Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Entidade avalia e compara aplicativos de pagamento da Apple, Google e Samsung

Da Redação, com assessoria

06/08/2018 | 13:18


Tendência em outros países, os apps de pagamento ainda têm atuação discreta no Brasil, principalmente para substituir os cartões de crédito e débito. Embora eles tragam vantagens, como mais segurança e praticidade, apenas uma pequena parcela dos usuários adotaram a opção. Para o consumidor conhecer mais sobre esses apps, a PROTESTE avaliou os três principais: Samsung Pay, Google Pay e Apple Pay.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Durante a análise, foram verificados, entre outros aspectos: a compatibilidade dos apps com aparelhos e bancos, o processo de instalação e o de inserção de cartões, além dos pontos positivos e negativos de cada serviço. Na prática, esses aplicativos funcionam de forma semelhante. Os dados do cartão ficam armazenados para permitir que o consumidor deixe-o em casa.

Para usá-lo, basta aproximar o smartphone da máquina de cartão e liberar o pagamento na tela do celular mesmo, por meio de impressão digital ou de reconhecimento facial (caso do Apple Pay), por exemplo.

Já na hora de escolher o serviço, é necessário ficar atento, sobretudo, ao tipo de celular, ao sistema operacional e ao banco e ao cartão que trabalha. A maior diferença entre os apps está justamente nos dois últimos itens que, além de compatíveis, precisam ser aceitos nas máquinas das lojas.

A conexão do smartphone à máquina de cartão da loja depende do tipo de tecnologia que ela disponibiliza — NFC (Near Field Communication) ou MST (Magnetic Secure Transmission). Assim, para o usuário usar o Google Pay e o Apple Pay, é necessário que a máquina disponibilize a NFC. Já o Samsung Pay pode ser usado mesmo nas máquinas que não tenham essa tecnologia, porque ele também utiliza a MST, que faz a conexão pelo leitor de tarja magnética.

Durante a avaliação, a PROTESTE também visitou algumas lojas para verificar se os atendentes estão preparados para auxiliar o consumidor. Ficou notável que muitos estão aprendendo a usar os apps com a ajuda dos próprios clientes. As máquinas também não estavam conectadas aos terminais, pois não estavam configuradas para os aplicativos — uma falha do sistema de caixa que pode ser atualizada.

Confira a avaliação geral dos aplicativos feito pela PROTESTE:

Samsung Pay

Aparelhos: Galaxy S6, Note 5, A52010 ou J5 Pro
Bancos: Bradesco, Banco do Brasil, Neon, Inter, Banrisul, Caixa, Next, Porto Seguro, Santander e Brasil Pré-Pagos
Avaliação de usuários Android: 4.7
Prós: Aceita mais bancos do que os outros aplicativos e pode ser usado em mais máquinas porque disponibiliza as tecnologias MST e NFC.
Contras: Pode ser baixado em apenas alguns aparelhos Samsung. Não aceita todos os bancos e cartões.

Gloogle Pay

Aparelhos: modelos com Android versão KitKat 4.4 ou mais recente
Bancos: Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Caixa, Neon, Porto Seguro e Brasil Pré-Pagos
Avaliação de usuários Android: 4.2
Prós: Funciona em mais aparelhos do que os outros aplicativos. É rápido e traz ofertas exclusivas.
Contras: Não aceita todos os bancos, nem cartões e pode ser usado apenas em máquinas com NFC.

Apple Pay

Aparelhos: do iPhone 6 em diante e nos iPad (2017 e 2018), iPad Pro, iPad Air 2 e iPad mini 3 e iPad mini 4 (todos devem ter o iOS atualizado a partir do iOS 11.2).
Bancos: Apenas Itaú (até julho de 2018)
Avaliação de usuários iOS: não há
Prós: É rápido e pode ser usado no MacBook Pro com Touch ID.
Contras: Funciona apenas em alguns aparelhos Apple. Inicialmente, é restrito ao banco Itaú e é aceito somente em máquinas com NFC.

Leia mais: 
Das conchas à biometria: a evolução dos meios de pagamento
Spotify passa a aceitar cartão de débito como forma de pagamento

Confira todos os dispositivos testados pelo 33Giga:

 
 

<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;