Publicidade Titulo Publieditorial
Sete apelidos de cidades americanas e
suas histórias interessantes de origem

Descubra as histórias interessantes por trás de sete dos principais apelidos de cidades dos Estados Unidos.

Por Divulgação
25/06/2023 | 12:16
Compartilhar notícia
Divulgação


 Quando uma pessoa recebe um apelido, é sempre baseado em seus traços marcantes de caráter ou aparência, hábitos incomuns ou peculiaridades de comportamento. Referir-se a uma cidade pelo apelido faz com que ela pareça familiar, mesmo que você ainda não a tenha visitado.

Essa é uma característica marcante das grandes cidades americanas – muito apelidos se infiltraram firmemente no léxico nacional e ultrapassaram fronteiras, sendo reconhecidos facilmente em várias partes do mundo.

Las Vegas é a famosa Sin City (Cidade do Pecado). Chicago é conhecida como Windy City (Cidade dos Ventos). Nova York é a Big Apple (A Grande Maça). Você provavelmente já ouviu todas essas expressões, mas pode não saber como elas se originaram. Embora alguns apelidos pareçam merecidos, a história de outros pode ser uma surpresa.

Descubra as histórias interessantes por trás de sete dos principais apelidos de cidades dos Estados Unidos.

1. Nova York – “The Big Apple”

Embora o estado de Nova York seja produtor dessa fruta na América, o apelido “The Big Apple” nada tem a ver com esse sucesso agrícola. Segundo pesquisas do etimologista Barry Popik, quem introduziu o termo em circulação ativa foi John Fitz Gerald. Ele escreveu críticas esportivas para o New York Morning Telegraph e se referiu a Nova York como “A Grande Maçã” pela primeira vez em seu artigo sobre corridas de cavalos, em maio de 1921. Mais tarde, Gerald explicou que ouviu a expressão em uma conversa entre dois jóqueis de Nova Orleans que estavam brincando sobre como os cavalos adoravam maçãs e comparavam as pistas de corrida de Nova York a uma grande maçã. O jornalista dirigiu a coluna “Around the Big Apple” por vários anos, o que ajudou a popularizar a cidade. Em agradecimento a isso, o cruzamento das ruas onde Gerald morou por quase 30 anos foi batizado oficialmente de Big Apple Corner, em 1997.

2. Las Vegas – “Sin City”

Segundo o Las Vegas Sun, o apelido “Sin City” surgiu em 1906 e inicialmente pertencia a apenas um bairro, chamado oficialmente de Block 16. Não havia restrições à venda de bebidas em sua área na época. No entanto, Block 16 não era tão conhecido por seus bares e salões de jogos quanto por seus bordéis ilegais. Daí a fama de Las Vegas como a Cidade do Pecado, onde você pode se entregar a qualquer vício impunemente. Em 1941, o governo liquidou todos os bordéis, mas nessa época o apelido já havia se consolidado no vocabulário dos americanos. Hoje Las Vegas, famosa por seus cassinos, shows incríveis e vida noturna agitada, tenta se manter dentro do marco legal e prefere ser chamada de “Capital Mundial do Entretenimento”. Mas os turistas que vistam a cidade lembram de sua turbulenta história e sabem que “O que acontece em Vegas, fica em Vegas”.

3. Chicago – “Wind City”

A explicação mais simples para chamar Chicago de Windy City (Cidade dos Ventos) é a brisa gelada que sopra do Lago Michigan e atravessa a cidade. Mas, de acordo com History.com, é possível que a frase tenha adquirido um duplo significado à medida que a cidades se destacava como a principal metrópole da região e como um ótimo lugar para férias de verão, no final do século 19. Alguns especialistas citam jornais de cidades rivais do Meio-Oeste que competiam por essa posição, usando o termo de forma pejorativa em suas manchetes, como um golpe para chamar a atenção dos cidadãos arrogantes ou dos políticos de Chicago.

4. Boston – “Beantown”


Muitos escolherão Cradle of Liberty (Berço da Liberdade) se você perguntar aos moradores de Boston qual apelido eles preferem. E com razão, dada a tremenda contribuição da cidade à nação americana. Mas quando se trata de turismo, o apelido popular é “Beantown”. Essa história tem origem no prato local mais popular, o feijão cozido de Boston. Os primeiros colonos do Velho Mundo tomaram emprestada a receita dos nativos americanos e a alteraram ligeiramente. Para fazer feijão à moda de Boston, eles são generosamente cobertos com carne suína, bacon e melaço, e cozidos por muito tempo em fogo baixo, criando um incrível contraste de sabores. Os feijões cozidos de Boston são uma lembrança gastronômica icônica da cidade. O Boston Baked Beans, um amendoim com cobertura de caramelo, foi criado em sua homenagem. E no início do século XX, um popular slogan turístico dizia: “Você não conhece o feijão até chegar a Boston”.

5. Los Angeles — City of Angels

O apelido mais famoso de Los Angeles é “City of Angels” (Cidade dos Anjos). Durante a colonização ativa dos territórios americanos, os espanhóis conquistaram as terras onde hoje está localizada a cidade. Eles fundaram um assentamento que recebeu o nome de El Pueblo de Nuestra Señora la Reina de los Ángeles sobre El Río Porciúncula (Cidade de Nossa Senhora Rainha dos Anjos no rio Porciúncula). Não surpreendentemente, era raro o nome ser usado em sua forma completa. Mais tarde, tornou-se mais curto até se transformar na distinta Los Angeles, que significa “anjos” em espanhol. O jogo de palavras resultante foi usado ativamente pelas autoridades da cidade para atrair novos residentes, prometendo condições literalmente celestiais. E a campanha de marketing tem funcionado com eficiência há décadas. Além disso, a ideia de “Cidade dos Anjos” foi amplamente utilizada em diversos campos da arte, o que contribuiu para uma popularização ainda maior do apelido.

6. Miami – “Magic City”

Miami é chamada de “Magic City” (Cidade Mágica) pela rapidez com que se tornou um centro urbano, transformando-se em uma grande cidade praticamente da noite para o dia. Diz a história que uma viúva comprou uma plantação de frutas cítricas e convenceu seus amigos ricos e poderosos a estender a ferrovia até Miami, construir ruas e sistemas de energia, e adicionar um resort. Em 1896 a cidade foi incorporada e, logo, as pessoas estavam se mudando ou visitando a região em massa. Miami se tornou culturalmente diversificada e agora é a sede de empresas multinacionais e instituições financeiras.

7. New Orleans – “The Big Easy”

Embora supostamente houvesse um salão de dança com o nome “The Big Easy” no início dos anos 1900, ninguém estava realmente usando esse apelido para New Orleans até os anos 1970. E isso graças a duas pessoas: Betty Guillaud e James Conaway. Betty era uma colunista do The Times-Picayune e começou a escrever o termo como uma espécie de resposta ao apelido de “Big Apple” de Nova York. Jimmy, também escritor, publicou um romance policial chamado The Big Easy em 1970. O livro se transformaria em um filme de 1986 estrelado por Dennis Quaid. De acordo com The Culture Trip, New Orleans também poderia ter ganhado seu apelido por causa da cena musical forte e como era fácil para os músicos agendar shows e prosperar. E, ainda, outra explicação refere-se à atitude negligente da cidade em relação ao consumo de álcool durante a Lei Seca. Não importa a origem, “The Big Easy” parece se adequar a um local despreocupado.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;