Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Grana entra com projeto de
Bilhete Único na Câmara

A iniciativa faz parte da plataforma do programa de governo
petista, prometida para ser viabilizada em 90 dias de gestão


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

26/03/2013 | 07:00


O prefeito de Santo André, Carlos Grana (PT), protocola hoje na Câmara projeto de lei do Executivo para a implantação do Bilhete Único Municipal. Com a propositura no Legislativo, o petista evita pressões externas ao dar o passo necessário da administração para consolidar a promessa de integração tarifária no transporte público. A iniciativa faz parte de uma das principais plataformas do programa de governo petista, prometida para ser viabilizada em 90 dias de gestão.

O petista entregará o texto nas mãos do presidente da Casa, Donizeti Pereira (PV), dando luz às pretensões do governo e explicando detalhes do projeto. A implementação do sistema, porém, ficará pronta em maio. O período ficou definido após reunião, ocorrida em 20 de fevereiro, entre Grana e empresários das concessionárias de ônibus que atuam na cidade. Na ocasião, os donos das empresas pediram três meses ao chefe do Executivo para adequarem o sistema de bilhetagem atual.

O posicionamento de Grana prevê tirar a responsabilidade do Paço em relação ao tempo de mudança no sistema. Com a proximidade dos três meses de mandato, a bancada oposicionista tem usado o momento para cobrar a efetivação da proposta - inclusive, nas últimas sessões legislativas existiam placas no plenário em que relatavam contagem regressiva para o encerramento do prazo estipulado durante a campanha eleitoral do ano passado.

Grana frisou que o pedido para extensão do limite não provém da Prefeitura. Por isso, oficializará a parte que cabe ao governo com o protocolo do projeto. "Foram os empresários que solicitaram prazo maior", disse o prefeito. São duas companhias que operam o sistema: a Expresso Guarará, que atua no tronco alimentador de Vila Luzita, e o Consórcio União Santo André, formado por série de empresas e que trabalha com as demais linhas que cortam os bairros.

O modelo de Bilhete Único escolhido para o município é similar ao utilizado em São Bernardo, onde os munícipes podem embarcar em até três ônibus dentro do período de 90 minutos, pagando apenas uma passagem. Cada linha terá um período específico para valer a integração, mas os usuários poderão fazer quantos embarques forem necessários nesse tempo. Grana, por sua vez, já adiantou que a alteração no sistema não irá acarretar em aumento na tarifa. Em dezembro, o município subiu a passagem de R$ 2,90 para R$ 3,30.

Além da integração tarifária, as empresas planejam colocar em prática outras melhorias, como GPS nos carros, informações via SMS nos celulares e painéis de LED nos pontos.

 

VISITANA CASA

Esta é a segunda visita de Grana à Câmara em menos de dois meses. O último encontro oficial do prefeito com os vereadores havia sido na posse dos peemedebistas Sargento Juliano e José de Araújo. Agora, a nova aparição do petista prevê aproximar a relação. Atualmente, ele continua com minoria na Casa, com 12 dos 21 integrantes na oposição. O grupo, contudo, tende a perder força nas próximas semanas, pois já tem vereadores da ala cogitando compor a base de sustentação.

 

Petista fará reunião amanhã com direção da Prodesp

 

A direção da Prodesp (Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo), empresa que administra o Poupatempo de serviços, recebe amanhã o prefeito de Santo André, Carlos Grana (PT), para tratar da consolidação do projeto de implantação do equipamento estadual na cidade. A reunião estava prevista inicialmente para ontem, porém, incompatibilidade de agendas adiou o encontro, que deve sinalizar a definição do terreno para acolher a unidade.

Grana pretende entregar nas mãos de Admir Ferro (PSDB), diretor da Prodesp, laudo da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) que dá aval para construção do Poupatempo na antiga área da Rhodia, no bairro Bangu. O documento relata que a empresa realizou remoção do solo contaminado naquele espaço, o que, na assinatura de técnico da companhia, liberaria para intervenções no local.

Esse parecer favorável seria o degrau final do Paço antes da concessão do terreno para o governo do Estado.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;