Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Mauá quer R$ 2 mi para incrementar o turismo


Miriam Gimenes
Especial para o Diário

06/11/2005 | 08:09


A Prefeitura de Mauá pretende incrementar o turismo na cidade. A intenção é implantar projeto que proporcione melhor infra-estrutura, capaz de atrair empresas que atuem no setor e, logicamente, turistas. Mas isso depende da liberação de recursos por parte do Ministério de Turismo. O primeiro passo será dado no próximo dia 18, quando o diretor de infra-estrutura do Ministério, Esdras Costa do Nascimento, virá ao município para se reunir com o prefeito Diniz Lopes (PL).

“Reivindicamos a vinda de um representante do ministério para que pudesse constatar o nosso potencial em termos de área, que podem ser transformadas em pólos turísticos”, disse o secretário municipal de Esportes e Turismo, Francisco de Carvalho Filho, o Chico do Judô.

Segundo ele, os dois parques existentes na cidade – Guapituba e Santa Luzia – têm cada um 500 mil m² de terreno a ser explorado.

Para que o projeto da Prefeitura possa vingar é preciso que o governo federal libere R$ 2 milhões. Segundo Chico do Judô, a intenção da administração pública é explorar também o turismo de negócios. “Temos de aliar os dois setores para apresentar uma proposta viável ao diretor do ministério.”

O secretário revela, no entanto, que algumas empresas que atuam no setor turístico já chegaram a ser consultadas sobre o projeto do Executivo, mas não demonstraram interesse. “Disseram que só pensarão no assunto quando Mauá oferecer estrutura mínima para o desenvolvimento do setor. Por isso, se não houver o mínimo, não conseguiremos atrair empresas”, finaliza.

Convite – O secretário municipal de Finanças, Adalberto Coppini, afirma que nem mesmo a população da cidade conhece seus atrativos. “Embelezamento, suporte para a coleta de lixo, tratamento de esgoto são fatores que precisam de melhoria para valorizar a nossa cidade. Tem gente que não conhece nem o Parque Guapituba”, completa.

Adalberto Coppini afirmou também que é preciso valorizar Mauá como um todo. “Temos aqui a Petroquímica, a Refinaria Capuava. Quem vem do interior não quer ver apenas o nosso verde, mas sim algo diferente”, acredita.

Além desses pontos, o secretário também cita como atrativos do município, que podem vir a ser possíveis pontos turísticos, a Capela da Santa Casa e o Museu do Barão de Mauá. “Até praça de alimentação nos parques, acho que deveria ter”. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mauá quer R$ 2 mi para incrementar o turismo

Miriam Gimenes
Especial para o Diário

06/11/2005 | 08:09


A Prefeitura de Mauá pretende incrementar o turismo na cidade. A intenção é implantar projeto que proporcione melhor infra-estrutura, capaz de atrair empresas que atuem no setor e, logicamente, turistas. Mas isso depende da liberação de recursos por parte do Ministério de Turismo. O primeiro passo será dado no próximo dia 18, quando o diretor de infra-estrutura do Ministério, Esdras Costa do Nascimento, virá ao município para se reunir com o prefeito Diniz Lopes (PL).

“Reivindicamos a vinda de um representante do ministério para que pudesse constatar o nosso potencial em termos de área, que podem ser transformadas em pólos turísticos”, disse o secretário municipal de Esportes e Turismo, Francisco de Carvalho Filho, o Chico do Judô.

Segundo ele, os dois parques existentes na cidade – Guapituba e Santa Luzia – têm cada um 500 mil m² de terreno a ser explorado.

Para que o projeto da Prefeitura possa vingar é preciso que o governo federal libere R$ 2 milhões. Segundo Chico do Judô, a intenção da administração pública é explorar também o turismo de negócios. “Temos de aliar os dois setores para apresentar uma proposta viável ao diretor do ministério.”

O secretário revela, no entanto, que algumas empresas que atuam no setor turístico já chegaram a ser consultadas sobre o projeto do Executivo, mas não demonstraram interesse. “Disseram que só pensarão no assunto quando Mauá oferecer estrutura mínima para o desenvolvimento do setor. Por isso, se não houver o mínimo, não conseguiremos atrair empresas”, finaliza.

Convite – O secretário municipal de Finanças, Adalberto Coppini, afirma que nem mesmo a população da cidade conhece seus atrativos. “Embelezamento, suporte para a coleta de lixo, tratamento de esgoto são fatores que precisam de melhoria para valorizar a nossa cidade. Tem gente que não conhece nem o Parque Guapituba”, completa.

Adalberto Coppini afirmou também que é preciso valorizar Mauá como um todo. “Temos aqui a Petroquímica, a Refinaria Capuava. Quem vem do interior não quer ver apenas o nosso verde, mas sim algo diferente”, acredita.

Além desses pontos, o secretário também cita como atrativos do município, que podem vir a ser possíveis pontos turísticos, a Capela da Santa Casa e o Museu do Barão de Mauá. “Até praça de alimentação nos parques, acho que deveria ter”. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;