Fechar
Publicidade

Sábado, 29 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

O reconhecimento de uma obra única. Para acordar Mauá...

Reprodução/Instagram Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

‘Grave este nome: Hans Grudzinski’, escreveu o crítico de arte do Diário, Enock Sacramento, num artigo clássico de página inteira publicado menos de três meses após a morte do artista


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

05/12/2021 | 08:53


Vinte e dois de março de 1986. Enock Sacramento ilustrou sua reportagem com as três fotos agora reproduzidas por Memória, entre as quais um autorretrato de Grudzinski.

Estudioso da obra do artista, Enock Sacramento conseguiu resumir, em detalhes, a vida de Grudzinski, que em troca de cigarros produzia xilogravuras a partir de matrizes feitas com um canivete, utilizando tinta de caneta para a impressão num campo de concentração controlado por norte-americanos durante a II Guerra Mundial.

Terminada a guerra, vem para o Brasil sem falar uma única palavra em português. Descobre Mauá. Ingressa na Porcelana Mauá. Desenvolve sua arte e torna-se um nome nacional graças ao reconhecimento da imprensa brasileira.

Enock Sacramento reuniu alguns destes depoimentos: 

Artigos

“Hans S. Grudzinski domina todas as técnicas gráficas, obtendo contrastes e texturas sem o emprego de recursos colaterais” (José Geraldo Vieira em artigo publicado na Folha de S. Paulo em 1963).

“É realmente admirável a série A Última Ceia, toda ela impregnada de gravidade e mistério” (Paulo Mendes de Almeida, em A Gazeta, 22 de agosto de 1968).

“As composições de Grudzinski lembram o estilo dos grandes expressionistas de inícios do século. Sobretudo são produtos de uma técnica meticulosa e perfeita” (revista Veja, 13 de novembro de 1970).

“O artista está num dos grandes momentos de sua arte dominada” (Geraldo Ferraz, ao apresentar o calendário que a Galeria Documenta dedicou a Grudzinsky em 1978, contendo 12 reproduções de gravuras de sua autoria).

“Se há um cultor e mestre na gravura em metal entre nós, ele se chama Hans S. Grudzinski” (Jacob Klintowitz, Jornal da Tarde, 20 de novembro de 1980).

“Grudzinsky é genial na arte de constranger o espectador à visualidade máxima daquilo que faz, dando-lhe liberdade de ir adiante” (Armindo Trevisan, professor de história da arte da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, referindo-se aos trabalhos que Grudzinsky expôs em 1980).

“Enfim, uma avaliação que coloca Grudzinsky entre os maiores gravadores brasileiros em todos os tempos”, conclui Enock Sacramento neste artigo – repetimos - clássico, que o Diário publicou há 35 anos.

Diário há meio século

Domingo, 5 de dezembro de 1971 – ano 14, edição 1708

São Bernardo – A cidade abriu ontem (4 de dezembro de 1971) suas festividades natalinas com desfile pela Rua Marechal Deodoro.

Teatro – Nasce um grupo na Rhodia.

Com Guerra Mais ou Menos Santa, de Mário Brassini, um novo grupo de teatro amador estreou ontem (4 de dezembro de 1971): o TAR (Teatro Amador Rhodiamec), nascido dentro do clube da Rhodia. Direção do elenco: Sebastião Rebeque.

A matéria é assinada por José Armando Pereira da Silva.

Em 5 de dezembro...

1891 – Falece, em Paris, o ex-imperador brasileiro D. Pedro II.

1901 – Cadiz, 3 (Agência Navas). Declaram-se em greve os operários padeiros desta cidade.

1956 – Pelo Campeonato Paulista de Futebol, no Pacaembu, São Paulo 1, São Bento, de São Caetano, 1. Faustino marcou para o chamado Alviceleste, Zezinho empatou para o São Paulo.

Convocada a Seleção Paulista para o certame brasileiro. O menino Pelé, ainda reserva no Santos, não é lembrado.

1991 – Em noite memorável no Museu de Santo André, o médico e historiador Octaviano Gaiarsa lança seu oitavo livro Santo André: Ontem. Hoje. Amanhã.

“Quem quiser saber meu pensamento todo deve ler o livro do começo ao fim. Vi Santo André crescer, as pessoas usarem água da biquinha, os poços serem escavados”, declarou Dr. Gaiarsa à repórter Vânia Alves, do Diário.

Hoje, Octaviano Armando Gaiarsa é nome do Museu de Santo André, que ele tanto amava.

O sociólogo José Roberto Gianello escrevia, no Diário, o artigo ‘Os fotógrafos da Praça Lauro Gomes’.

Hoje

Dia Nacional da Pastoral da Criança

Dia Internacional do Voluntário para o Desenvolvimento Econômico e Social

Santos do Dia

Sabas n Nicola Stenon 

Crispina n Martinho de Dume

Municípios brasileiros

No Estado de São Paulo, hoje é aniversário de Sertãozinho (1896) e Taubaté (1645).

Pelo Brasil: em Goiás, Alto Paraíso de Goiás e Santo Antonio de Goiás; no Piauí, Anísio de Abreu, Barreiras do Piauí, Barro Duro, Cristalândia do Piauí, Redenção do Gurguéia e Santa Luz; em Minas Gerais, Guarará; no Paraná, Jundiaí do Sul e Querência do Norte; em Alagoas, Maceió; na Paraíba, Monte Horede e Salgado de São Felix; no Mato Grosso, Nova Brasilândia; e no Rio de Janeiro, Quissamã.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;