Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Se acordo vingar, SP pagará R$ 1,3 bi da dívida em juízo



02/04/2015 | 07:00


A proposta defendida pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, de alterar apenas no ano que vem o indexador das dívidas que municípios e Estados mantêm com a União, adiará o alívio nas contas da Prefeitura, mas permitirá que o Município recupere o pagamento feito a mais neste ano, segundo o secretário municipal de Finanças, Marcos Cruz.

Na quarta-feira, 2, ele explicou que o acordo que está sendo costurado por Levy no Senado permite que parte da dívida seja paga em juízo. Nos cálculos do ministro, essa conta equivale a R$ 1,3 bilhão, segundo Cruz.

Desse modo, se a proposta vingar, São Paulo deverá recuperar essa quantia em 2016. Hoje, a parcela anual paga pelo Município é de R$ 4 bilhões. Com a troca do indexador, o saldo devedor cairá de R$ 62 bilhões para R$ 36 bilhões - redução de 42%.

Outro acordo pretendido pelo prefeito Fernando Haddad (PT) diz respeito aos precatórios. Depois de fazer campanha pela renegociação da dívida, o petista inicia agora uma batalha no Congresso, agora pela aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabeleça um teto de 3% sobre a receita para o pagamento dos precatórios. A iniciativa tem como base a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que ordenou que todas as dívidas sejam quitadas até 2020. Caso tenha de cumprir, o gasto da cidade passaria de R$ 1,3 bilhão (3% da receita) para R$ 4 bilhões (10%). "Impossível", segundo Haddad.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Se acordo vingar, SP pagará R$ 1,3 bi da dívida em juízo


02/04/2015 | 07:00


A proposta defendida pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, de alterar apenas no ano que vem o indexador das dívidas que municípios e Estados mantêm com a União, adiará o alívio nas contas da Prefeitura, mas permitirá que o Município recupere o pagamento feito a mais neste ano, segundo o secretário municipal de Finanças, Marcos Cruz.

Na quarta-feira, 2, ele explicou que o acordo que está sendo costurado por Levy no Senado permite que parte da dívida seja paga em juízo. Nos cálculos do ministro, essa conta equivale a R$ 1,3 bilhão, segundo Cruz.

Desse modo, se a proposta vingar, São Paulo deverá recuperar essa quantia em 2016. Hoje, a parcela anual paga pelo Município é de R$ 4 bilhões. Com a troca do indexador, o saldo devedor cairá de R$ 62 bilhões para R$ 36 bilhões - redução de 42%.

Outro acordo pretendido pelo prefeito Fernando Haddad (PT) diz respeito aos precatórios. Depois de fazer campanha pela renegociação da dívida, o petista inicia agora uma batalha no Congresso, agora pela aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabeleça um teto de 3% sobre a receita para o pagamento dos precatórios. A iniciativa tem como base a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que ordenou que todas as dívidas sejam quitadas até 2020. Caso tenha de cumprir, o gasto da cidade passaria de R$ 1,3 bilhão (3% da receita) para R$ 4 bilhões (10%). "Impossível", segundo Haddad.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;