Fechar
Publicidade

Domingo, 16 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Tonho aparece na Câmara andreense


Raphael Rocha

24/05/2019 | 07:00


Vereador de segundo mandato em Santo André e de perfil discreto, Tonho Lagoa (PMB) virou protagonista das últimas sessões. Tudo porque entrou de cabeça em cruzada contra o governo do prefeito Paulo Serra (PSDB). Tonho, embora eleito na chapa que defendia a recondução de Carlos Grana (PT), em 2016, rapidamente migrou para a base de sustentação. Mas tem dado recados públicos ao tucano. Alguns episódios explicam a chateação. Ele ficou de fora de agenda, capitaneada pelo governo do Estado em parceria com a Prefeitura, justamente em seu reduto eleitoral (Jardim Santo André), que foi o lançamento da Praça da Cidadania. O governo andreense também acertou a nomeação de Marilda Brandão (PMB), sua suplente e uma das lideranças do Centreville. Por fim, não gostou do tratamento dispensado quando o Paço protocolou projeto de lei pedindo autorização da Câmara para concessão de parte dos serviços do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) à Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). Diante do cenário, Tonho já avisou: estará em raia oposta à de Paulo Serra em 2020. Porém, publicamente, diz não ser oposição ao governo.

BASTIDORES

Coro
Igrejas evangélicas do Grande ABC informaram à direção nacional do PSL que engrossarão coro na manifestação convocada para domingo a favor do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Os atos buscam sustentar o chefe da Nação, cuja imagem ficou arranhada nos protestos realizados no dia 15 condenando cortes de recursos na educação. Diretórios do PSL da região também asseguraram que estarão na marcha, que acontece na Avenida Paulista.

Sindicalismo
O Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos) de Santo André rejeitou a proposta de parcelamento de reajuste oferecida pela Prefeitura. Posicionamento futuro sobre a discussão será tomado na terça-feira, a partir das 18h, em assembleia da entidade, realizada no Paço Municipal.

Nomeação
Ex-vereador de Ribeirão Pires e sobrinho do ex-prefeito ribeirão-pirense Saulo Benevides (MDB), Anderson Benevides foi contratado para cargo comissionado no governo da prefeita de Mauá, Alaíde Damo (MDB). É diretor de divisão na Secretaria de Trabalho e Renda. O salário base da função é de R$ 4.550.

Mudança de cara
O MDB de Diadema está sob nova direção. O presidente da comissão provisória é Fernando Belem. Sua missão será tentar rejuvenescer a sigla na cidade, já que, durante anos, o partido ficou ligado à ex-vereadora Cida Ferreira (MDB). Belem teve sua ficha abonada pelo presidente estadual do MDB, o deputado federal Baleia Rossi, e afirma que trabalhará para que o partido volte a ter representatividade em Diadema – Cida concorreu como vice na chapa encabeçada por Vaguinho do Conselho (PRB), mas perdeu para o prefeito Lauro Michels (PV).

Camaleão
Secretário de Comunicação no governo do ex-prefeito de Santo André Aidan Ravin (Podemos), Alexssander Soares está lotado na pasta de Comunicação na gestão de Bruno Covas (PSDB), na Capital. Entre esses dois empregos, Alexssander também trabalhou para Antonio Donato (PT) quando o petista presidiu a Câmara de São Paulo, na administração de Fernando Haddad (PT) como prefeito paulistano (2013-2016).

Em S.Paulo
Ex-secretário de Comunicação e ex-titular da pasta de Assuntos Estratégicos do governo de Adler Kiko Teixeira (PSB), João Mancuso (PSB) está nomeado no gabinete do vereador paulistano Mario Covas Neto, o Zuzinha (Podemos) – no ano passado, Zuzinha concorreu ao Senado, mas não conseguiu se eleger. Mancuso recebe R$ 5.071,26. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tonho aparece na Câmara andreense

Raphael Rocha

24/05/2019 | 07:00


Vereador de segundo mandato em Santo André e de perfil discreto, Tonho Lagoa (PMB) virou protagonista das últimas sessões. Tudo porque entrou de cabeça em cruzada contra o governo do prefeito Paulo Serra (PSDB). Tonho, embora eleito na chapa que defendia a recondução de Carlos Grana (PT), em 2016, rapidamente migrou para a base de sustentação. Mas tem dado recados públicos ao tucano. Alguns episódios explicam a chateação. Ele ficou de fora de agenda, capitaneada pelo governo do Estado em parceria com a Prefeitura, justamente em seu reduto eleitoral (Jardim Santo André), que foi o lançamento da Praça da Cidadania. O governo andreense também acertou a nomeação de Marilda Brandão (PMB), sua suplente e uma das lideranças do Centreville. Por fim, não gostou do tratamento dispensado quando o Paço protocolou projeto de lei pedindo autorização da Câmara para concessão de parte dos serviços do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) à Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). Diante do cenário, Tonho já avisou: estará em raia oposta à de Paulo Serra em 2020. Porém, publicamente, diz não ser oposição ao governo.

BASTIDORES

Coro
Igrejas evangélicas do Grande ABC informaram à direção nacional do PSL que engrossarão coro na manifestação convocada para domingo a favor do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Os atos buscam sustentar o chefe da Nação, cuja imagem ficou arranhada nos protestos realizados no dia 15 condenando cortes de recursos na educação. Diretórios do PSL da região também asseguraram que estarão na marcha, que acontece na Avenida Paulista.

Sindicalismo
O Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos) de Santo André rejeitou a proposta de parcelamento de reajuste oferecida pela Prefeitura. Posicionamento futuro sobre a discussão será tomado na terça-feira, a partir das 18h, em assembleia da entidade, realizada no Paço Municipal.

Nomeação
Ex-vereador de Ribeirão Pires e sobrinho do ex-prefeito ribeirão-pirense Saulo Benevides (MDB), Anderson Benevides foi contratado para cargo comissionado no governo da prefeita de Mauá, Alaíde Damo (MDB). É diretor de divisão na Secretaria de Trabalho e Renda. O salário base da função é de R$ 4.550.

Mudança de cara
O MDB de Diadema está sob nova direção. O presidente da comissão provisória é Fernando Belem. Sua missão será tentar rejuvenescer a sigla na cidade, já que, durante anos, o partido ficou ligado à ex-vereadora Cida Ferreira (MDB). Belem teve sua ficha abonada pelo presidente estadual do MDB, o deputado federal Baleia Rossi, e afirma que trabalhará para que o partido volte a ter representatividade em Diadema – Cida concorreu como vice na chapa encabeçada por Vaguinho do Conselho (PRB), mas perdeu para o prefeito Lauro Michels (PV).

Camaleão
Secretário de Comunicação no governo do ex-prefeito de Santo André Aidan Ravin (Podemos), Alexssander Soares está lotado na pasta de Comunicação na gestão de Bruno Covas (PSDB), na Capital. Entre esses dois empregos, Alexssander também trabalhou para Antonio Donato (PT) quando o petista presidiu a Câmara de São Paulo, na administração de Fernando Haddad (PT) como prefeito paulistano (2013-2016).

Em S.Paulo
Ex-secretário de Comunicação e ex-titular da pasta de Assuntos Estratégicos do governo de Adler Kiko Teixeira (PSB), João Mancuso (PSB) está nomeado no gabinete do vereador paulistano Mario Covas Neto, o Zuzinha (Podemos) – no ano passado, Zuzinha concorreu ao Senado, mas não conseguiu se eleger. Mancuso recebe R$ 5.071,26. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;