Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ex-presidente do Sindicato dos Bancários de SP lamenta morte de Lázaro Brandão



16/10/2019 | 15:32


O ex-presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Ricardo Berzoini, lamentou a morte do ex-presidente do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão. O economista faleceu nesta quarta-feira, 16, aos 93 anos, devido a complicações de uma cirurgia de diverticulite - uma inflamação interna do intestino.

Berzoini, que comandou a entidade entre 1994 e 2000, disse que Brandão foi uma "exceção" entre os banqueiros. Segundo o sindicalista, o ex-presidente do banco era solícito e aberto a diálogos e negociações com os sindicalistas. "Era uma pessoa muito objetiva, acessível e sempre correta do ponto de vista sindical", relembra.

Na visão de Berzoini, Brandão "mudou o perfil do Bradesco" e tornou o banco uma referência para os demais concorrentes. "Por exemplo, se havia um reajuste, os demais usavam como referência para não perder profissionais ou não ter problemas com o sindicato", explica.

O ex-presidente do sindicato lembra também a compra do BCN, em 2007; na época, Brandão teria prometido a Berzoini que não demitiria funcionários por conta da fusão das empresas. "Acompanhamos por muitos anos e, fora o pessoal que queria sair ou era demitido por justa causa, não houve demissões", afirma.

Lázaro de Mello Brandão faleceu no começo desta quarta-feira, 16. Ele dedicou 76 anos da sua vida ao Bradesco; 18 na presidência, entre 1981 e 1999. Depois, ficou na presidência do conselho de administração do banco até 2017. O administrador e economista deixa a mulher, duas filhas e um neto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ex-presidente do Sindicato dos Bancários de SP lamenta morte de Lázaro Brandão


16/10/2019 | 15:32


O ex-presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Ricardo Berzoini, lamentou a morte do ex-presidente do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão. O economista faleceu nesta quarta-feira, 16, aos 93 anos, devido a complicações de uma cirurgia de diverticulite - uma inflamação interna do intestino.

Berzoini, que comandou a entidade entre 1994 e 2000, disse que Brandão foi uma "exceção" entre os banqueiros. Segundo o sindicalista, o ex-presidente do banco era solícito e aberto a diálogos e negociações com os sindicalistas. "Era uma pessoa muito objetiva, acessível e sempre correta do ponto de vista sindical", relembra.

Na visão de Berzoini, Brandão "mudou o perfil do Bradesco" e tornou o banco uma referência para os demais concorrentes. "Por exemplo, se havia um reajuste, os demais usavam como referência para não perder profissionais ou não ter problemas com o sindicato", explica.

O ex-presidente do sindicato lembra também a compra do BCN, em 2007; na época, Brandão teria prometido a Berzoini que não demitiria funcionários por conta da fusão das empresas. "Acompanhamos por muitos anos e, fora o pessoal que queria sair ou era demitido por justa causa, não houve demissões", afirma.

Lázaro de Mello Brandão faleceu no começo desta quarta-feira, 16. Ele dedicou 76 anos da sua vida ao Bradesco; 18 na presidência, entre 1981 e 1999. Depois, ficou na presidência do conselho de administração do banco até 2017. O administrador e economista deixa a mulher, duas filhas e um neto.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;