Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Governo anuncia plano para recuperar popularidade de FHC


Do Diário do Grande ABC

08/01/2000 | 13:00


O presidente Fernando Henrique Cardoso resolveu intensificar açoes administrativas do seu governo para desanuviar o ambiente político de sua base aliada. A determinaçao foi dada na noite de sexta-feira durante uma reuniao que durou seis horas com o seu grupo de articulaçao política, na fazenda do ministro das Comunicaçoes, Pimenta da Veiga, a 50 quilômetros de Brasília. O assunto acabou entrando na reuniao depois que a crise entre o presidente e o senador Antonio Carlos Magalhaes (PFL-BA) acabou saindo na imprensa. A principal preocupaçao do presidente é recuperar sua popularidade. Por isso, irá intensificar as visitas pelo interior do país, divulgando obras do governo.

"Vamos cuidar da açao administrativa e sair da picuinha política", avisou o líder do governo no Senado, José Roberto Arruda (PSDB-DF) na manha de hoje. Num certo momento da reuniao, quando o impasse entre ACM e o presidente foi colocado em discussao, o próprio Arruda fez uma ressalva. "Na prática, ACM tem ajudado o governo", ponderou o senador tucano. Foi com esse entendimento que o grupo resolveu nao "valorizar o que a imprensa está dando destaque e cuidar das coisas que considera importante", segundo relato de Arruda.

A determinaçao de nao responder as críticas de ACM foi mantida no encontro que também contou com a presença dos líderes do governo na Câmara, Arnaldo Madeira (PSDB-SP), e no Congresso, deputado Arthur Virgílio (PSDB-AM), além dos ministros Aloysio Nunes Ferreira (Secretaria Geral), Pedro Parente (Casa Civil), Andréa Matarazzo (Secretaria de Comunicaçao), José Carlos Dias (Justiça) e os assessores Moreira Franco e Vilmar Farias. Na reuniao, o presidente Fernando Henrique fez uma previsao positiva para a economia do país em 2000, lembrando que a inflaçao deverá mesmo ficar em 6%.

Segundo o ministro Pimenta da Veiga, a determinaçao do presidente para esse ano é intensificar suas viagens pelo Brasil. Como exemplo, Pimenta citou a excelente repercussao da passagem de Fernando Henrique em Minas Gerais e no Rio de Janeiro, na semana passada, quando visitou cidades castigadas pelas chuvas. "O presidente vai se deslocar mais pelo país", disse Pimenta. "No episódio, o presidente demonstrou fazer um governo ágil e presente nas coisas importantes do país", reforçou Arruda. "É preciso acabar com aquelas solenidades mornas do Palácio do Planalto e ir para rua", completou o senador.

A idéia é visitar as obras do Brasil em Açao. Segundo um dos participantes do encontro, a decisao de sair de Brasília e percorrer o País é o resultado de avaliaçoes de pesquisas de que a popularidade do presidente Fernando Henrique Cardoso está muito baixa, apesar da sinalizaçao positiva da economia. "É preciso restabelecer os níveis de confiança e popularidade que o presidente já teve", revelou a fonte.

"Nao pode ser um presidente eleito, trancado no Planalto". A avaliaçao, é que no ano passado o presidente ficou preso na conduçao da crise econômica do país. Agora, com sinais positivos de crescimento, o presidente pretende começar de fato o seu segundo mandato. "No primeiro semestre de 1999 o governo viveu o seu momento mais crítico por causa da desvalorizaçao do real", recordou Pimenta da Veiga. "Como o País superou esse problema, nós poderemos agora planejar açoes positivas". Outra determinaçao do presidente foi que o governo nao irá participar das eleiçoes municipais em 2000. Fernando Henrique comunicou que nao irá subir no palanque de nenhum candidato.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Governo anuncia plano para recuperar popularidade de FHC

Do Diário do Grande ABC

08/01/2000 | 13:00


O presidente Fernando Henrique Cardoso resolveu intensificar açoes administrativas do seu governo para desanuviar o ambiente político de sua base aliada. A determinaçao foi dada na noite de sexta-feira durante uma reuniao que durou seis horas com o seu grupo de articulaçao política, na fazenda do ministro das Comunicaçoes, Pimenta da Veiga, a 50 quilômetros de Brasília. O assunto acabou entrando na reuniao depois que a crise entre o presidente e o senador Antonio Carlos Magalhaes (PFL-BA) acabou saindo na imprensa. A principal preocupaçao do presidente é recuperar sua popularidade. Por isso, irá intensificar as visitas pelo interior do país, divulgando obras do governo.

"Vamos cuidar da açao administrativa e sair da picuinha política", avisou o líder do governo no Senado, José Roberto Arruda (PSDB-DF) na manha de hoje. Num certo momento da reuniao, quando o impasse entre ACM e o presidente foi colocado em discussao, o próprio Arruda fez uma ressalva. "Na prática, ACM tem ajudado o governo", ponderou o senador tucano. Foi com esse entendimento que o grupo resolveu nao "valorizar o que a imprensa está dando destaque e cuidar das coisas que considera importante", segundo relato de Arruda.

A determinaçao de nao responder as críticas de ACM foi mantida no encontro que também contou com a presença dos líderes do governo na Câmara, Arnaldo Madeira (PSDB-SP), e no Congresso, deputado Arthur Virgílio (PSDB-AM), além dos ministros Aloysio Nunes Ferreira (Secretaria Geral), Pedro Parente (Casa Civil), Andréa Matarazzo (Secretaria de Comunicaçao), José Carlos Dias (Justiça) e os assessores Moreira Franco e Vilmar Farias. Na reuniao, o presidente Fernando Henrique fez uma previsao positiva para a economia do país em 2000, lembrando que a inflaçao deverá mesmo ficar em 6%.

Segundo o ministro Pimenta da Veiga, a determinaçao do presidente para esse ano é intensificar suas viagens pelo Brasil. Como exemplo, Pimenta citou a excelente repercussao da passagem de Fernando Henrique em Minas Gerais e no Rio de Janeiro, na semana passada, quando visitou cidades castigadas pelas chuvas. "O presidente vai se deslocar mais pelo país", disse Pimenta. "No episódio, o presidente demonstrou fazer um governo ágil e presente nas coisas importantes do país", reforçou Arruda. "É preciso acabar com aquelas solenidades mornas do Palácio do Planalto e ir para rua", completou o senador.

A idéia é visitar as obras do Brasil em Açao. Segundo um dos participantes do encontro, a decisao de sair de Brasília e percorrer o País é o resultado de avaliaçoes de pesquisas de que a popularidade do presidente Fernando Henrique Cardoso está muito baixa, apesar da sinalizaçao positiva da economia. "É preciso restabelecer os níveis de confiança e popularidade que o presidente já teve", revelou a fonte.

"Nao pode ser um presidente eleito, trancado no Planalto". A avaliaçao, é que no ano passado o presidente ficou preso na conduçao da crise econômica do país. Agora, com sinais positivos de crescimento, o presidente pretende começar de fato o seu segundo mandato. "No primeiro semestre de 1999 o governo viveu o seu momento mais crítico por causa da desvalorizaçao do real", recordou Pimenta da Veiga. "Como o País superou esse problema, nós poderemos agora planejar açoes positivas". Outra determinaçao do presidente foi que o governo nao irá participar das eleiçoes municipais em 2000. Fernando Henrique comunicou que nao irá subir no palanque de nenhum candidato.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;