Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 24 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

SOS Bairros - Cano de água estoura e rua cede em Mauá


Célia Maria Pernica
Do Diário do Grande ABC

18/02/2008 | 07:06


Um cano da rede de água da Estrada do Regalado, no Jardim Itaussu, em Mauá, estourou anteontem e abriu vários buracos na via. O caos começou por volta das 9h. Um ônibus e um caminhão tentaram passar pela rua e, com o peso dos veículos, a rua cedeu e ambos ficaram presos.

Um trator da Prefeitura retirou os dois por volta das 12h. Quando o caminhão da Sama (Saneamento Básico de Mauá) chegou para fazer o reparo, por volta das 14h, também caiu e ficou preso em um dos buracos.

Funcionários da Sama entraram nos buracos para verificar a origem do vazamento. Uma caixa de concreto da Telefônica havia cedido e caído sobre a tubulação de água, que estourou e causou o vazamento.

A equipe da Sama restabeleceu a rede de água por volta das 17h do mesmo dia e aterrou parte da via. Ontem de manhã, a equipe voltou ao local e aterrou outro trecho da rua. Ontem à tarde, ainda havia cerca de oito metros da via em desnível.

“Vieram com três caminhões cheios e foram embora com os veículos vazios. Mas falta um pedaço”, disse a costureira Genecilda Henrique da Silva, 29 anos.

Os bloquetes foram amontoados perto da sarjeta. “Meu marido parou o carro no vizinho”, diz Genecilda, que teve a frente da casa obstruída pelos bloquetes.

SAMA

O gerente de Manutenção e Abastecimento da Sama, Luiz Gonsaga de Carvalho Leite, disse que os cabos da Telefônica não foram danificados. “O problema com a caixa (da Telefônica) pode ter sido um desgaste natural do tempo”, afirmou Leite.

VILA SÁ/SANTO ANDRÉ

Uma abertura em um muro de pilares da Transpetro, que está servindo como local para descarte de entulho e acesso de marginais, preocupa os vizinhos da empresa.

Segundo os moradores, muitas pessoas aproveitam da passagem improvisada para jogar lixo e outros materias no terreno abandonado.

O vendedor Osvaldo Mendes, morador do bairro há 40 anos, diz que o problema começou há cerca de cinco meses. “Se o muro tivesse fechado ninguém jogaria entulho. Fechando o muro, o problema acaba”, afirma Mendes.

De acordo com ele, usuários de drogas também aproveitam a abertura da área para se abrigar.

A Transpetro, subsidiaria da Petrobras e proprietária da área na Rua Taubaté, informa que tomou as devidas providências.

Em nota, a empresa esclarece que “os trabalhos de remoção do lixo do local, bem como de reparo do muro danificado” foram iniciados.

VILA VITÓRIA/SÃO BERNARDO

O aumento da população de ratos está apavorando as famílias que moram na Rua Xingu. Segundo eles, um mal conservado terreno da AES Eletropaulo está atraindo os roedores.

A dona de casa Maria de Fátima Góes de Barros, quase duas décadas morando no bairro, afirma que o problema é antigo. “Já chegamos a pagar uma pessoa para fazer a limpeza”, diz a moradora, que cotizava com os vizinhos para contratar um profissional.

Para os moradores, o mato alto e a grande quantidade de mamoneiras, combinado ao lixo e entulho que são jogados no terreno, contribuíram para o aparecimento dos bichos. “Os ratos estão subindo nas paredes e entrando nas casas das pessoas”, reclama.

De acordo com Maria de Fátima, a empresa foi avisada. “Falamos com a Eletropaulo e eles não resolveram.”

Procurada pelo Diário, a AES Eletropaulo afirma que iniciará em breve a limpeza do terreno. Segundo a concessionária, ainda nesta semana, uma equipe fará a roçada e a limpeza da área. A previsão é que o serviço termine em 20 dias.

PARQUE SÃO VICENTE/MAUÁ
Um ano após reclamação, a Sama (Saneamento Básico de Mauá) resolveu a falta de água no Parque São Vicente, de Mauá. A reclamação dos moradores do bairro havia sido feita no Diário em fevereiro de 2007.

Segundo Samuel Multini, autor da queixa, ontem a Sama trocou os canos e agora a situação está normalizada. “Antes da reportagem, foram dez anos de reclamações não-ouvidas”, diz Multini.

Os moradores do local tinham de armazenar água de madrugada para usar durante o dia. Multini está satisfeito com o desfecho da história. “Concluíram o trabalho e garantiram o asfalto para breve”, diz.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;