Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

5 histórias inusitadas envolvendo criptomoedas

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Bianca Bellucci
Do 33Giga

28/12/2021 | 08:55


O Bitcoin surgiu em 2009 e inaugurou a era das criptomoedas. O dinheiro virtual é usado nas transações da internet e tem o intuito de tornar os pagamentos tão simples como no mundo offline. Só que, por ser uma tecnologia relativamente nova, as pessoas ainda estão aprendendo a usá-la. Tanto é que, vez ou outra, uma história curiosa envolvendo as moedas digitais aparece na mídia. A seguir, conheça cinco casos inusitados.

Leia mais:
5 filmes para entender tudo sobre bitcoin, blockchain e criptomoedas
Como começar a investir em criptomoedas?
5 canais do YouTube para aprender sobre Bitcoin e criptomoedas

1. As pizzas mais caras do mundo

Uma das primeiras transações com Bitcoin foi realizada para comprar pizzas da Domino’s. Em 22 de maio de 2010, o programador norte-americano Laszlo Hanyecz publicou em um fórum que estaria disposto a pagar 10.000 BTC em troca de duas redondas. Até então desconhecida, a moeda digital valia cerca de US$ 40. 11 anos depois, entretanto, o valor gasto com o delivery equivale a mais de US$ 548 milhões. Laszlo pode até ter perdido uma bolada, mas, pelo menos, ganhou um dia em sua homenagem. A data em que ocorreu a transação é comemorada mundialmente e conhecida como Bitcoin Pizza Day.

2. Investimento em ressurreição

Hal Finney foi o primeiro a receber uma transação de Bitcoin. Em janeiro de 2009, Satoshi Nakamoto, o criador anônimo da moeda virtual, enviou 100 BTC para o programador norte-americano. Falecido em 2014, vítima de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), ele investiu todas suas criptomoedas no processo de congelamento de seu corpo para ser ressuscitado no futuro. O corpo refrigerado de Finney é mantido em uma cápsula de alumínio mergulhada em nitrogênio líquido e está localizado na clínica Alcor Life Extension Foundation, no Arizona (EUA).

3. Bitcoins no lixão

O técnico de informática James Howells está desde 2013 atrás de uma autorização para escavar um aterro sanitário no País de Gales. Isso porque ele quer recuperar o disco rígido de um computador que contém o equivalente a US$ 1,5 bilhão de Bitcoins. É que a peça foi jogada no lixão, por engano, durante uma faxina. A expectativa do britânico é que a popularidade atual criptomoeda facilite o convencimento das autoridades responsáveis pelo local. Ele também está disposto a doar 25% do valor total para sua cidade natal, Newport.

4. Contração no futebol

Em 2018, o Harunustaspor, clube amador da Turquia, contratou o atleta Ömer Faruk Kiroglu usando Bitcoins. Esta transação foi a primeira no mundo do futebol a adotar a moeda virtual. Também foi pioneira no país, uma vez que o governo turco se posicionou contra o uso da criptomoeda. A intenção da equipe era tornar o time conhecido ao redor do globo. O total da transferência foi de 4,5 mil liras turcas, das quais 2 mil foram pagas em Bitcoins.

5. Gatos ostentação

CryptoKitties é um jogo semelhante ao Tamagotchi. Com ele, é possível criar gatos e originar novas raças. A grande sacada, entretanto, é que os felinos são comprados com uma moeda virtual chamada de Ethereum. A graça do game é cruzar raças com o intuito de encontrar misturas raras. O gato mais caro vendido até agora foi o Dragon, por 600 ETH (cerca de US$ 1 milhão). Vale ainda destacar que, quando lançado em 2017, o game se tornou tão popular que causou lentidão na rede de transações.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;