Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Sto.André troca rede antiga de água


Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

30/05/2005 | 07:37


A tubulação de água do Jardim Progresso, em Santo André, que é de ferro fundido, começa a ser trocada na quarta-feira por tubos de PVC (material plástico). Serão beneficiados 5 mil moradores de 23 ruas. Outros quatro bairros da cidade serão atendidos a partir do próximo ano. O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), responsável pela obra, explica que a medida tem caráter preventivo, pois os tubos de ferro fundido possuem, em média, 30 anos.

A troca de 10 km de tubulação vai durar nove meses e custará R$ 1,1 milhão. Segundo informações do Semasa, o fornecimento de água não será interrompido durante a substituição, somente no término dos trabalhos, quando será preciso fazer a interligação da rede. Estão previstos curtos períodos de corte d'água. Os moradores serão informados com antecedência, segundo a autarquia.

Santo André possui 1,7 mil km de rede d'água com ferro fundido. Segundo o Semasa, 80 km necessitam ser trocados, incluindo o Jardim Progresso. Neste ano, está prevista apenas a substituição da rede do Jardim Progresso. A empresa já projetou a substituição de mais 50 km de tubulação de água a partir do próximo ano, incluindo os bairros Vila Vitória, Vila Lucinda, Vila Metalúrgica e Jardim Estela. Os prazos para o início das obras não foram especificados.

Segundo o Semasa, a troca ocasionará melhoria na qualidade e vazão da água. Com o tempo, tubulações com ferro fundido tendem a ter incrustações, pois o ferro pode se desgastar e provocar a diminuição do espaço interno do tubo, o que dificulta a passagem da água e prejudica a vazão.

Também, em determinadas situações, o desgaste pode provocar o aparecimento de orifícios, causando vazamentos, perda de água e aumentando os serviços de manutenção. O aspecto da água também pode ficar alterado por conta da presença de ferro. A manutenção dos tubos de PVC, por sua vez, é facilitada, pois é um material mais resistente, maleável, mais fácil de trabalhar e de menor custo que o ferro fundido, segundo o Semasa.

Os moradores do Jardim Progresso ouvidos pelo Diário não sabiam das obras de substituição que vão começar nesta semana, mas aprovaram a medida. "Algumas vezes, quando fui lavar roupa, percebi que a água estava um pouco amarelada. Apesar de não ser nada grave, é melhor trocar agora que dar dor de cabeça depois", afirmou a dona de casa Maria Pedroso, 63 anos, que mora há 45 anos na rua Botucatu.

"Eu nem sabia que os tubos eram de ferro. Se for para melhorar, apóio a troca. Só espero que as obras não causem muitos transtornos, que seja uma intervenção organizada", disse o comerciante Valdir Faustino, 46 anos, seis deles vividos na rua Juquiá.

"Nunca percebi nada estranho na água. Às vezes, ela está com muito cloro, mas é só abrir a torneira por alguns minutos que a água volta ao normal. Espero que essa obra não cause aumento na conta", especula a dona de casa Alzira Maria de Oliveira, 42 anos, que reside com o marido e uma filha na rua Rangel Pestana.

A troca de tubulação ocorrerá nas ruas Bragança, Boituva, Bauru, Caruaru, Londrina, Penalva, Jardinópolis, Bastos, Indaiatuba, Juquiá, Carioca, Cambuquira, Cambará, Botafogo, Borborema, Capelinha, Brotas, Barra Mansa, Barbarema, Blumenau, Botucatu, Ituiutaba e Rangel Pestana.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;