Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsonaro diz lamentar 'gente passando necessidade, mas capacidade tá no limite'



25/01/2021 | 19:44


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou lamentar que muitas pessoas estejam "passando necessidade" no País, porém, segundo justificou para o fim do auxílio emergencial, a capacidade de endividamento do País "está no limite".

"A palavra é emergencial. O que que é emergencial? O que não é duradouro, não é vitalício, não é aposentadoria. Lamento muita gente passando necessidade, mas a nossa capacidade de endividamento está no limite", disse o presidente a apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada nesta segunda-feira (25).

A última parcela do auxílio, criado em abril por conta da crise econômica provocada pela pandemia da covid-19, foi paga no fim de dezembro de 2020.

Bolsonaro disse também que trataria da possibilidade de prorrogação do auxílio emergencial com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e não com apoiadores. "Converso sobre isso com o Paulo Guedes, contigo não", respondeu à pergunta de ser a favor de "um novo auxílio emergencial".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsonaro diz lamentar 'gente passando necessidade, mas capacidade tá no limite'


25/01/2021 | 19:44


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou lamentar que muitas pessoas estejam "passando necessidade" no País, porém, segundo justificou para o fim do auxílio emergencial, a capacidade de endividamento do País "está no limite".

"A palavra é emergencial. O que que é emergencial? O que não é duradouro, não é vitalício, não é aposentadoria. Lamento muita gente passando necessidade, mas a nossa capacidade de endividamento está no limite", disse o presidente a apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada nesta segunda-feira (25).

A última parcela do auxílio, criado em abril por conta da crise econômica provocada pela pandemia da covid-19, foi paga no fim de dezembro de 2020.

Bolsonaro disse também que trataria da possibilidade de prorrogação do auxílio emergencial com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e não com apoiadores. "Converso sobre isso com o Paulo Guedes, contigo não", respondeu à pergunta de ser a favor de "um novo auxílio emergencial".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;