Fechar
Publicidade

Domingo, 25 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Petrobras/Castello Branco: Há oportunidades no Foz do Amazonas



30/09/2020 | 18:09


O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse ver oportunidades na Bacia do Foz do Amazonas, onde projetos estão atrasados por falta de licenciamento ambiental. Após sucessivos pareceres negativos do Ibama, a francesa Total desistiu de investir na região e vendeu suas participações para a estatal brasileira.

A petrolífera respondia por uma fatia de 40% em cinco blocos na Foz do Amazonas operados em parceria com a Petrobras (30%) e a britânica BP (30%), mas desistiu dos projetos diante da resistência de movimentos ambientalistas e da dificuldade de obter o licenciamento. Neste mês, a Petrobras anunciou a intenção de ficar com os ativos.

"Acreditamos que há oportunidades na região, uma extensão da bacia da Guiana, onde a ExxonMobil obteve sucesso na exploração. Estamos muito otimistas com o futuro do Brasil como produtor de petróleo e gás, principalmente de petróleo", afirmou Castello Branco, em evento virtual promovido pelo jornal Financial Times.

Segundo o executivo, "o Brasil não é só pré-sal" e conta com outras oportunidades a serem exploradas em sua costa. Desde o início de 2019, no entanto, a empresa vem avançando no seu programa de desinvestimento de campos no mar e em terra fora do pré-sal.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Petrobras/Castello Branco: Há oportunidades no Foz do Amazonas


30/09/2020 | 18:09


O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse ver oportunidades na Bacia do Foz do Amazonas, onde projetos estão atrasados por falta de licenciamento ambiental. Após sucessivos pareceres negativos do Ibama, a francesa Total desistiu de investir na região e vendeu suas participações para a estatal brasileira.

A petrolífera respondia por uma fatia de 40% em cinco blocos na Foz do Amazonas operados em parceria com a Petrobras (30%) e a britânica BP (30%), mas desistiu dos projetos diante da resistência de movimentos ambientalistas e da dificuldade de obter o licenciamento. Neste mês, a Petrobras anunciou a intenção de ficar com os ativos.

"Acreditamos que há oportunidades na região, uma extensão da bacia da Guiana, onde a ExxonMobil obteve sucesso na exploração. Estamos muito otimistas com o futuro do Brasil como produtor de petróleo e gás, principalmente de petróleo", afirmou Castello Branco, em evento virtual promovido pelo jornal Financial Times.

Segundo o executivo, "o Brasil não é só pré-sal" e conta com outras oportunidades a serem exploradas em sua costa. Desde o início de 2019, no entanto, a empresa vem avançando no seu programa de desinvestimento de campos no mar e em terra fora do pré-sal.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;