Fechar
Publicidade

Domingo, 29 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Tite fala em construção da Seleção e faz analogia com 'Os Três Porquinhos'

Lucas Figueiredo/CBF/Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Treinador explica momento do time após goleada por 5 a 0 sobre a Bolívia pelas Eliminatórias



10/10/2020 | 01:16


A goleada por 5 a 0 sobre a Bolívia faz parte da "construção" da Seleção Brasileira para conquistar uma vaga e disputar a Copa do Mundo do Catar em 2022, na visão do técnico Tite. Após a partida desta sexta-feira em São Paulo, o treinador fez uma analogia com a fábula Os Três Porquinhos para explicar o momento do time nacional. Foi o primeiro jogo oficial em 2020 e a estreia nas Eliminatórias Sul-Americanas.

"Há uma ideia e uma forma de jogar. Quando a bola sai para tiro de meta, marcamos alto. Poucas vezes a gente retarda e dá campo ao adversário. É uma característica da equipe de manter a posse de bola. Quando falamos em jogar bem, tem que traduzir de alguma forma. Precisa finalizar, e hoje foram 20 finalizações. Tem que ter solidez defensiva, não pode tomar susto toda hora, porque isso gera insegurança. Tem que traduzir isso em vitória. É uma construção, uma caminhada, um passo importante. Brincando um pouquinho: quando contávamos histórias para os nossos filhos, Os Três Porquinhos tinha três casinhas. Tem que ser de tijolo e forte, não pode ser de palha e de madeira", disse Tite. Na fábula, o lobo consegue derrubar as casas mais frágeis com o sopro e não tem sucesso com a casa mais forte.

Tite pôde contar com Neymar, que era dúvida até momentos antes da partidas em razão de dores na região lombar. O principal jogador brasileiro não marcou, mas deu duas assistências na goleada sobre a Bolívia.

"Isso é espírito de equipe, solidariedade, futebol de conjunto. Todos têm a responsabilidade de tomar a bola e de criar. Às vezes o goleiro tem qualidade, às vezes ele dá a assistência e proporciona o gol dos companheiros. Futebol é coletivo, o importante é que ele fez um grande jogo. Gostaria que ele fizesse gol? Gostaria. Mas a assistência contribui bastante", afirmou Tite.

A seleção voltou a jogar depois de 325 dias por causa da paralisação do futebol provocada pela pandemia do novo coronavírus. Um momento "desafiador", como definiu Tite. O início das Eliminatórias estava previsto para março, mas foi adiado para outubro. O Brasil volta a jogar na terça-feira, contra o Peru, em Lima, pela segunda rodada.

"É desafiador no momento de pandemia que está em curso, com algumas equipes voltando e outras não, com atletas com diferente número de jogos. O Weverton, muito seguro, tem 20 jogos pelo Palmeiras. O Ederson (goleiro reserva) tem três (pelo Manchester City). A mostragem que temos é bastante diversa. É desafiador. Procuramos manter os atletas em funções que eles exercem nos clubes, mas é um quebra-cabeça", analisou o treinador.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tite fala em construção da Seleção e faz analogia com 'Os Três Porquinhos'

Treinador explica momento do time após goleada por 5 a 0 sobre a Bolívia pelas Eliminatórias


10/10/2020 | 01:16


A goleada por 5 a 0 sobre a Bolívia faz parte da "construção" da Seleção Brasileira para conquistar uma vaga e disputar a Copa do Mundo do Catar em 2022, na visão do técnico Tite. Após a partida desta sexta-feira em São Paulo, o treinador fez uma analogia com a fábula Os Três Porquinhos para explicar o momento do time nacional. Foi o primeiro jogo oficial em 2020 e a estreia nas Eliminatórias Sul-Americanas.

"Há uma ideia e uma forma de jogar. Quando a bola sai para tiro de meta, marcamos alto. Poucas vezes a gente retarda e dá campo ao adversário. É uma característica da equipe de manter a posse de bola. Quando falamos em jogar bem, tem que traduzir de alguma forma. Precisa finalizar, e hoje foram 20 finalizações. Tem que ter solidez defensiva, não pode tomar susto toda hora, porque isso gera insegurança. Tem que traduzir isso em vitória. É uma construção, uma caminhada, um passo importante. Brincando um pouquinho: quando contávamos histórias para os nossos filhos, Os Três Porquinhos tinha três casinhas. Tem que ser de tijolo e forte, não pode ser de palha e de madeira", disse Tite. Na fábula, o lobo consegue derrubar as casas mais frágeis com o sopro e não tem sucesso com a casa mais forte.

Tite pôde contar com Neymar, que era dúvida até momentos antes da partidas em razão de dores na região lombar. O principal jogador brasileiro não marcou, mas deu duas assistências na goleada sobre a Bolívia.

"Isso é espírito de equipe, solidariedade, futebol de conjunto. Todos têm a responsabilidade de tomar a bola e de criar. Às vezes o goleiro tem qualidade, às vezes ele dá a assistência e proporciona o gol dos companheiros. Futebol é coletivo, o importante é que ele fez um grande jogo. Gostaria que ele fizesse gol? Gostaria. Mas a assistência contribui bastante", afirmou Tite.

A seleção voltou a jogar depois de 325 dias por causa da paralisação do futebol provocada pela pandemia do novo coronavírus. Um momento "desafiador", como definiu Tite. O início das Eliminatórias estava previsto para março, mas foi adiado para outubro. O Brasil volta a jogar na terça-feira, contra o Peru, em Lima, pela segunda rodada.

"É desafiador no momento de pandemia que está em curso, com algumas equipes voltando e outras não, com atletas com diferente número de jogos. O Weverton, muito seguro, tem 20 jogos pelo Palmeiras. O Ederson (goleiro reserva) tem três (pelo Manchester City). A mostragem que temos é bastante diversa. É desafiador. Procuramos manter os atletas em funções que eles exercem nos clubes, mas é um quebra-cabeça", analisou o treinador.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;