Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 23 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Servidores da educação em Mauá e Rio Grande relatam dificuldades para se vacinar

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Professores em licença e trabalhadores de empresas terceirizadas não estão recebendo QR Code


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

22/04/2021 | 14:32


Atualizado às 19h19

Profissionais da rede estadual de educação estão tendo dificuldades para concluir o cadastro e receber a vacina contra a Covid-19 no Grande ABC. O Diário recebeu relatos de trabalhadores da rede em escolas de Mauá e Rio Grande da Serra que aguardam há dias pela emissão do QR Code pela Secretaria de Educação. Segundo informações apuradas junto à sub-sede da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) de Mauá, o problema tem afetado trabalhadores terceirizados e professores que não estão na ativa, como quem está usufruindo licença-prêmio ou algum outro tipo de afastamento.

A resolução da Secretaria de Educação que determinou os critérios para a vacinação não impôs qualquer restrição ao fato dos profissionais serem de empresas terceirizadas e/ou não estarem na ativa. No entanto, são muitos os relatos de trabalhadores que já tiveram os cadastros cancelados ou que aguardam há mais de dez dias pela confirmação. A apresentação do QR Code enviado pelo governo estadual é condição obrigatória para a imunização dos profissionais.

Profissionais da EE (Escola Estadual) Clotilde Álvares Doratioto, EE Padre Afonso Paschotte e EE Jardim Cruzeiro, todas de Mauá, e da EE Cassiano Ricardo, de Rio Grande da Serra, estão aguardado desde antes o início da vacinação (que no Grande ABC começou em 10 de abril) pela conclusão do cadastro. Com idade entre 48 e 53 anos, os trabalhadores são contratados terceirizados ou docentes temporariamente afastados do trabalho.

“Não era mais fácil sermos todos vacinados, para quando retornamos ao trabalho, já estarmos imunizados”, questionou um docente que está em licença-prêmio, não quis de identificar e também não conseguiu receber o QR Code. Uma funcionária terceirizada, que também pediu anonimato, relatou que seu primeiro cadastro foi cancelado. O segundo, feito no início da semana, não foi respondido, mas hoje a escola em que trabalha está sem internet e ela não consegue consultar.

A Secretaria de Estado da Educação informou que o processo de cadastramento segue operando, porém, os QRCodes não são gerados de maneira imediata após o cadastro, por isso é preciso acompanhar o e-mail ou gerar o comprovante direto no VacinaJá. A pasta destacou que os profissionais da educação que estiverem dentro do grupo prioritário, em relação à idade e atuação em sala de aula, serão imunizados. Que não estão contemplados nesta fase da vacinação aqueles que estiverem em licenças/afastamentos que superem o período de 30 dias contados a partir de 12 de abril. Segundo a secretaria, até o último final de semana, 259.624 mil profissionais foram vacinados em todo o Estado. O governo  não informou quantos desses são trabalhadores do Grande ABC.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;