tive um problema no câmbio e perdi as marchas. Ainda tentei alguma coisa, mas não era possível continuar. O carro ficou em ponto morto. Nenhuma marcha entrava", lamentou.

No entanto, Massa acredita que no próximo fim de semana, no GP de Mônaco, a história pode ser diferente e espera melhor sorte.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vettel mantém rotina no GP da Espanha

Carlos Tadeu
Especial para o Diário

23/05/2011 | 07:50


Sebastian Vettel é realmente o atual cara da Fórmula 1. Ontem, no GP da Espanha, o alemão não largou na pole pela primeira vez na temporada - o companheiro de equipe Mark Webber saiu na frente -, viu o espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, assumir a liderança logo após a largada, segurou a pressão do inglês Lewis Hamilton, da McLaren, nas últimas voltas, mas superou as dificuldades e conquistou a quarta vitória em cinco corridas. O piloto da Red Bull lidera com sobras o Mundial com 118 pontos. Lewis Hamilton, que chegou em segundo, é o vice-líder (77). O inglês Jenson Button (McLaren) completou o pódio e está em quarto lugar na classificação geral, com 61 pontos.

Aliás, o terceiro colocado se deu bem com a estratégia adotada para a corrida. Após perder várias posições na largada, Button se recuperou ao fazer um pit stop a menos do que os primeiros colocados.

O australiano Mark Webber terminou em quarto e ocupa o terceiro lugar no Mundial de Pilotos (67 pontos). Correndo em casa, Alonso acabou em quinto, soma 51 pontos e está na quinta colocação.

O alemão Michael Schumacher (Mercedes) chegou em sexto. Seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, completou a prova em sétimo. Outro germânico, Nick Heidfeld (Renault), largou em último, fez corrida de recuperação e chegou em oitavo, seguido do mexicano Sergio Pérez e do japonês Kamui Kobayashi, ambos da Sauber.

O brasileiro Rubens Barrichello (Williams) terminou em 17º. Felipe Massa teve problemas no câmbio de sua Ferrari e abandonou a poucas voltas do fim.

Para confirmar seu domínio, Vettel contou com grande ajuda de sua equipe, que fez excelente trabalho nas trocas de pneus. Alonso, que liderou as primeiras voltas, não teve a mesma sorte. A Ferrari foi mais lenta nos pit stops, o que teve papel decisivo na corrida do espanhol, que tomou uma volta dos primeiros colocados.

 

Líder demonstra alívio por resistir à pressão de adversários

Depois de tantas dificuldades para vencer o GP da Espanha, Sebastian Vettel não conseguiu esconder o alívio.

 "Foi muito difícil e realmente apertado, mas ainda bem que consegui um bom desempenho no primeiro setor nas últimas duas voltas. Isto foi o suficiente para manter a liderança. O Kers funcionava às vezes, por isso não foi fácil. Hamilton dificultou muito a nossa vida. Foi um grande alívio entrar na reta dos boxes e ver a bandeirada", confessou.

Embora tenha ampla vantagem na temporada, Vettel considera que os adversários estão dando bem mais trabalho do que nas provas iniciais. Por isso, a vitória na Espanha teve sabor especial. "Estou muito feliz. É um grande resultado e confirma que estamos muito fortes. Conseguimos vencer mesmo sob pressão", analisou.

 

Massa lamenta problema no câmbio

Novamente, Felipe Massa teve um domingo para ser esquecido. O piloto da Ferrari tinha desempenho discreto no GP da Espanha e, no fim da corrida, teve problemas no câmbio de seu carro e abandonou. O brasileiro não escondeu a frustração e revelou outro problema que o atrapalhou no Circuito da Catalunha.

 "No momento, o maior problema na corrida foi quando andamos com pneus duros. Foi muito difícil guiar o carro quando colocamos este tipo de composto. Basicamente ficamos sem aderência. Acho que perdemos muito quando comparados com outras equipes", afirmou.

Ao contrário de Fernando Alonso, seu companheiro de equipe, que chegou a liderar o GP da Espanha nas voltas iniciais, Massa não conseguiu andar nas primeiras posições. Ele largou em oitavo e, na parte final da prova, enfrentou dificuldades com os pneus duros e chegou a rodar na pista.

O brasileiro relatou o que o forçou a abandonar a corrida. "Tive um problema no câmbio e perdi as marchas. Ainda tentei alguma coisa, mas não era possível continuar. O carro ficou em ponto morto. Nenhuma marcha entrava", lamentou.

No entanto, Massa acredita que no próximo fim de semana, no GP de Mônaco, a história pode ser diferente e espera melhor sorte.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;