Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ibovespa cai mais de 1% com mercado cauteloso à espera de Trump



12/11/2019 | 11:46


O Índice Bovespa opera nsta terça-feira, 12, em baixa, influenciado principalmente pelas blue chips do setor financeiro, além dos papéis da Petrobras, que enfrentam volatilidade, com alternância de sinais. Os mercados operam em compasso de espera pelo discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, marcado para as 14 horas (de Brasília).

Já as bolsas de países emergentes têm perdas mais acentuadas, refletindo a cautela com a instabilidade na América do Sul, afirmam analistas.

Além da fala de Trump, há expectativa com os trabalhos no Congresso, no que diz respeito à PEC Paralela e à prisão após condenação em segunda instância.

Pouco antes do fechamento deste texto, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou que a Casa concluirá hoje à tarde os quatro destaques restantes da PEC Paralela, que complementa a reforma da Previdência, que entra em vigor hoje. "Se tudo der certo, vamos concluir o segundo turno da PEC Paralela hoje", afirmou.

Sobre a prisão em segunda instância, o presidente do Senado afirmou que vai conversar com líderes para chegar a um entendimento em comum.

Outro destaque nesta manhã foi a fala do presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, que disse não ter sido informado sobre a provável saída do presidente da República, Jair Bolsonaro, do partido.

"Tudo que faça qualquer turbulência no sistema partidário é preocupante. Eu acho que o sistema partidário é a base da nossa democracia. São as instituições que estão em funcionamento normal dentro de um Estado de direito", disse Bivar ao chegar para a cerimônia de promulgação da reforma da Previdência.

A equipe jurídica que trabalha pela saída de Bolsonaro do PSL estima que as 500 mil assinaturas necessárias para criação de um novo partido devem ser entregues até março de 2020 ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo a advogada Karina Kufa, a ideia é retirar o partido do papel a tempo de lançar candidatos a disputa eleitoral municipal do próximo ano. Para isso, a corte eleitoral teria de aprovar a legenda seis meses antes das eleições, ou seja, até abril.

Às 11h40, o Ibovespa marcava 107.171,48 pontos, em queda de 1,10%. Itaú Unibanco PN recuava 0,85% e Petrobras ON perdia 0,20%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ibovespa cai mais de 1% com mercado cauteloso à espera de Trump


12/11/2019 | 11:46


O Índice Bovespa opera nsta terça-feira, 12, em baixa, influenciado principalmente pelas blue chips do setor financeiro, além dos papéis da Petrobras, que enfrentam volatilidade, com alternância de sinais. Os mercados operam em compasso de espera pelo discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, marcado para as 14 horas (de Brasília).

Já as bolsas de países emergentes têm perdas mais acentuadas, refletindo a cautela com a instabilidade na América do Sul, afirmam analistas.

Além da fala de Trump, há expectativa com os trabalhos no Congresso, no que diz respeito à PEC Paralela e à prisão após condenação em segunda instância.

Pouco antes do fechamento deste texto, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou que a Casa concluirá hoje à tarde os quatro destaques restantes da PEC Paralela, que complementa a reforma da Previdência, que entra em vigor hoje. "Se tudo der certo, vamos concluir o segundo turno da PEC Paralela hoje", afirmou.

Sobre a prisão em segunda instância, o presidente do Senado afirmou que vai conversar com líderes para chegar a um entendimento em comum.

Outro destaque nesta manhã foi a fala do presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, que disse não ter sido informado sobre a provável saída do presidente da República, Jair Bolsonaro, do partido.

"Tudo que faça qualquer turbulência no sistema partidário é preocupante. Eu acho que o sistema partidário é a base da nossa democracia. São as instituições que estão em funcionamento normal dentro de um Estado de direito", disse Bivar ao chegar para a cerimônia de promulgação da reforma da Previdência.

A equipe jurídica que trabalha pela saída de Bolsonaro do PSL estima que as 500 mil assinaturas necessárias para criação de um novo partido devem ser entregues até março de 2020 ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo a advogada Karina Kufa, a ideia é retirar o partido do papel a tempo de lançar candidatos a disputa eleitoral municipal do próximo ano. Para isso, a corte eleitoral teria de aprovar a legenda seis meses antes das eleições, ou seja, até abril.

Às 11h40, o Ibovespa marcava 107.171,48 pontos, em queda de 1,10%. Itaú Unibanco PN recuava 0,85% e Petrobras ON perdia 0,20%.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;