Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 30 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

INSS de Santo André será reformado


Natália Lima
Do Diário do Grande ABC

09/06/2007 | 07:10


A agência do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) vai passar por reformas, segundo o ministro da Previdência Social, Luiz Marinho. O ministro realizou na manhã de ontem uma visita surpresa à unidade do município, que faz parte de uma programação para constatar de perto os problemas e necessidades do órgão publico.

“Isso (as visitas não anunciadas) será freqüente de acordo com os espaços da minha agenda. Pretendo visitar todas as agências da região e do Brasil”, destaca Marinho.

Após a visita, o ministro afirmou que haverá um projeto para adequar a agência e melhorar o atendimento às pessoas. “Faremos também um processo de treinamento e qualificação dos profissionais. Quero que os INSS tenham lugares adequados para oferecer um bom atendimento. Não quero que as pessoas que precisem das agências se sintam como se estivessem indo para um matadouro”, ressalta.

Muitos segurados que aguardavam atendimento no INSS de Santo André tentaram fazer reclamações diretamente ao ministro. “É preciso melhorar a qualidade do tratamento que recebemos dos peritos e funcionários”, destaca Vilma Rosa.

“Essa é uma boa oportunidade de tentar falar para o ministro das injustiças que o Instituto comete”, diz o oficial de telecomunicação Floriano Araújo.

Segundo Marinho, todas as agências do país serão alteradas. “Buscaremos agilidade e um processo de humanização no atendimento dos nossos segurados. Também vamos investir em campanhas de esclarecimentos em todo o Brasil. É preciso que os segurados tenham consciência da diferença entre doença e incapacidade para o trabalho”.

O ministro afirma ainda que a Previdência tem um papel estratégico. “O Brasil é um dos países com maior cobertura social, o INSS e a previdência tem essa grande responsabilidade, inclusive na distribuição de renda. Mas ao mesmo tempo possuímos uma imagem distorcida, o que muitas vezes estimula a agressividade das pessoas a partir de um eventual desespero”, destaca.

PERITO
As reclamações de segurados se voltaram sobretudo contra os peritos-médicos. “Alguns não nos respeitam e são brutos e mal-educados com a gente”, comenta a segurada Sueli Pereira.

Os peritos-médicos se defendem. Em entrevista ao Diário, o perito Alceu Rodrigues informou que já foi agredido verbalmente dentro do consultório e teve os móveis de sua sala chutados por um segurado que teve o benefício negado.

“Falta um esclarecimento à população sobre o que é realmente o nosso trabalho. Mesmo eu sendo educado com o segurado, quando negamos o benefício ele fica nervoso. Agimos de acordo com as regras e normas do INSS.”, destaca Rodrigues.

“O que precisa ficar claro é que os peritos não avaliam doenças e sim a incapacidade para o trabalho. As novas normas de segurança que serão implantadas no Instituto, como as rotas de fugas e detectores de metal, não são soluções, mas ajudam a evitar algumas agressões. O ideal é mais esclarecimentos sobre nossa atuação”, completa.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

INSS de Santo André será reformado

Natália Lima
Do Diário do Grande ABC

09/06/2007 | 07:10


A agência do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) vai passar por reformas, segundo o ministro da Previdência Social, Luiz Marinho. O ministro realizou na manhã de ontem uma visita surpresa à unidade do município, que faz parte de uma programação para constatar de perto os problemas e necessidades do órgão publico.

“Isso (as visitas não anunciadas) será freqüente de acordo com os espaços da minha agenda. Pretendo visitar todas as agências da região e do Brasil”, destaca Marinho.

Após a visita, o ministro afirmou que haverá um projeto para adequar a agência e melhorar o atendimento às pessoas. “Faremos também um processo de treinamento e qualificação dos profissionais. Quero que os INSS tenham lugares adequados para oferecer um bom atendimento. Não quero que as pessoas que precisem das agências se sintam como se estivessem indo para um matadouro”, ressalta.

Muitos segurados que aguardavam atendimento no INSS de Santo André tentaram fazer reclamações diretamente ao ministro. “É preciso melhorar a qualidade do tratamento que recebemos dos peritos e funcionários”, destaca Vilma Rosa.

“Essa é uma boa oportunidade de tentar falar para o ministro das injustiças que o Instituto comete”, diz o oficial de telecomunicação Floriano Araújo.

Segundo Marinho, todas as agências do país serão alteradas. “Buscaremos agilidade e um processo de humanização no atendimento dos nossos segurados. Também vamos investir em campanhas de esclarecimentos em todo o Brasil. É preciso que os segurados tenham consciência da diferença entre doença e incapacidade para o trabalho”.

O ministro afirma ainda que a Previdência tem um papel estratégico. “O Brasil é um dos países com maior cobertura social, o INSS e a previdência tem essa grande responsabilidade, inclusive na distribuição de renda. Mas ao mesmo tempo possuímos uma imagem distorcida, o que muitas vezes estimula a agressividade das pessoas a partir de um eventual desespero”, destaca.

PERITO
As reclamações de segurados se voltaram sobretudo contra os peritos-médicos. “Alguns não nos respeitam e são brutos e mal-educados com a gente”, comenta a segurada Sueli Pereira.

Os peritos-médicos se defendem. Em entrevista ao Diário, o perito Alceu Rodrigues informou que já foi agredido verbalmente dentro do consultório e teve os móveis de sua sala chutados por um segurado que teve o benefício negado.

“Falta um esclarecimento à população sobre o que é realmente o nosso trabalho. Mesmo eu sendo educado com o segurado, quando negamos o benefício ele fica nervoso. Agimos de acordo com as regras e normas do INSS.”, destaca Rodrigues.

“O que precisa ficar claro é que os peritos não avaliam doenças e sim a incapacidade para o trabalho. As novas normas de segurança que serão implantadas no Instituto, como as rotas de fugas e detectores de metal, não são soluções, mas ajudam a evitar algumas agressões. O ideal é mais esclarecimentos sobre nossa atuação”, completa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;