Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Márcio não descarta concorrer, porém, assegura apoio a plano B

Para o Diário, deputado desconversa sobre ser o prefeiturável à sucessão de Lauro sem negar projeto


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

26/02/2020 | 00:01


Depois de cravar internamente que está fora da disputa pela sucessão do prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), o deputado estadual Márcio da Farmácia (Podemos), afirmou ao Diário que apoiará o nome que o governo eleger como plano B sem descartar estar ele mesmo nas urnas.

Questionado se ainda cogita ser o prefeiturável governista no pleito de outubro, Márcio desconversou sem negar. Porém, em seguida disse que vai ajudar a eleger o sucessor escolhido por Lauro. “Não estou nem falando sobre isso (eleição) ainda. A gente tem feito discussões internas (...) Tem outros nomes (reivindicando a candidatura ao Paço)” , despistou o parlamentar para, em seguida, avisar: “Eu vou estar no apoio (ao candidato governista) de qualquer maneira, estou junto. Não estou na eleição, sou deputado hoje, e nós vamos fazer discussão de grupo para debater nomes”, disse.

Márcio concedeu entrevista ao Diário na quarta-feira, nos corredores da Assembleia Legislativa, horas depois de ter se reunido com vereadores aliados e secretários do governo Lauro, no Paço diademense, para reafirmar que não será candidato a prefeito – quer seguir no mandato e preservar a saúde.

Apesar de ter rejeitado o convite ainda no ano passado, o ex-vice-prefeito vinha assistindo a insistências de Lauro para que represente o grupo no pleito de outubro. O prefeito vinha afirmando que não tinha plano B e que Márcio é o escolhido. “Não dá para identificar só o desejo do prefeito, tem de ser do grupo. Como eu faço parte de um grupo, respeito todas essas lideranças porque, senão, qualquer candidato que não tiver apoio unânime, pode perder (a disputa)”, frisou o deputado.

Com Márcio fora do páreo, Lauro terá de dizimar divergências internas entre os três nomes cogitados como prefeituráveis: Regina Gonçalves (PV), secretária de Habitação; e os vereadores Pretinho do Água Santa (DEM), presidente da Câmara, e Marcos Michels (PSB), primo do prefeito. Os parlamentares ensaiam dobrada, ainda sem definição sobre o cabeça de chapa. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Márcio não descarta concorrer, porém, assegura apoio a plano B

Para o Diário, deputado desconversa sobre ser o prefeiturável à sucessão de Lauro sem negar projeto

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

26/02/2020 | 00:01


Depois de cravar internamente que está fora da disputa pela sucessão do prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), o deputado estadual Márcio da Farmácia (Podemos), afirmou ao Diário que apoiará o nome que o governo eleger como plano B sem descartar estar ele mesmo nas urnas.

Questionado se ainda cogita ser o prefeiturável governista no pleito de outubro, Márcio desconversou sem negar. Porém, em seguida disse que vai ajudar a eleger o sucessor escolhido por Lauro. “Não estou nem falando sobre isso (eleição) ainda. A gente tem feito discussões internas (...) Tem outros nomes (reivindicando a candidatura ao Paço)” , despistou o parlamentar para, em seguida, avisar: “Eu vou estar no apoio (ao candidato governista) de qualquer maneira, estou junto. Não estou na eleição, sou deputado hoje, e nós vamos fazer discussão de grupo para debater nomes”, disse.

Márcio concedeu entrevista ao Diário na quarta-feira, nos corredores da Assembleia Legislativa, horas depois de ter se reunido com vereadores aliados e secretários do governo Lauro, no Paço diademense, para reafirmar que não será candidato a prefeito – quer seguir no mandato e preservar a saúde.

Apesar de ter rejeitado o convite ainda no ano passado, o ex-vice-prefeito vinha assistindo a insistências de Lauro para que represente o grupo no pleito de outubro. O prefeito vinha afirmando que não tinha plano B e que Márcio é o escolhido. “Não dá para identificar só o desejo do prefeito, tem de ser do grupo. Como eu faço parte de um grupo, respeito todas essas lideranças porque, senão, qualquer candidato que não tiver apoio unânime, pode perder (a disputa)”, frisou o deputado.

Com Márcio fora do páreo, Lauro terá de dizimar divergências internas entre os três nomes cogitados como prefeituráveis: Regina Gonçalves (PV), secretária de Habitação; e os vereadores Pretinho do Água Santa (DEM), presidente da Câmara, e Marcos Michels (PSB), primo do prefeito. Os parlamentares ensaiam dobrada, ainda sem definição sobre o cabeça de chapa. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;