Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 7 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Comissão continua à caça de ex-secretário Ney Vaz


Humberto Domiciano
do Diário do Grande ABC

06/05/2017 | 07:00


A CPI do Lixo de São Bernardo ainda não conseguiu localizar o ex-secretário de Serviços Urbanos da cidade Sebastião Ney Vaz Júnior (PT). A convocação do petista foi aprovada no dia 13 de abril e a oitiva deveria ter acontecido no dia 26.

“Tentamos achá-lo por meio de uma associação da qual ele faz parte e pela Justiça Eleitoral. Até o momento não tivemos sucesso. E se não o encontrarmos, poderemos apelar para medidas coercitivas”, alertou o presidente da CPI, o vereador Ary de Oliveira (PSDB).

Ney Vaz alegou não ter sido notificado e afirmou que “sequer está sabendo da existência da CPI”. O titular da Pasta em São Bernardo na gestão do ex-prefeito Luiz Marinho (PT), e que também foi superintendente do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), estaria trabalhando fora do Estado de São Paulo.

A comissão, por outro lado, deve ouvir na quarta-feira um representante da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) sobre o arquivamento do pedido de licenciamento do terreno que abrigaria a usina de incineração de lixo, prevista no contrato de concessão, de R$ 4,3 bilhões, firmado em 2011 pelo então prefeito Luiz Marinho e o Consórcio SBC Valorização Revita e Lara. O empreendimento seria erguido no bairro Alvarenga, em espaço próximo ao antigo lixão.

Entre as indagações que serão feitas pelo grupo estão as razões apontadas pela autarquia estadual para a rejeição ao projeto e se a obra poderia ser feita em área de manancial.

Os trabalhos da CPI foram prorrogados por mais 60 dias e só devem ser concluídos em setembro. Comenta-se que a convocação do ex-secretário de Serviços Urbanos e candidato derrotado a prefeito em 2016 Tarcisio Secoli (PT) pode ser aprovada na semana que vem.

Nesta semana, a Prefeitura de São Bernardo reverteu decisão judicial datada de 27 de abril que penhorou os ativos financeiros da administração no valor de R$ 35.405.081,27, a pedido da SBC Valorização de Resíduos, responsável pela coleta de lixo na cidade. A empresa reclama que o Executivo possui débito de R$ 55 milhões, o que a inviabiliza honrar o pagamento de 900 funcionários, entre diretos e indiretos. Os vencimentos dos funcionários foram pagos, inviabilizando qualquer possibilidade de greve. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Comissão continua à caça de ex-secretário Ney Vaz

Humberto Domiciano
do Diário do Grande ABC

06/05/2017 | 07:00


A CPI do Lixo de São Bernardo ainda não conseguiu localizar o ex-secretário de Serviços Urbanos da cidade Sebastião Ney Vaz Júnior (PT). A convocação do petista foi aprovada no dia 13 de abril e a oitiva deveria ter acontecido no dia 26.

“Tentamos achá-lo por meio de uma associação da qual ele faz parte e pela Justiça Eleitoral. Até o momento não tivemos sucesso. E se não o encontrarmos, poderemos apelar para medidas coercitivas”, alertou o presidente da CPI, o vereador Ary de Oliveira (PSDB).

Ney Vaz alegou não ter sido notificado e afirmou que “sequer está sabendo da existência da CPI”. O titular da Pasta em São Bernardo na gestão do ex-prefeito Luiz Marinho (PT), e que também foi superintendente do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), estaria trabalhando fora do Estado de São Paulo.

A comissão, por outro lado, deve ouvir na quarta-feira um representante da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) sobre o arquivamento do pedido de licenciamento do terreno que abrigaria a usina de incineração de lixo, prevista no contrato de concessão, de R$ 4,3 bilhões, firmado em 2011 pelo então prefeito Luiz Marinho e o Consórcio SBC Valorização Revita e Lara. O empreendimento seria erguido no bairro Alvarenga, em espaço próximo ao antigo lixão.

Entre as indagações que serão feitas pelo grupo estão as razões apontadas pela autarquia estadual para a rejeição ao projeto e se a obra poderia ser feita em área de manancial.

Os trabalhos da CPI foram prorrogados por mais 60 dias e só devem ser concluídos em setembro. Comenta-se que a convocação do ex-secretário de Serviços Urbanos e candidato derrotado a prefeito em 2016 Tarcisio Secoli (PT) pode ser aprovada na semana que vem.

Nesta semana, a Prefeitura de São Bernardo reverteu decisão judicial datada de 27 de abril que penhorou os ativos financeiros da administração no valor de R$ 35.405.081,27, a pedido da SBC Valorização de Resíduos, responsável pela coleta de lixo na cidade. A empresa reclama que o Executivo possui débito de R$ 55 milhões, o que a inviabiliza honrar o pagamento de 900 funcionários, entre diretos e indiretos. Os vencimentos dos funcionários foram pagos, inviabilizando qualquer possibilidade de greve. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;