Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 19 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Até que enfim!

O torcedor brasileiro respira aliviado. Fazia tempo que a Seleção Brasileira não vencia dois jogos seguidos nas eliminatórias sul-americanas.


Especial para o Diário

12/06/2009 | 00:00


O torcedor brasileiro respira aliviado. Fazia tempo que a Seleção Brasileira não vencia dois jogos seguidos nas eliminatórias sul-americanas. Venceu e convenceu.

Os tradicionais pessimistas andaram dizendo que, se não fosse o frango do goleiro uruguaio, talvez não viesse a bela goleada de Montevidéu. "Se...".

Disseram também que, se o Paraguai não tivesse jogado com extrema cautela, talvez a vitória não viesse em Recife. "Se...".

A seleção está com 27 pontos, em primeiro lugar na tabela e praticamente classificada para a Copa do Mundo da África, no ano que vem. E como eu digo sempre, o "se"não calça chuteiras e não entra em campo.

Ninguém aqui quer pregar ufanismo. Mas também não podemos ser injustos e chegar perto da chatice. Os números e a campanha brasileira são indesmentíveis.

DUNGA ESTÁ FORTE COMO UMA ROCHA

Várias vezes nos últimos tempos pediram a cabeça de Dunga. Muitos dos seus críticos, até acertadamente, afirmam que ele não tinha experiência para dirigir a Seleção Brasileira.

É a segunda vez nos tempos modernos que a CBF entrega o comando da seleção para um novato. Depois do vexame na Copa da Itália, em 1990, a era Lazzaroni foi substituída por Paulo Roberto Falcão.

Mesmo desfilando elegância e comprovado conhecimento, o ex-craque do Internacional, Roma e São Paulo ficou pouco tempo no comando da seleção. A inexperiência pesou.

Dunga, no entanto, fez até agora 40 jogos comandando o escrete nacional. Tem 26 vitórias, dez empates e apenas quatro derrotas. Seu aproveitamento é de 73,3%.

A última Copa América foi conquistada com méritos e o treinador continua calando a boca dos seus críticos.

Mesmo reconhecendo méritos na campanha e no retrospecto indesmentível, acho que falta um padrão tático mais arrojado para o time do técnico Dunga. Mas esse é o meu gosto pessoal. E eu não sou o comandante da seleção.

ATAQUE DOS SONHOS

O que não faz a concorrência!? Depois de ganhar tudo na temporada 2008/2009, o Barcelona motivou o tradicional rival Real Madrid a abrir o cofre e investir alto.

Kaká e Cristiano Ronaldo são dois craques da primeira grandeza do futebol internacional. Vão dar um colorido especial nos jogos do Real e o Santiago Bernabéu será palco para o desfile de um ataque dos sonhos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Até que enfim!

O torcedor brasileiro respira aliviado. Fazia tempo que a Seleção Brasileira não vencia dois jogos seguidos nas eliminatórias sul-americanas.

Especial para o Diário

12/06/2009 | 00:00


O torcedor brasileiro respira aliviado. Fazia tempo que a Seleção Brasileira não vencia dois jogos seguidos nas eliminatórias sul-americanas. Venceu e convenceu.

Os tradicionais pessimistas andaram dizendo que, se não fosse o frango do goleiro uruguaio, talvez não viesse a bela goleada de Montevidéu. "Se...".

Disseram também que, se o Paraguai não tivesse jogado com extrema cautela, talvez a vitória não viesse em Recife. "Se...".

A seleção está com 27 pontos, em primeiro lugar na tabela e praticamente classificada para a Copa do Mundo da África, no ano que vem. E como eu digo sempre, o "se"não calça chuteiras e não entra em campo.

Ninguém aqui quer pregar ufanismo. Mas também não podemos ser injustos e chegar perto da chatice. Os números e a campanha brasileira são indesmentíveis.

DUNGA ESTÁ FORTE COMO UMA ROCHA

Várias vezes nos últimos tempos pediram a cabeça de Dunga. Muitos dos seus críticos, até acertadamente, afirmam que ele não tinha experiência para dirigir a Seleção Brasileira.

É a segunda vez nos tempos modernos que a CBF entrega o comando da seleção para um novato. Depois do vexame na Copa da Itália, em 1990, a era Lazzaroni foi substituída por Paulo Roberto Falcão.

Mesmo desfilando elegância e comprovado conhecimento, o ex-craque do Internacional, Roma e São Paulo ficou pouco tempo no comando da seleção. A inexperiência pesou.

Dunga, no entanto, fez até agora 40 jogos comandando o escrete nacional. Tem 26 vitórias, dez empates e apenas quatro derrotas. Seu aproveitamento é de 73,3%.

A última Copa América foi conquistada com méritos e o treinador continua calando a boca dos seus críticos.

Mesmo reconhecendo méritos na campanha e no retrospecto indesmentível, acho que falta um padrão tático mais arrojado para o time do técnico Dunga. Mas esse é o meu gosto pessoal. E eu não sou o comandante da seleção.

ATAQUE DOS SONHOS

O que não faz a concorrência!? Depois de ganhar tudo na temporada 2008/2009, o Barcelona motivou o tradicional rival Real Madrid a abrir o cofre e investir alto.

Kaká e Cristiano Ronaldo são dois craques da primeira grandeza do futebol internacional. Vão dar um colorido especial nos jogos do Real e o Santiago Bernabéu será palco para o desfile de um ataque dos sonhos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;