Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Crônicas andreenses

O advogado José Bueno Lima lança seu quarto livro em pleno período de pandemia e consegue superar em estilo, segurança narrativa e talento as três belas publicações anteriores


Ademir Medici

10/10/2020 | 07:00


Tempos Transcorridos faz memória e literatura em forma de crônicas e contos. José Bueno Lima recebe uma carta fictícia do irmão Sebastião, que partiu, e se corresponde, também como ficção, com o escritor Moacyr Scliar. Relembra a poeta Marina Rolim, visita a Casa Veronesi, faz justiça à obra e ao comportamento exemplar do jornalista Hildebrando Pafundi (ex-Diário), homenageia os amigos Waldir Rimi e Pedro Martin, como o fez, nos livros anteriores, com outros andreenses da gema, entre os quais “o Scarpelli, o Joanin, o Gato Guirelli, o Sadalla Melhen e o Richard Nassif”.

De tal maneira que, ao apresentar este quarto livro do Dr. Bueno Lima, Memória sugere ao caro leitor que não conhece a obra literária do autor que procure ler todos os livros – leitura saudável, nostálgica, que segura o leitor página a página.


ATUAL

O autor registra para a posteridade o drama dos dias atuais: “(...) trancafiado, procuro superar todos esses impedimentos fazendo diariamente minha caminhada na garagem do prédio, exercícios em casa e a leitura dos jornais – quando há sol, na sacada, aproveitando”.

Dr. Bueno Lima inspira-se em muitas coisas do que lê no Diário do Grande ABC, do qual foi colaborador inaugurando e mantendo uma coluna voltada ao meio estudantil, em tempos de ditadura.

BOAS SACADAS

Caro leitor, descubra, no novo livro do Dr. Bueno Lima, o que são os homens-estátuas e os homens-sanduíches de Santo André.

SAUDADE

Em minha infância, aguardava com ansiedade a chegada da época de finados, quando, defronte ao Cemitério da Saudade, se instalava uma feira com barracas vendendo frutas, doces, pastel, garapa, milho verde, pipoca, amendoim e outras gulodices. Verdadeira festa!

UM CASO

No restaurante do avô do Chalaça andreense – Enilson Balderi, um personagem da cidade dono de uma banca defronte ao Primeiro de Maio FC que vende discos antigos de vinil – havia uma concorrida cancha de bocha. Certo dia, o conhecido andreense Antonio Chiarelli (teatrólogo) chegou aflito ao local e implorou ao velho Balderi que lhe arrumasse um coco, pois sua mulher, grávida, queria porque queria comer a fruta. O velho virou as costas, voltando em seguida com um saco de açúcar de cinco quilos, daqueles antigos, contendo duas unidades. Bem amarradinho. O Chiarelli foi e pouco tempo depois retornou, revoltado, pois havia levado para casa, ao invés do coco, duas bolas de bochas.
– Maledetto...

DEDICATÓRIA

O mundo está abalado por esta terrível pandemia, uma verdadeira guerra contra um inimigo invisível. Dedico este meu livro a todas as vítimas que a ela sucumbiram.

LEIAM

Tempos Transcorridos (Editora Recanto das Letras) tem a apresentação de Alberto Vasconcelos e o prefácio de João Bosco dos Santos.

O testemunho do ‘seo’ João

Texto: Milton Parron

No mês passado foi comemorada a data de inauguração do primeiro canal de televisão no Brasil, a Tupi de São Paulo, no dia 18 de setembro de 1950. Com muita justiça Assis Chateaubriand foi o nome mais enaltecido durante as comemorações, afinal, foi ele quem implantou a televisão no Brasil, primeiro a Tupi paulista e, quatro meses mais tarde, a Tupi do Rio de Janeiro.

Por desconhecimento, provavelmente, outros nomes não foram nomeados, entre eles Paulo Machado de Carvalho, Victor Costa, Wallace Simonsen e João Jorge Saad – este último obteve a segunda concessão para implantar um canal de televisão por aqui, assinada por Getúlio Vargas em 1951. Por uma série de obstáculos políticos o empresário só pôde inaugurar o seu canal, a TV Bandeirantes, em maio de 1967. 

Os próprios pioneiros da televisão Tupi, reconhecendo os méritos de João Saad como pioneiro, gravaram com ele, em 1998, um longo depoimento, onde ele contou a odisseia que viveu para salvar uma emissora de rádio que estava operando deficitariamente, e o fez para atender um pedido de seu sogro, que era o proprietário da referida rádio, embora não tivesse ele, ‘seo’ João, a menor familiaridade com o assunto, mas entendia de administração.

Em três anos sanou as finanças e colocou a rádio, Bandeirantes, entre as mais ouvidas de São Paulo. Depois, já contaminado pelo vício da comunicação em massa, envolveu-se com televisão.

Um relato humano, com momentos de forte emoção e, principalmente, uma lição de otimismo e obstinação para os mais jovens. O depoimento de João Jorge Saad à saudosa atriz Vida Alves para o Museu dos Pioneiros da Televisão será o assunto do Memória deste fim de semana.

EM PAUTA – Rádio Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – Um pioneiro da TV. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 22h (ou logo após o futebol), com reprise amanhã, domingo, às 5h. Na internet: www.radiobandeirantes.com.br .

Diário há meio século

Sábado, 10 de outubro de 1970 – ano 13, edição 1355

Manchete – Furacão causa catástrofe na Itália; pelo menos 20 mortes em Gênova
São Caetano – Prefeito Oswaldo Masei aprova confecção de um monumento ao imigrante italiano; maquete apresentada pelo escultor Miguel Locosselli.
São Bernardo – José Eduardo Fornari Novo é o novo presidente do Instituto Municipal de Previdência.
Polícia – Manoel Monteiro vai atirar em todos, até tombar morto. Detido, levado à Delegacia de Polícia de Santo André, na Rua Xavier de Toledo, surpreende atirando contra um investigador e um PM. Foge. É perseguido. Cercado na Praça do Carmo, suicida-se.

Em 10 de outubro de...

1915 – Companhia Melhoramentos de São Caetano informa que pretende aumentar o número de lâmpadas elétricas nas ruas locais e dar início ao serviço de água e esgoto.
1920 – O presidente do Estado, Washington Luís, segue de automóvel pela Estrada do Vergueiro, cruzando São Bernardo em direção a Santos. Vai a passeio. Almoça na Ilha Porchat. E regressa à tarde para São Paulo.
1955 – A Delegacia do IAPI passa a prestar assistência à maternidade em São Caetano, em convênio com a Sociedade Beneficente Hospitalar São Caetano. A agência do IAPI ficava à Rua Pará, 80, esquina com a Rua Rio Grande do Sul.
1985 – Em Santo André, tem início a etapa decisiva do jubileu de ouro dos JAI.
2005 – Inaugurado o CDP (Centro de Detenção Provisória) de São Bernardo.

Hoje

- Dia Mundial da Saúde Mental
- Dia do Lions Internacional

Municípios Paulistas

- Aniversariam hoje: Cerqueira César, Laranjal Paulista e Cosmorama.

Municípios Brasileiros

- Aniversariam hoje: São Borja (Rio Grande do Sul), Arapongas (Paraná) e Campo Mourão (Paraná).

Santos do Dia

- Francisco Borja. Ou Bórgia (1510-1572). Exemplo da nobreza espanhola
- Paulino de York

DANIEL COMBONI (Itália, Brescia, Limone Sul Garda, 1831 – Cartum, Sudão, 1881). Missionário na África e bispo. Fundador da revista Nigrizia, ativa até hoje



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Crônicas andreenses

O advogado José Bueno Lima lança seu quarto livro em pleno período de pandemia e consegue superar em estilo, segurança narrativa e talento as três belas publicações anteriores

Ademir Medici

10/10/2020 | 07:00


Tempos Transcorridos faz memória e literatura em forma de crônicas e contos. José Bueno Lima recebe uma carta fictícia do irmão Sebastião, que partiu, e se corresponde, também como ficção, com o escritor Moacyr Scliar. Relembra a poeta Marina Rolim, visita a Casa Veronesi, faz justiça à obra e ao comportamento exemplar do jornalista Hildebrando Pafundi (ex-Diário), homenageia os amigos Waldir Rimi e Pedro Martin, como o fez, nos livros anteriores, com outros andreenses da gema, entre os quais “o Scarpelli, o Joanin, o Gato Guirelli, o Sadalla Melhen e o Richard Nassif”.

De tal maneira que, ao apresentar este quarto livro do Dr. Bueno Lima, Memória sugere ao caro leitor que não conhece a obra literária do autor que procure ler todos os livros – leitura saudável, nostálgica, que segura o leitor página a página.


ATUAL

O autor registra para a posteridade o drama dos dias atuais: “(...) trancafiado, procuro superar todos esses impedimentos fazendo diariamente minha caminhada na garagem do prédio, exercícios em casa e a leitura dos jornais – quando há sol, na sacada, aproveitando”.

Dr. Bueno Lima inspira-se em muitas coisas do que lê no Diário do Grande ABC, do qual foi colaborador inaugurando e mantendo uma coluna voltada ao meio estudantil, em tempos de ditadura.

BOAS SACADAS

Caro leitor, descubra, no novo livro do Dr. Bueno Lima, o que são os homens-estátuas e os homens-sanduíches de Santo André.

SAUDADE

Em minha infância, aguardava com ansiedade a chegada da época de finados, quando, defronte ao Cemitério da Saudade, se instalava uma feira com barracas vendendo frutas, doces, pastel, garapa, milho verde, pipoca, amendoim e outras gulodices. Verdadeira festa!

UM CASO

No restaurante do avô do Chalaça andreense – Enilson Balderi, um personagem da cidade dono de uma banca defronte ao Primeiro de Maio FC que vende discos antigos de vinil – havia uma concorrida cancha de bocha. Certo dia, o conhecido andreense Antonio Chiarelli (teatrólogo) chegou aflito ao local e implorou ao velho Balderi que lhe arrumasse um coco, pois sua mulher, grávida, queria porque queria comer a fruta. O velho virou as costas, voltando em seguida com um saco de açúcar de cinco quilos, daqueles antigos, contendo duas unidades. Bem amarradinho. O Chiarelli foi e pouco tempo depois retornou, revoltado, pois havia levado para casa, ao invés do coco, duas bolas de bochas.
– Maledetto...

DEDICATÓRIA

O mundo está abalado por esta terrível pandemia, uma verdadeira guerra contra um inimigo invisível. Dedico este meu livro a todas as vítimas que a ela sucumbiram.

LEIAM

Tempos Transcorridos (Editora Recanto das Letras) tem a apresentação de Alberto Vasconcelos e o prefácio de João Bosco dos Santos.

O testemunho do ‘seo’ João

Texto: Milton Parron

No mês passado foi comemorada a data de inauguração do primeiro canal de televisão no Brasil, a Tupi de São Paulo, no dia 18 de setembro de 1950. Com muita justiça Assis Chateaubriand foi o nome mais enaltecido durante as comemorações, afinal, foi ele quem implantou a televisão no Brasil, primeiro a Tupi paulista e, quatro meses mais tarde, a Tupi do Rio de Janeiro.

Por desconhecimento, provavelmente, outros nomes não foram nomeados, entre eles Paulo Machado de Carvalho, Victor Costa, Wallace Simonsen e João Jorge Saad – este último obteve a segunda concessão para implantar um canal de televisão por aqui, assinada por Getúlio Vargas em 1951. Por uma série de obstáculos políticos o empresário só pôde inaugurar o seu canal, a TV Bandeirantes, em maio de 1967. 

Os próprios pioneiros da televisão Tupi, reconhecendo os méritos de João Saad como pioneiro, gravaram com ele, em 1998, um longo depoimento, onde ele contou a odisseia que viveu para salvar uma emissora de rádio que estava operando deficitariamente, e o fez para atender um pedido de seu sogro, que era o proprietário da referida rádio, embora não tivesse ele, ‘seo’ João, a menor familiaridade com o assunto, mas entendia de administração.

Em três anos sanou as finanças e colocou a rádio, Bandeirantes, entre as mais ouvidas de São Paulo. Depois, já contaminado pelo vício da comunicação em massa, envolveu-se com televisão.

Um relato humano, com momentos de forte emoção e, principalmente, uma lição de otimismo e obstinação para os mais jovens. O depoimento de João Jorge Saad à saudosa atriz Vida Alves para o Museu dos Pioneiros da Televisão será o assunto do Memória deste fim de semana.

EM PAUTA – Rádio Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – Um pioneiro da TV. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 22h (ou logo após o futebol), com reprise amanhã, domingo, às 5h. Na internet: www.radiobandeirantes.com.br .

Diário há meio século

Sábado, 10 de outubro de 1970 – ano 13, edição 1355

Manchete – Furacão causa catástrofe na Itália; pelo menos 20 mortes em Gênova
São Caetano – Prefeito Oswaldo Masei aprova confecção de um monumento ao imigrante italiano; maquete apresentada pelo escultor Miguel Locosselli.
São Bernardo – José Eduardo Fornari Novo é o novo presidente do Instituto Municipal de Previdência.
Polícia – Manoel Monteiro vai atirar em todos, até tombar morto. Detido, levado à Delegacia de Polícia de Santo André, na Rua Xavier de Toledo, surpreende atirando contra um investigador e um PM. Foge. É perseguido. Cercado na Praça do Carmo, suicida-se.

Em 10 de outubro de...

1915 – Companhia Melhoramentos de São Caetano informa que pretende aumentar o número de lâmpadas elétricas nas ruas locais e dar início ao serviço de água e esgoto.
1920 – O presidente do Estado, Washington Luís, segue de automóvel pela Estrada do Vergueiro, cruzando São Bernardo em direção a Santos. Vai a passeio. Almoça na Ilha Porchat. E regressa à tarde para São Paulo.
1955 – A Delegacia do IAPI passa a prestar assistência à maternidade em São Caetano, em convênio com a Sociedade Beneficente Hospitalar São Caetano. A agência do IAPI ficava à Rua Pará, 80, esquina com a Rua Rio Grande do Sul.
1985 – Em Santo André, tem início a etapa decisiva do jubileu de ouro dos JAI.
2005 – Inaugurado o CDP (Centro de Detenção Provisória) de São Bernardo.

Hoje

- Dia Mundial da Saúde Mental
- Dia do Lions Internacional

Municípios Paulistas

- Aniversariam hoje: Cerqueira César, Laranjal Paulista e Cosmorama.

Municípios Brasileiros

- Aniversariam hoje: São Borja (Rio Grande do Sul), Arapongas (Paraná) e Campo Mourão (Paraná).

Santos do Dia

- Francisco Borja. Ou Bórgia (1510-1572). Exemplo da nobreza espanhola
- Paulino de York

DANIEL COMBONI (Itália, Brescia, Limone Sul Garda, 1831 – Cartum, Sudão, 1881). Missionário na África e bispo. Fundador da revista Nigrizia, ativa até hoje

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;