Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Atriz assume ‘vulcão sensual’


André Bernardo
Da TV Press

21/07/2004 | 21:45


O papel de Tânia Kalil em Senhora do Destino, novela das nove da Globo, foi um dos que mais deram dor de cabeça a Wolf Maya. A princípio, o diretor pensou em convidar a dançarina do grupo É o Tchan, Scheila Carvalho, para interpretar a fogosa passista da fictícia Vila São Miguel, Marinalva. Depois, cogitou o nome de Luma de Oliveira, eterna musa do Carnaval carioca, para assumir a personagem que é descrita na sinopse de Aguinaldo Silva como “um vulcão sensual em erupção constante”. No fim das contas, o diretor apostou mesmo em uma autêntica “prata da casa”: a novata Tânia Kalil, 27 anos, aluna de sua escola de arte dramática em São Paulo. “O perfil sensual da Marinalva não me assusta. Quanto mais diferente de mim a personagem, melhor. Mas, até o momento, o vulcão da Marinalva ainda não entrou em erupção”, brinca.

Marinalva já começou a provocar os primeiros tremores de terra na casa da família de Maria do Carmo, a protagonista de Suzana Vieira. Afinal, a morena é casada com Leandro, interpretado por Leonardo Vieira, mas nutre uma paixão secreta por Viriato, um dos irmãos do marido, vivido por Marcello Antony. Melhor dizendo: nutria. Cansada de admirar em silêncio o retrato do cunhado na estante ou de cheirar suas roupas às escondidas no armário do quarto, ela resolveu se declarar. E roubar-lhe um beijo em plena praça pública. “A Nalva chegou ao limite. O Viriato pode até ser cunhado dela, mas, se não tomar cuidado, ela pega ele na curva!”, diz, bem-humorada.

Por essas e outras, o apelido da personagem é mais do que propício: Nalva Ferrari. A exemplo da marca italiana de automóveis, a passista também é arrojo e ousadia. Mas foi exatamente o intenso conflito amoroso que ela vive o que mais chamou a atenção da atriz em sua personagem. Tão intenso que ela não hesitou em classificá-lo de “rodrigueano”. De fato, o dramaturgo Nelson Rodrigues ficou famoso por abordar temas como incesto, virgindade, infidelidade e traição, de forma trágica e moralista. Formada na Mackenzie, de São Paulo, Tânia recorreu ao curso de Psicologia para tentar entender o comportamento obsessivo de sua personagem. “O Leandro é o homem que toda mulher gostaria de ter: é bom, fiel, dedicado. Mas a Nalva quer mesmo aventura. Ela gosta de correr riscos”.

Compreender os motivos que levaram Nalva a trair o marido com o próprio cunhado, no entanto, não foi o único desafio enfrentado por Tânia Kalil em Senhora do Destino. Paulistana, ela tem de convencer na novela como uma autêntica carioca. E mais: bailarina clássica desde os 7 anos, tem de mostrar desenvoltura com o samba no pé. “Quem samba bem é porque já nasceu sambando. O samba está no sangue das pessoas”, argumenta a atriz, que terá aulas com a Rainha de Bateria da Estação Primeira da Mangueira, Fernanda Oliveira, para adquirir noções básicas de rebolado.

Mas nada disso parece preocupar a atriz em seu primeiro papel de destaque na TV. Antes de despontar em Senhora do Destino, Tânia Kalil havia feito apenas uma professora na série Galera, da Cultura, e uma secretária na novela Sabor da Paixão, da Globo. No momento, porém, ela já é apontada pelo próprio Wolf Maya como a grande aposta da nova novela de Aguinaldo Silva. “Eu confio em tudo o que ele me diz. Mais do que um diretor, ele se tornou um grande amigo. Só vou por onde ele me leva”, garante ela. Corujices à parte, Tânia ainda não teve tempo para avaliar a repercussão de seu personagem nas ruas. Mas mesmo nos estúdios do Projac, no Rio, já deu para perceber que a Nalva Ferrari promete causar alarido. Tudo porque ela foi abordada, logo na semana de estréia da novela, por uma funcionária da Globo, que confessou já ter vivido também um amor proibido. “O fato de estar estreando em uma novela das nove me dá um certo siricutico. Mas é até bom que dê. Eu nunca posso achar que já estou totalmente pronta”.

Ponte aérea – Desde sua estréia em Senhora do Destino, Tânia Kalil aprendeu a se dividir entre Rio e São Paulo. Ela bem que tentou convencer o marido, o cantor Jair Oliveira, a se mudar para o Rio, mas compromissos profissionais o impediram. Além disso, entrega Tânia, Jairzinho não é do tipo que gosta de ir à praia ou pegar sol. “Quando ele vai, fica com pressa de ir embora”, conta. O mesmo não se pode dizer de Tânia. Desde menina, ela sonha em morar no Rio. Só para passear, todo santo dia, no calçadão da praia. Agora que o sonho tornou-se realidade, ela quase não tem tido tempo. “Gosto de ir à praia nem que for para comprar água-de-coco. Em São Paulo, água-de-coco, só se for em caixinha”, brinca.

Tânia Kalil e Jair Oliveira se conheceram há quase três anos em uma casa noturna de São Paulo. Lá, ele costumava tocar guitarra às terças-feira em jam-sessions. Numa delas, recebeu a visita da atriz, que esperou o fim do show para cumprimentá-lo nos camarins. Não demorou muito para o namoro acontecer. Hoje, Jair Oliveira tornou-se um dos maiores incentivadores da mulher. “Além de jogar no meu time, ele sempre torceu por mim”, derrama-se, apaixonada. Filho do cantor Jair Rodrigues e irmão de Luciana Mello, Jairzinho convive com a fama desde os tempos de criança, quando atuava no grupo Balão Mágico. Por isso mesmo, aconselhou a mulher a ter sempre os pés no chão. “A fama é divertida, sim, mas muito ilusória. Aliás, tudo é ilusório nessa profissão”, pondera.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atriz assume ‘vulcão sensual’

André Bernardo
Da TV Press

21/07/2004 | 21:45


O papel de Tânia Kalil em Senhora do Destino, novela das nove da Globo, foi um dos que mais deram dor de cabeça a Wolf Maya. A princípio, o diretor pensou em convidar a dançarina do grupo É o Tchan, Scheila Carvalho, para interpretar a fogosa passista da fictícia Vila São Miguel, Marinalva. Depois, cogitou o nome de Luma de Oliveira, eterna musa do Carnaval carioca, para assumir a personagem que é descrita na sinopse de Aguinaldo Silva como “um vulcão sensual em erupção constante”. No fim das contas, o diretor apostou mesmo em uma autêntica “prata da casa”: a novata Tânia Kalil, 27 anos, aluna de sua escola de arte dramática em São Paulo. “O perfil sensual da Marinalva não me assusta. Quanto mais diferente de mim a personagem, melhor. Mas, até o momento, o vulcão da Marinalva ainda não entrou em erupção”, brinca.

Marinalva já começou a provocar os primeiros tremores de terra na casa da família de Maria do Carmo, a protagonista de Suzana Vieira. Afinal, a morena é casada com Leandro, interpretado por Leonardo Vieira, mas nutre uma paixão secreta por Viriato, um dos irmãos do marido, vivido por Marcello Antony. Melhor dizendo: nutria. Cansada de admirar em silêncio o retrato do cunhado na estante ou de cheirar suas roupas às escondidas no armário do quarto, ela resolveu se declarar. E roubar-lhe um beijo em plena praça pública. “A Nalva chegou ao limite. O Viriato pode até ser cunhado dela, mas, se não tomar cuidado, ela pega ele na curva!”, diz, bem-humorada.

Por essas e outras, o apelido da personagem é mais do que propício: Nalva Ferrari. A exemplo da marca italiana de automóveis, a passista também é arrojo e ousadia. Mas foi exatamente o intenso conflito amoroso que ela vive o que mais chamou a atenção da atriz em sua personagem. Tão intenso que ela não hesitou em classificá-lo de “rodrigueano”. De fato, o dramaturgo Nelson Rodrigues ficou famoso por abordar temas como incesto, virgindade, infidelidade e traição, de forma trágica e moralista. Formada na Mackenzie, de São Paulo, Tânia recorreu ao curso de Psicologia para tentar entender o comportamento obsessivo de sua personagem. “O Leandro é o homem que toda mulher gostaria de ter: é bom, fiel, dedicado. Mas a Nalva quer mesmo aventura. Ela gosta de correr riscos”.

Compreender os motivos que levaram Nalva a trair o marido com o próprio cunhado, no entanto, não foi o único desafio enfrentado por Tânia Kalil em Senhora do Destino. Paulistana, ela tem de convencer na novela como uma autêntica carioca. E mais: bailarina clássica desde os 7 anos, tem de mostrar desenvoltura com o samba no pé. “Quem samba bem é porque já nasceu sambando. O samba está no sangue das pessoas”, argumenta a atriz, que terá aulas com a Rainha de Bateria da Estação Primeira da Mangueira, Fernanda Oliveira, para adquirir noções básicas de rebolado.

Mas nada disso parece preocupar a atriz em seu primeiro papel de destaque na TV. Antes de despontar em Senhora do Destino, Tânia Kalil havia feito apenas uma professora na série Galera, da Cultura, e uma secretária na novela Sabor da Paixão, da Globo. No momento, porém, ela já é apontada pelo próprio Wolf Maya como a grande aposta da nova novela de Aguinaldo Silva. “Eu confio em tudo o que ele me diz. Mais do que um diretor, ele se tornou um grande amigo. Só vou por onde ele me leva”, garante ela. Corujices à parte, Tânia ainda não teve tempo para avaliar a repercussão de seu personagem nas ruas. Mas mesmo nos estúdios do Projac, no Rio, já deu para perceber que a Nalva Ferrari promete causar alarido. Tudo porque ela foi abordada, logo na semana de estréia da novela, por uma funcionária da Globo, que confessou já ter vivido também um amor proibido. “O fato de estar estreando em uma novela das nove me dá um certo siricutico. Mas é até bom que dê. Eu nunca posso achar que já estou totalmente pronta”.

Ponte aérea – Desde sua estréia em Senhora do Destino, Tânia Kalil aprendeu a se dividir entre Rio e São Paulo. Ela bem que tentou convencer o marido, o cantor Jair Oliveira, a se mudar para o Rio, mas compromissos profissionais o impediram. Além disso, entrega Tânia, Jairzinho não é do tipo que gosta de ir à praia ou pegar sol. “Quando ele vai, fica com pressa de ir embora”, conta. O mesmo não se pode dizer de Tânia. Desde menina, ela sonha em morar no Rio. Só para passear, todo santo dia, no calçadão da praia. Agora que o sonho tornou-se realidade, ela quase não tem tido tempo. “Gosto de ir à praia nem que for para comprar água-de-coco. Em São Paulo, água-de-coco, só se for em caixinha”, brinca.

Tânia Kalil e Jair Oliveira se conheceram há quase três anos em uma casa noturna de São Paulo. Lá, ele costumava tocar guitarra às terças-feira em jam-sessions. Numa delas, recebeu a visita da atriz, que esperou o fim do show para cumprimentá-lo nos camarins. Não demorou muito para o namoro acontecer. Hoje, Jair Oliveira tornou-se um dos maiores incentivadores da mulher. “Além de jogar no meu time, ele sempre torceu por mim”, derrama-se, apaixonada. Filho do cantor Jair Rodrigues e irmão de Luciana Mello, Jairzinho convive com a fama desde os tempos de criança, quando atuava no grupo Balão Mágico. Por isso mesmo, aconselhou a mulher a ter sempre os pés no chão. “A fama é divertida, sim, mas muito ilusória. Aliás, tudo é ilusório nessa profissão”, pondera.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;