Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Maridite admite possibilidade de ser vice de Lauro em 2016

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

14/12/2015 | 07:00


Terceira colocada na corrida pelo Paço de Diadema em 2012, a ex-vereadora Maridite Cristóvão de Oliveira (PSDB) admitiu que pode ser a representante tucana a ocupar a vaga de vice na chapa do prefeito Lauro Michels (PV), que buscará a reeleição no ano que vem, conforme especula-se nos bastidores.

Mulher do ex-prefeito José Augusto da Silva Ramos (PSDB) – titular da Saúde do governo Lauro –, Maridite teve o nome destacado pela cúpula tucana no Estado, que abdicou de candidatura própria em Diadema para apoiar o verde, na condição de ficar com o posto de vice. Comenta-se, inclusive, que os dirigentes do tucanato querem confirmação oficial de Lauro, que segue protelando definição.

No mês passado, Lauro se comprometeu a dar a vice aos tucanos, em reunião com o secretário da Casa Civil do governo Geraldo Alckmin (PSDB), Edson Aparecido, que também integra executiva estadual da sigla.

“Acho que a ideia (de ser vice) está perto e longe ao mesmo tempo. Vi o meu nome ser comentado de forma natural, principalmente porque fui a candidata do partido na última eleição. Agora, cabe esperar todas as conversas. O PSDB se tornou um aliado de primeira hora para o prefeito e mostrou sua força”, considerou Maridite, que no pleito passado ficou em terceiro lugar – recebeu 21.388 votos (9,48%). No segundo turno, ela anunciou adesão a Lauro e foi fundamental para a vitória contra o então prefeito Mário Reali (PT).

No tucanato diademense, além de Maridite, concorrem à indicação de vice Zé Augusto e o presidente da Câmara, José Dourado. “Na política tudo é possível. Temos nomes e condições de proporcionar ajuda importante no processo. É importante ter cautela e acompanhar a evolução das conversas”, acrescentou Maridite. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Maridite admite possibilidade de ser vice de Lauro em 2016

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

14/12/2015 | 07:00


Terceira colocada na corrida pelo Paço de Diadema em 2012, a ex-vereadora Maridite Cristóvão de Oliveira (PSDB) admitiu que pode ser a representante tucana a ocupar a vaga de vice na chapa do prefeito Lauro Michels (PV), que buscará a reeleição no ano que vem, conforme especula-se nos bastidores.

Mulher do ex-prefeito José Augusto da Silva Ramos (PSDB) – titular da Saúde do governo Lauro –, Maridite teve o nome destacado pela cúpula tucana no Estado, que abdicou de candidatura própria em Diadema para apoiar o verde, na condição de ficar com o posto de vice. Comenta-se, inclusive, que os dirigentes do tucanato querem confirmação oficial de Lauro, que segue protelando definição.

No mês passado, Lauro se comprometeu a dar a vice aos tucanos, em reunião com o secretário da Casa Civil do governo Geraldo Alckmin (PSDB), Edson Aparecido, que também integra executiva estadual da sigla.

“Acho que a ideia (de ser vice) está perto e longe ao mesmo tempo. Vi o meu nome ser comentado de forma natural, principalmente porque fui a candidata do partido na última eleição. Agora, cabe esperar todas as conversas. O PSDB se tornou um aliado de primeira hora para o prefeito e mostrou sua força”, considerou Maridite, que no pleito passado ficou em terceiro lugar – recebeu 21.388 votos (9,48%). No segundo turno, ela anunciou adesão a Lauro e foi fundamental para a vitória contra o então prefeito Mário Reali (PT).

No tucanato diademense, além de Maridite, concorrem à indicação de vice Zé Augusto e o presidente da Câmara, José Dourado. “Na política tudo é possível. Temos nomes e condições de proporcionar ajuda importante no processo. É importante ter cautela e acompanhar a evolução das conversas”, acrescentou Maridite. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;