Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

G-12 de Sto.André
terá candidato

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Bloco independente reedita aliança que levou Donizeti à vitória em 2013 e praticamente mina candidatura petista


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

29/11/2014 | 07:00


O G-12 de Santo André, grupo composto por vereadores eleitos em chapas contrárias ao PT, confirmou que lançará candidato para a eleição à presidência da Câmara e se aproxima de reedição da vitória de 2013. A formatação do bloco representa a maioria de votos na Casa, que é composta por 21 parlamentares.

Há dois anos, o conjunto foi constituído e responsável pela eleição de Donizeti Pereira (PV) para o comando da Casa, no biênio 2013-2014, quando o verde derrotou José Montoro Filho, o Montorinho (PT).

Na noite de quinta-feira, em restaurante da cidade, o grupo se encontrou e firmou que todos votariam em conjunto novamente. minando assim as pretensões do PT, que, após deixar entender que apoiaria partido aliado, começou a trabalhar por candidatura própria – nomes de Eduardo Leite e Montorinho ganharam força nos bastidores.

“Foi encontro positivo, em que todos os presentes deram a sua palavra em torno de candidatura consensual por este grupo, construído de maneira propositiva”, sintetizou Edson Sardano (PTB).
O bloco ainda não decidiu quem representará a ala independente no pleito. PTB, Solidariedade, DEM, PSB e Pros manifestaram o desejo de encabeçar chapa. Evilásio Santana, o Bahia (DEM), Elian Santana (Pros) e Sardano surgiram como favoritos a liderar o projeto interno.
“O mais importante foi ratificar o desejo pela construção política conjunta. O nome chegará ao consenso naturalmente”, adicionou Sardano, confirmando estar preparado para liderar candidatura.

Já para um dos articuladores da ala, Ailton Lima (SD), o mais gratificante do encontro foi constatar o comprometimento de todos. “Muitos dos parlamentares definiram nesses dois anos apoiar o Executivo, o que é uma questão natural. Porém, ressalto que o fundamental foi manter esse compromisso pelo Legislativo”, explicou, referindo-se aos casos de Toninho de Jesus (SD) e da bancada do Pros que, além de Elian, é formada por Marcos Pinchiari.

Ailton considerou que este pleito é bem diferente do anterior, enfatizando que o governo Carlos Grana (PT) evoluiu muito em sua articulação. “Hoje, a postura da administração é bem mais humana e mais próxima do Parlamento. O trabalho do Arlindo (José de Lima, secretário de Governo) deixou a relação bem mais saudável. Ele consegue demonstrar o sentimento de combate”, pontuou.

DESISTÊNCIA À VISTA

A provável derrota na Câmara pode mudar os planos do PT. Ventila-se pelos corredores da Casa que um dos caminhos a serem adotados é a favor da composição.

A legenda estaria conversando com alguns parlamentares sobre a possibilidade de indicação de cargos à mesa diretora em troca da desistência ao pleito.
Essa ideia, que é bem-vista pelo G-12, encontra resistência entre os governistas. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

G-12 de Sto.André
terá candidato

Bloco independente reedita aliança que levou Donizeti à vitória em 2013 e praticamente mina candidatura petista

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

29/11/2014 | 07:00


O G-12 de Santo André, grupo composto por vereadores eleitos em chapas contrárias ao PT, confirmou que lançará candidato para a eleição à presidência da Câmara e se aproxima de reedição da vitória de 2013. A formatação do bloco representa a maioria de votos na Casa, que é composta por 21 parlamentares.

Há dois anos, o conjunto foi constituído e responsável pela eleição de Donizeti Pereira (PV) para o comando da Casa, no biênio 2013-2014, quando o verde derrotou José Montoro Filho, o Montorinho (PT).

Na noite de quinta-feira, em restaurante da cidade, o grupo se encontrou e firmou que todos votariam em conjunto novamente. minando assim as pretensões do PT, que, após deixar entender que apoiaria partido aliado, começou a trabalhar por candidatura própria – nomes de Eduardo Leite e Montorinho ganharam força nos bastidores.

“Foi encontro positivo, em que todos os presentes deram a sua palavra em torno de candidatura consensual por este grupo, construído de maneira propositiva”, sintetizou Edson Sardano (PTB).
O bloco ainda não decidiu quem representará a ala independente no pleito. PTB, Solidariedade, DEM, PSB e Pros manifestaram o desejo de encabeçar chapa. Evilásio Santana, o Bahia (DEM), Elian Santana (Pros) e Sardano surgiram como favoritos a liderar o projeto interno.
“O mais importante foi ratificar o desejo pela construção política conjunta. O nome chegará ao consenso naturalmente”, adicionou Sardano, confirmando estar preparado para liderar candidatura.

Já para um dos articuladores da ala, Ailton Lima (SD), o mais gratificante do encontro foi constatar o comprometimento de todos. “Muitos dos parlamentares definiram nesses dois anos apoiar o Executivo, o que é uma questão natural. Porém, ressalto que o fundamental foi manter esse compromisso pelo Legislativo”, explicou, referindo-se aos casos de Toninho de Jesus (SD) e da bancada do Pros que, além de Elian, é formada por Marcos Pinchiari.

Ailton considerou que este pleito é bem diferente do anterior, enfatizando que o governo Carlos Grana (PT) evoluiu muito em sua articulação. “Hoje, a postura da administração é bem mais humana e mais próxima do Parlamento. O trabalho do Arlindo (José de Lima, secretário de Governo) deixou a relação bem mais saudável. Ele consegue demonstrar o sentimento de combate”, pontuou.

DESISTÊNCIA À VISTA

A provável derrota na Câmara pode mudar os planos do PT. Ventila-se pelos corredores da Casa que um dos caminhos a serem adotados é a favor da composição.

A legenda estaria conversando com alguns parlamentares sobre a possibilidade de indicação de cargos à mesa diretora em troca da desistência ao pleito.
Essa ideia, que é bem-vista pelo G-12, encontra resistência entre os governistas. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;