Fechar
Publicidade

Domingo, 31 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Consórcio deve encaminhar carta com demandas

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Yara Ferraz
do Diário do Grande ABC

10/04/2020 | 00:20


O Consórcio Intermunicipal do Grande ABC deve finalizar na próxima semana documento com demandas do setor produtivo das sete cidades. O tratado incluirá diversas questões de enfrentamento aos efeitos econômicos da pandemia da Covid-19. E vai ser encaminhado ao Congresso Nacional e aos governos estadual e federal.

As demandas foram reunidas de forma on-line, com secretários municipais de desenvolvimento, sindicatos e entidades de classe da região. Durante a videoconferência, que contou com mais de 50 participantes, foram debatidos temas como demandas de logística e transporte de carga, reconversão de produção para as indústrias, tributos, liberação dos créditos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), entre outros.

O diretor de programas e projetos do Consórcio, Giovanni Rocco, declarou que as sugestões apresentadas serão reunidas em uma carta conjunta de propostas regionais para estimular a economia, que será encaminhada aos governos federal e estadual, ao Congresso Nacional e também à Assembleia Legislativa de São Paulo. O intuito é que o documento seja finalizado na próxima semana e assinado pelas empresas e entidades.

“A unanimidade é a questão do crédito porque esse fluxo parou. Não são todas empresas que têm conta no Banco do Brasil ou na Caixa. Os bancos privados não estão negociando e ainda criando dificuldades. É necessário que essas empresas tenham fluxo de caixa para o enfrentamento deste período, ou as consequências para a região serão trágicas”, afirmou Rocco.

O diretor também citou a preocupação com a indústria automotiva. “Não está produzindo carro e não há perspectiva depois que passar a crise de as pessoas voltarem a comprar tão cedo. Por isso, é necessário o crédito para mudanças na linha de produção.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Consórcio deve encaminhar carta com demandas

Yara Ferraz
do Diário do Grande ABC

10/04/2020 | 00:20


O Consórcio Intermunicipal do Grande ABC deve finalizar na próxima semana documento com demandas do setor produtivo das sete cidades. O tratado incluirá diversas questões de enfrentamento aos efeitos econômicos da pandemia da Covid-19. E vai ser encaminhado ao Congresso Nacional e aos governos estadual e federal.

As demandas foram reunidas de forma on-line, com secretários municipais de desenvolvimento, sindicatos e entidades de classe da região. Durante a videoconferência, que contou com mais de 50 participantes, foram debatidos temas como demandas de logística e transporte de carga, reconversão de produção para as indústrias, tributos, liberação dos créditos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), entre outros.

O diretor de programas e projetos do Consórcio, Giovanni Rocco, declarou que as sugestões apresentadas serão reunidas em uma carta conjunta de propostas regionais para estimular a economia, que será encaminhada aos governos federal e estadual, ao Congresso Nacional e também à Assembleia Legislativa de São Paulo. O intuito é que o documento seja finalizado na próxima semana e assinado pelas empresas e entidades.

“A unanimidade é a questão do crédito porque esse fluxo parou. Não são todas empresas que têm conta no Banco do Brasil ou na Caixa. Os bancos privados não estão negociando e ainda criando dificuldades. É necessário que essas empresas tenham fluxo de caixa para o enfrentamento deste período, ou as consequências para a região serão trágicas”, afirmou Rocco.

O diretor também citou a preocupação com a indústria automotiva. “Não está produzindo carro e não há perspectiva depois que passar a crise de as pessoas voltarem a comprar tão cedo. Por isso, é necessário o crédito para mudanças na linha de produção.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;