Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Mortes no trânsito caem na região, mas óbitos de pedestres têm alta

Foram 96 casos no 1º semestre deste ano, contra 115 no mesmo período de 2017


Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

20/07/2018 | 07:00


 O número de mortes no trânsito da região teve queda de 16,5% no primeiro semestre de 2018, na comparação com o mesmo período do ano passado. Dados do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo), divulgados ontem, apontam total de 96 óbitos no período, ante 115 em 2017 (veja arte ao lado).

Diferentemente do cenário observado no ano passado, quando motociclistas foram os que mais morreram no trânsito, neste ano, pedestres lideram as estatísticas até o momento. Foram 44 óbitos de janeiro a junho, ou seja, alta de 10% em relação aos 40 casos de 2017.
O volume alto de mortes de pedestres têm, inclusive, chamado a atenção do governo do Estado, que, por meio do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, trata o assunto como “prioridade”. 

Na tentativa de reverter este quadro, o Estado diz ter articulado série de ações nos últimos meses para “conscientizar a população de que é necessário evitar comportamentos de risco, como atravessar fora da faixa e das passarelas ou se distrair com o aparelho celular”. Melhorias nas vias também têm sido foco das ações. 

O problema, no entanto, é visto com cautela por especialistas. Em recente entrevista ao Diário, o engenheiro de tráfego Horácio Figueira justificou os altos índices ao mecanismo viciado adotado pelos municípios. “As campanhas voltadas à segurança de trânsito não diferem muito. Algumas sequer conseguem transmitir a mensagem proposta”, explica.

Para o chefe do departamento de medicina de tráfego da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), Dirceu Rodrigues Alves Júnior, a imprudência de motoristas também tem contribuído para tal indicador. “Óbvio que é necessário conscientizar os pedestres, pois existem muito desrespeito e imprudência ainda, mas, acima de tudo, os motoristas precisam entender essa fragilidade e dar a devida atenção aos pedestres, principalmente em vias movimentadas”.

Segundo as estatísticas, na região, 23% das mortes do primeiro semestre deste ano aconteceram entre jovens de 18 a 29 anos, o que representa 22 óbitos. As principais vítimas dos acidentes de trânsito continuam sendo os homens, que correspondem por 80,2% dos casos – total de 77 mortes.

No Estado, a queda no número de mortes foi de 25,71% no primeiro semestre deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Passou de 2.754 para 2.046.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;