Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 29 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Grande ABC fica com torneiras secas

Manutenção programa da Sabesp deixa bairros de Sto.André,
S.Bernardo e Diadema sem água pelo menos desde segunda


Cadu Proieti
Do Diário do Grande ABC

07/12/2012 | 07:00


Bairros de Santo André, São Bernardo e Diadema estão sem água há cerca de quatro dias. Os moradores de várias regiões das três cidades sofrem com torneiras secas pelo menos desde segunda-feira. Na terça, houve manutenção programada da Sabesp, mas até ontem o problema persistia.

Em alguns locais a situação voltou a se normalizar de maneira tímida, com pouca pressão no recebimento de água. A equipe do Diário não recebeu reclamações sobre essa mesma situação nos demais municípios da região.

Em São Bernardo, a falta de abastecimento foi constatada no Jardim Nazaré, Rudge Ramos, Vila Euclides, Planalto, Jardim do Mar e Cooperativa. O problema foi identificado em Santo André na região dos bairros Jardim Stella e Vila Valparaíso. As reclamações de falta d'água em Diadema foram feitas nas proximidades dos bairros Eldorado, Inamar e Serraria.

"Não dá nem para tomar banho. Temos de procurar outros lugares para fazer isso. Estamos sujando o mínimo possível de louça porque não dá para lavar depois. Está complicado viver desse jeito", reclamou o engenheiro Dirceu Costa, 59 anos, que mora no Jardim Stella, em Santo André. Segundo ele, sua casa está sem água desde domingo e, até ontem, o serviço não havia sido restabelecido.

A situação ocorre justamente em dias de muito calor, pouco antes da chegada do verão, no dia 21. "Os problemas começaram na segunda-feira, por volta das 19h. Depois disso, não vimos mais água em casa. A família teve que se dividir e procurar outros lugares para tomar banho. Usei o banheiro do trabalho e meus filhos foram pedir ajuda na casa de amigos", disse Magda Rizzo Mendes, moradora da Vila Euclides, em São Bernardo, onde o abastecimento voltou a ser realizado aos poucos ontem.

Apesar do serviço estar sendo restabelecido de forma tímida no bairro, a aposentada Maria José Benedette, 65, ainda toma cuidado para não faltar água em casa. "O que está chegando não tem força para subir até a caixa. Se lavar a louça, não vou ter água para fazer comida", disse.

O marido de Maria, José Carlos Benedette, 65, disse que, por precaução, colocou reservatório de 1.000 litros no alto da residência apenas para os banheiros. "É o que salva pelo menos o banho. Fizemos isso porque quando chegamos no bairro, há uns 30 anos, a região tinha problemas de falta d'água."

O principal motivo que justifica a falta de abastecimento em algumas das sete cidades é que a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) realiza série de ações na Estação de Tratamento de Água Rio Grande, que abastece a região. Por conta desses trabalhos, que têm como objetivo melhorar o serviço nos próximos anos no Grande ABC, o fornecimento de água foi interrompido no início da semana em alguns pontos. A estatal informou na noite de ontem que as intervenções já foram finalizadas e o abastecimento está sendo normalizado em toda a região.

A Saned (Companhia de Saneamento de Diadema) também justificou os problemas de falta de água na cidade por conta das obras da Sabesp. O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), responsável pelo serviço no município, foi procurado, mas não respondeu. (Colaborou Rafael Ribeiro)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Grande ABC fica com torneiras secas

Manutenção programa da Sabesp deixa bairros de Sto.André,
S.Bernardo e Diadema sem água pelo menos desde segunda

Cadu Proieti
Do Diário do Grande ABC

07/12/2012 | 07:00


Bairros de Santo André, São Bernardo e Diadema estão sem água há cerca de quatro dias. Os moradores de várias regiões das três cidades sofrem com torneiras secas pelo menos desde segunda-feira. Na terça, houve manutenção programada da Sabesp, mas até ontem o problema persistia.

Em alguns locais a situação voltou a se normalizar de maneira tímida, com pouca pressão no recebimento de água. A equipe do Diário não recebeu reclamações sobre essa mesma situação nos demais municípios da região.

Em São Bernardo, a falta de abastecimento foi constatada no Jardim Nazaré, Rudge Ramos, Vila Euclides, Planalto, Jardim do Mar e Cooperativa. O problema foi identificado em Santo André na região dos bairros Jardim Stella e Vila Valparaíso. As reclamações de falta d'água em Diadema foram feitas nas proximidades dos bairros Eldorado, Inamar e Serraria.

"Não dá nem para tomar banho. Temos de procurar outros lugares para fazer isso. Estamos sujando o mínimo possível de louça porque não dá para lavar depois. Está complicado viver desse jeito", reclamou o engenheiro Dirceu Costa, 59 anos, que mora no Jardim Stella, em Santo André. Segundo ele, sua casa está sem água desde domingo e, até ontem, o serviço não havia sido restabelecido.

A situação ocorre justamente em dias de muito calor, pouco antes da chegada do verão, no dia 21. "Os problemas começaram na segunda-feira, por volta das 19h. Depois disso, não vimos mais água em casa. A família teve que se dividir e procurar outros lugares para tomar banho. Usei o banheiro do trabalho e meus filhos foram pedir ajuda na casa de amigos", disse Magda Rizzo Mendes, moradora da Vila Euclides, em São Bernardo, onde o abastecimento voltou a ser realizado aos poucos ontem.

Apesar do serviço estar sendo restabelecido de forma tímida no bairro, a aposentada Maria José Benedette, 65, ainda toma cuidado para não faltar água em casa. "O que está chegando não tem força para subir até a caixa. Se lavar a louça, não vou ter água para fazer comida", disse.

O marido de Maria, José Carlos Benedette, 65, disse que, por precaução, colocou reservatório de 1.000 litros no alto da residência apenas para os banheiros. "É o que salva pelo menos o banho. Fizemos isso porque quando chegamos no bairro, há uns 30 anos, a região tinha problemas de falta d'água."

O principal motivo que justifica a falta de abastecimento em algumas das sete cidades é que a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) realiza série de ações na Estação de Tratamento de Água Rio Grande, que abastece a região. Por conta desses trabalhos, que têm como objetivo melhorar o serviço nos próximos anos no Grande ABC, o fornecimento de água foi interrompido no início da semana em alguns pontos. A estatal informou na noite de ontem que as intervenções já foram finalizadas e o abastecimento está sendo normalizado em toda a região.

A Saned (Companhia de Saneamento de Diadema) também justificou os problemas de falta de água na cidade por conta das obras da Sabesp. O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), responsável pelo serviço no município, foi procurado, mas não respondeu. (Colaborou Rafael Ribeiro)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;