Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Juíza nega que homenagem ajudou absolvição de Minami


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

26/04/2013 | 07:00


A juíza Ana Lúcia Siqueira de Figueiredo, titular da 174ª zona eleitoral de São Bernardo, rechaçou que a homenagem recebida do ex-presidente da Câmara Hiroyuki Minami (PSDB) interferiu no julgamento de ação contra o tucano por suspeita de compra de votos durante a eleição.

Homenageada em uma das placas de mármore instaladas no novo prédio do Legislativo, ela absolveu o vereador. Segundo a magistrada, sua decisão foi independente da solenidade e teve base no parecer do promotor eleitoral Jairo Edward de Luca, que manifestou pelo arquivamento do processo que investigava Minami.

"Ela sequer sabia que seu nome estaria em uma das placas. A única coisa que ela fez foi solicitar o prédio para realização da cerimônia de diplomação. Apenas isso", disse o advogado Luiz José Moreira Salata, coordenador da comissão de direitos e prerrogativas da seccional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), que conversou informalmente com Ana Lúcia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Juíza nega que homenagem ajudou absolvição de Minami

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

26/04/2013 | 07:00


A juíza Ana Lúcia Siqueira de Figueiredo, titular da 174ª zona eleitoral de São Bernardo, rechaçou que a homenagem recebida do ex-presidente da Câmara Hiroyuki Minami (PSDB) interferiu no julgamento de ação contra o tucano por suspeita de compra de votos durante a eleição.

Homenageada em uma das placas de mármore instaladas no novo prédio do Legislativo, ela absolveu o vereador. Segundo a magistrada, sua decisão foi independente da solenidade e teve base no parecer do promotor eleitoral Jairo Edward de Luca, que manifestou pelo arquivamento do processo que investigava Minami.

"Ela sequer sabia que seu nome estaria em uma das placas. A única coisa que ela fez foi solicitar o prédio para realização da cerimônia de diplomação. Apenas isso", disse o advogado Luiz José Moreira Salata, coordenador da comissão de direitos e prerrogativas da seccional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), que conversou informalmente com Ana Lúcia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;