Fechar
Publicidade

Sábado, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

SP planeja reduzir intervalo entre 2ª e 3ª doses diante da variante Ômicron



02/12/2021 | 14:58


Com a disseminação da variante Ômicron, a Prefeitura de São Paulo planeja alterar o cronograma pré-estabelecido para a segunda e terceira dose da vacina da covid-19. Em entrevista ao programa Ponto a Ponto, da Bandnews, o secretário de Saúde, Edson Aparecido, informou que o município irá pedir autorização da Anvisa para reduzir o intervalo de cinco meses para quatro meses. O comitê científico do estado de São Paulo também será consultado.

"A nossa ideia é ampliar a cobertura vacina da população com a terceira dose. Recentemente o município tomou a decisão importante de aplicar a vacina da Pfizer como reforço para quem tomou Jansen. E agora temos esse estudo da Vigilância Sanitária, que acabou de fazer. Hoje discutimos isso com o prefeito Ricardo Nunes, que está em Nova York. Tem a possibilidade de redução do prazo para 4 meses", indicou o gestor.

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou a informação ao Estadão na manhã desta quinta-feira, 2. "A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), enviou na manhã desta quinta-feira, 2, para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para o comitê científico do Governo do Estado e para o Ministério da Saúde, uma solicitação de autorização para que seja feita a redução do intervalo da dose adicional de vacina antiCovid para adultos, passando de cinco para quatro meses. Atualmente, a dose de reforço pode ser aplicada a partir de cinco meses após o recebimento da segunda dose."

O secretário ainda reforçou que medida semelhante já está sendo aplicada na União Europeia e no Reino Unido. "E agora, com a nova variante, isso é importante", reforçou.

Aparecido apontou que outros Estados e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) estão consultando a agência reguladora para fazer alteração. "Devemos fazer solicitação à Anvisa, mas também ao Comitê Científico do Estado. Estado e município poderiam tomar essa decisão. Não precisa autorização da Anvisa. Temos uma quantidade expressiva de vacinas", declarou Aparecido, apontando que, caso a autorização seja concedida, a cidade já poderá atender 1,2 milhão de pessoas graças a doses em estoque.

O secretario lamentou também que muitas pessoas ainda não concluíram o ciclo de imunização. "Temos 1 milhão de pessoas que poderiam ter tomado a terceira dose e não compareceram. Esperamos que, com nova variante, a população possa comparecer e se imunizar de forma completa."

Os dois primeiros casos da variante no Brasil foram confirmados em São Paulo nesta terça-feira, 30, em um casal vindo da África do Sul. O homem de 41 anos e a mulher de 37 estão com sintomas leves. Nesta quarta, 1º, o terceiro diagnóstico positivo foi confirmado em um homem de 29 anos vindo da Etiópia, que desembarcou em Guarulhos no último sábado, 27. O paciente não apresenta nenhum sintoma. (Colaborou Júnior Moreira Bordalo)



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;