Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Em Santo André, vereador insistirá em texto polêmico

André Henriques/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Projeto de Rodolfo Donetti prevê autorizar uso de spray de pimenta em escolas da cidade


Arthur Gandini
Especial para o Diário

30/11/2021 | 00:38


Vereador de Santo André, Rodolfo Donetti (Cidadania) prevê conseguir colocar em pauta, até o final do 1º semestre de 2022, seu projeto que autorizaria o uso de taser (arma de choque) e spray de pimenta por funcionários de escolas situadas na cidade. O parlamentar, que é policial militar , busca apoio para levar o texto a plenário, A medida foi batizada de ‘escola protegida’.

A proposição autorizaria o porte dos equipamentos a professores tanto de escolas públicas como particulares, assim como outros profissionais de educação, a exemplo de inspetores de segurança. Ele afirma ter recebido apoio principalmente de colégios privados e defende que o texto que deve ser levado ao plenário teria função apenas autorizativa, ou seja, sem obrigatoriedade do uso das armas.

O objetivo do parlamentar é evitar que o projeto gere custos ao Executivo e caia no chamado vício de iniciativa, quando um Poder assume a função do outro. A criação de despesas é restrita ao Paço.

A autorização seria permitida aos profissionais sob a condição de passarem por formação voltada ao taser e o spray de pimenta. As armas letais seriam empregadas apenas contra pessoas que invadissem as escolas, segundo o parlamentar. “O professor, o agente da escola ou quem quer que seja vai passar pelo curso. Se ele fizer alguma coisa que contradiz o projeto ou que não era para ter feito, ele vai responder penalmente. Se você usar indevidamente, vai responder”, defendeu o parlamentar, ao comparar a situação com o uso de armas letais por policiais. Donetti atua na PM há 20 anos.

O vereador ressalta a importância da formação para quem lida com armamento, seja letal ou não letal. “O cara tem a disciplina e o autoconhecimento. Ele sabe a hora que ele vai poder usar ou não. Espero que nunca use na vida dele. Vou ter que usar para proteger a minha vida e a de outros. Agora, saiu alguma briga, eu não vou usar”, exemplifica.

Donetti explica que o projeto foi idealizado após a chacina registrada no município de Saudades, no Interior de Santa Catarina. Em maio, um homem invadiu uma creche armado com uma faca e assassinou duas profissionais da unidade e três crianças. Ele tentou tirar a própria vida, mas foi socorrido e detido. “Isso poderia ser o meu filho, o seu filho ou os nossos parentes. Hoje não aconteceu em Santo André, mas quem garante que não possa acontecer outro dia?”, conclui.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;