Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 23 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Sto.André e ‘O Auto da Compadecida’


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

31/10/2020 | 00:02


No filme O Auto da Compadecida, baseado em obra de Ariano Suassuna, o personagem Chicó se casa com Rosinha e herda um cofre em forma de porca que, rezava a lenda, estava cheio de dinheiro. Junto de seu amigo João Grilo, Chicó vislumbrava que aquela grana poderia tirá-los da pobreza e, de quebra, ele teria ao seu lado a mulher que amava. Ao abrir a porca, porém, decepção: o dinheiro que estava lá era ultrapassado, não valia mais nada. Nesta semana, o candidato a vereador Thiago Rocha (PSD), de Santo André, viveu situação que remeteu à clássica história nacional. Em busca de seu primeiro mandato na Câmara, está atrás de recursos para difundir sua campanha em meio à disputa com figurões. Para reforçar o caixa, recorreu a um cofre, curiosamente em forma de porco. Quebrou o objeto em busca de fundos. Ali tinham algumas moedas e notas. Mas nem todas as notas estavam aptas ao uso por terem ficado muito tempo em ambiente fechado, úmido. Thiago tenta seu final feliz, assim como Chicó e Rosinha, e obter cadeira na Câmara, a despeito dos percalços.

Novo vídeo
A candidata do Solidariedade à Prefeitura de Ribeirão Pires, Marisa da Casas Próprias, está conhecida pelos vídeos que publica com esquetes fora do padrão. Ontem, mais uma peça foi veiculada. Marisa começa falando que não gosta de comentar assuntos nos grupos de WhatsApp, mas que, desta vez, decidiu fazê-lo depois que “as pessoas falaram que estou com Kiko”, em referência política ao prefeito Adler Kiko Teixeira (PSDB), candidato à reeleição. A resposta gerou comentários nas redes sociais. “Quero dizer que mesmo com pouco tempo a política não virou minha cabeça. Eu continuo com Valter de Abreu, com quem estou há 42 anos, pai dos meus filhos, amor da minha vida. Desculpe apontar todos vocês. Meu amor é eterno.”

Carreata
Candidato do Psol à Prefeitura de Santo André, Bruno Daniel (Psol) coloca em prática, a partir de hoje, a etapa da campanha de espalhar seu nome pelas ruas da cidade. Ele agendou carreata, a partir do Parque Miami, com apoiadores do Psol e da Rede Sustentabilidade, sigla que apoia seu projeto. A atividade começa às 9h e termina na Praça do Carmo. Na parte da tarde, Bruno volta ao caminhão de som e irá para a Vila Luzita.

Disputa acirrada
A saída do vereador Gordo da Adega (Republicanos) do PCdoB de São Bernardo animou a disputa na legenda por vagas na Câmara. O presidente da sigla na cidade, Jorge Costa, e Faustão Júnior são os mais cotados internamente – o primeiro desafio do partido é atingir o coeficiente eleitoral. Faustão Júnior foi candidato em 2016, pelo PV, recebeu 1.693 votos e, desta vez, apostou na qualificação da equipe que faz sua campanha para atingir êxito nas urnas.

Lei Aldir Blanc – 1
A transferência de recursos da Lei Aldir Blanc, para ajudar o setor cultural durante a pandemia de Covid-19, virou embate em São Caetano. Parte do conselho de cultura reclama da inclusão, nas regras de aplicação da verba, de que a arte precisa ter tema livre – ou seja, acessível a todas as idades. Essa fatia do bloco considera que tal imposição pode significar censura prévia ou desqualificação antecipada de projetos. Houve pedido formal para retificação do edital, mas o debate não avançou. Há também questionamento, segundo esses conselheiros, de falta de ampla discussão sobre o assunto.

Lei Aldir Blanc – 2
A Secretaria de Cultura de São Caetano negou com veemência a acusação de censura prévia. “Há, sim, a indicação de classificação livre por orientação do decreto federal, que regulamenta a lei, de que os projetos sejam exibidos nas páginas oficiais da Prefeitura. A aprovação foi unânime dos presentes e quem questiona é a conselheira Paula Aviles, que, por sinal, estava ausente da reunião”. A pasta argumentou ainda que a gestão dos recursos foi repassada à secretaria por pedido da sociedade civil e que todos os passos sobre o uso da verba seguem diretrizes estabelecidas pela procuradoria municipal. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sto.André e ‘O Auto da Compadecida’

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

31/10/2020 | 00:02


No filme O Auto da Compadecida, baseado em obra de Ariano Suassuna, o personagem Chicó se casa com Rosinha e herda um cofre em forma de porca que, rezava a lenda, estava cheio de dinheiro. Junto de seu amigo João Grilo, Chicó vislumbrava que aquela grana poderia tirá-los da pobreza e, de quebra, ele teria ao seu lado a mulher que amava. Ao abrir a porca, porém, decepção: o dinheiro que estava lá era ultrapassado, não valia mais nada. Nesta semana, o candidato a vereador Thiago Rocha (PSD), de Santo André, viveu situação que remeteu à clássica história nacional. Em busca de seu primeiro mandato na Câmara, está atrás de recursos para difundir sua campanha em meio à disputa com figurões. Para reforçar o caixa, recorreu a um cofre, curiosamente em forma de porco. Quebrou o objeto em busca de fundos. Ali tinham algumas moedas e notas. Mas nem todas as notas estavam aptas ao uso por terem ficado muito tempo em ambiente fechado, úmido. Thiago tenta seu final feliz, assim como Chicó e Rosinha, e obter cadeira na Câmara, a despeito dos percalços.

Novo vídeo
A candidata do Solidariedade à Prefeitura de Ribeirão Pires, Marisa da Casas Próprias, está conhecida pelos vídeos que publica com esquetes fora do padrão. Ontem, mais uma peça foi veiculada. Marisa começa falando que não gosta de comentar assuntos nos grupos de WhatsApp, mas que, desta vez, decidiu fazê-lo depois que “as pessoas falaram que estou com Kiko”, em referência política ao prefeito Adler Kiko Teixeira (PSDB), candidato à reeleição. A resposta gerou comentários nas redes sociais. “Quero dizer que mesmo com pouco tempo a política não virou minha cabeça. Eu continuo com Valter de Abreu, com quem estou há 42 anos, pai dos meus filhos, amor da minha vida. Desculpe apontar todos vocês. Meu amor é eterno.”

Carreata
Candidato do Psol à Prefeitura de Santo André, Bruno Daniel (Psol) coloca em prática, a partir de hoje, a etapa da campanha de espalhar seu nome pelas ruas da cidade. Ele agendou carreata, a partir do Parque Miami, com apoiadores do Psol e da Rede Sustentabilidade, sigla que apoia seu projeto. A atividade começa às 9h e termina na Praça do Carmo. Na parte da tarde, Bruno volta ao caminhão de som e irá para a Vila Luzita.

Disputa acirrada
A saída do vereador Gordo da Adega (Republicanos) do PCdoB de São Bernardo animou a disputa na legenda por vagas na Câmara. O presidente da sigla na cidade, Jorge Costa, e Faustão Júnior são os mais cotados internamente – o primeiro desafio do partido é atingir o coeficiente eleitoral. Faustão Júnior foi candidato em 2016, pelo PV, recebeu 1.693 votos e, desta vez, apostou na qualificação da equipe que faz sua campanha para atingir êxito nas urnas.

Lei Aldir Blanc – 1
A transferência de recursos da Lei Aldir Blanc, para ajudar o setor cultural durante a pandemia de Covid-19, virou embate em São Caetano. Parte do conselho de cultura reclama da inclusão, nas regras de aplicação da verba, de que a arte precisa ter tema livre – ou seja, acessível a todas as idades. Essa fatia do bloco considera que tal imposição pode significar censura prévia ou desqualificação antecipada de projetos. Houve pedido formal para retificação do edital, mas o debate não avançou. Há também questionamento, segundo esses conselheiros, de falta de ampla discussão sobre o assunto.

Lei Aldir Blanc – 2
A Secretaria de Cultura de São Caetano negou com veemência a acusação de censura prévia. “Há, sim, a indicação de classificação livre por orientação do decreto federal, que regulamenta a lei, de que os projetos sejam exibidos nas páginas oficiais da Prefeitura. A aprovação foi unânime dos presentes e quem questiona é a conselheira Paula Aviles, que, por sinal, estava ausente da reunião”. A pasta argumentou ainda que a gestão dos recursos foi repassada à secretaria por pedido da sociedade civil e que todos os passos sobre o uso da verba seguem diretrizes estabelecidas pela procuradoria municipal. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;