Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Reunião trata concessão da Prefeitura à AD S.Caetano

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Uso de espaço público por parte do clube e da gestora do futebol será tema de debate no Paço


Dérek Bittencourt
Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

22/01/2021 | 00:01


Os secretários da Fazenda, Jefferson Cirne da Costa, e de Esportes de São Caetano, Renata Trevelin, se reúnem hoje pela manhã para tratar sobre a concessão de uso de espaço público na Rua Eduardo Prado, bairro Cerâmica, para a AD São Caetano. Em 1992, o então prefeito Luiz Tortorello cedeu a área em comodato para que o Azulão abrigasse sua sede social e, consequentemente, desenvolvesse atividades.

O Diário apurou que o contrato de permissão de exploração do local venceu. Além disso, há questionamentos jurídicos, uma vez que a AD São Caetano permitiu que grupo privado ocupasse o espaço público – no caso, a São Caetano Futebol Ltda, gestora do time, que cogitou envolver a sede social azulina na negociação com investidores que assumiriam o time.

Ponto que também gera debate é a questão da cobrança de mensalidade para sócios da AD, que gera lucro ao clube e, em contrapartida, suspeita-se de baixa contrapartida do Azulão para o interesse público. Na vizinha São Bernardo, por exemplo, o prefeito Orlando Morando (PSDB) encerrou há dois anos a parceria com o São Bernardo FC que previa uso do Estádio 1º de Maio em troca de ações da agremiação, como desenvolver o Projeto Tigrinho, e buscou ceder o espaço a outra empresa, embora a administração são-caetanense garanta que não há plano de concessão do espaço esportivo.

Outro contrato envolvendo Prefeitura e AD terminou em 31 de dezembro e dizia respeito ao desenvolvimento de modalidades esportivas pelo clube, como teakwondo, judô, caratê, boxe, muaythai e kickboxing – na mesma data também se encerraram vínculos com outras entidades, que cuidavam dos demais esportes. A administração pública abrirá novo edital de chamamento público e o Azulão ou qualquer clube da cidade poderá absorver as modalidades.

“Os atletas não serão prejudicados de nenhuma forma. Mesmo que dê algum rolo na AD, que os impeça de participar do processo, outras entidades participarão e alguém vai levar. Para nós seria muito melhor que a AD vencesse esse edital e continuasse desenvolvendo as atividades”, explicou Marcos Siarvi, responsável pelo setor competitivo da Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude de São Caetano. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Reunião trata concessão da Prefeitura à AD S.Caetano

Uso de espaço público por parte do clube e da gestora do futebol será tema de debate no Paço

Dérek Bittencourt
Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

22/01/2021 | 00:01


Os secretários da Fazenda, Jefferson Cirne da Costa, e de Esportes de São Caetano, Renata Trevelin, se reúnem hoje pela manhã para tratar sobre a concessão de uso de espaço público na Rua Eduardo Prado, bairro Cerâmica, para a AD São Caetano. Em 1992, o então prefeito Luiz Tortorello cedeu a área em comodato para que o Azulão abrigasse sua sede social e, consequentemente, desenvolvesse atividades.

O Diário apurou que o contrato de permissão de exploração do local venceu. Além disso, há questionamentos jurídicos, uma vez que a AD São Caetano permitiu que grupo privado ocupasse o espaço público – no caso, a São Caetano Futebol Ltda, gestora do time, que cogitou envolver a sede social azulina na negociação com investidores que assumiriam o time.

Ponto que também gera debate é a questão da cobrança de mensalidade para sócios da AD, que gera lucro ao clube e, em contrapartida, suspeita-se de baixa contrapartida do Azulão para o interesse público. Na vizinha São Bernardo, por exemplo, o prefeito Orlando Morando (PSDB) encerrou há dois anos a parceria com o São Bernardo FC que previa uso do Estádio 1º de Maio em troca de ações da agremiação, como desenvolver o Projeto Tigrinho, e buscou ceder o espaço a outra empresa, embora a administração são-caetanense garanta que não há plano de concessão do espaço esportivo.

Outro contrato envolvendo Prefeitura e AD terminou em 31 de dezembro e dizia respeito ao desenvolvimento de modalidades esportivas pelo clube, como teakwondo, judô, caratê, boxe, muaythai e kickboxing – na mesma data também se encerraram vínculos com outras entidades, que cuidavam dos demais esportes. A administração pública abrirá novo edital de chamamento público e o Azulão ou qualquer clube da cidade poderá absorver as modalidades.

“Os atletas não serão prejudicados de nenhuma forma. Mesmo que dê algum rolo na AD, que os impeça de participar do processo, outras entidades participarão e alguém vai levar. Para nós seria muito melhor que a AD vencesse esse edital e continuasse desenvolvendo as atividades”, explicou Marcos Siarvi, responsável pelo setor competitivo da Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude de São Caetano. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;