Cena Política

Insurgência com nomes para deputado


A formação do time de potenciais candidatos a deputado para o processo eleitoral de 2022 com a bênção do governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), tem provocado insurgência de aliados a um ano e meio da disputa. Integrantes do primeiro escalão andreense, Marcelo Chehade (PSDB, Esportes) e Donizeti Pereira (PV, unidade de apoio governamental), além do vereador Professor Jobert Minhoca (PSDB, líder do Paço na Câmara), já manifestaram publicamente a intenção e devem passar por ‘crivo’ do líder tucano municipal, que tende a ter trabalho no decorrer do exercício para, fora se preocupar com o recrudescimento da pandemia de Covid-19, acalmar ânimos e aparar arestas. Isso porque ex-postulantes a cargos eletivos, hoje na condição de assessores de gabinete, por exemplo, consideram que também podem entrar na concorrência diante do cenário. Certo é que Santo André necessita de representantes nos parlamentos estadual e nacional, só que haverá dificuldade em unir o grupo em torno de consenso.

BASTIDORES

Anuladas
O Instituto Lula entrou em contato com esta coluna para contestar a informação de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não tenha sido inocentado, lembrando que o ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), anulou as condenações do petista nos processos da Lava Jato, em Curitiba – julgou a 13ª Vara Federal incompetente para a análise, transferindo-os para Brasília. “O ex-presidente teve os processos onde havia sido condenado anulados. Se o ex-presidente não tem nenhuma condenação, ele é inocente, como qualquer pessoa que não tem nenhum tipo de condenação”, aponta a nota.

Reaproximação
Os prefeitos de Santo André, Paulo Serra, e de São Bernardo, Orlando Morando, ambos do PSDB, se reaproximaram, recentemente, após período distantes. A informação que se confirma nos bastidores é que os tucanos, com histórico de ligação e que detêm o poder das maiores cidades do Grande ABC, têm mantido conversas regulares, praticamente diárias, até por conta da relação de medidas de enfrentamento ao momento delicado de gravidade da pandemia de Covid-19.

Três dias
A Prefeitura de Santo André, chefiada por Paulo Serra (PSDB), decretou luto oficial de três dias na cidade em decorrência da morte do ex-vereador Jurandir Gallo (PT), que exerceu mandato na Câmara por 12 anos e foi vítima de complicações de um AVC (Acidente Vascular Cerebral). O tucano, aliás, ocupou cadeira no Legislativo concomitantemente com o petista por duas legislaturas. A medida do luto formal se deu nos mesmos moldes do falecimento da parlamentar Marilda Brandão (PSD). A pessedista foi a óbito após diagnóstico de Covid-19.

Mais um luto
Ex-vereador de Diadema, Orlando Aníbal morreu ontem aos 81 anos, mais uma vítima da Covid-19. Servidor público civil aposentado, Aníbal (sem partido, com passagens por MDB, PDT, PMN, Prona, PL e PTB) ocupou assento no Legislativo por cinco mandatos, iniciados no fim dos anos 1970 – o último entre 2001 e 2004. A Câmara emitiu nota manifestando profundo pesar pela notícia. “Enviamos nossas condolências e muita força à família para superar esse momento de dor”, afirmou, estendendo pedido com a hashtag #fiqueemcasa.

Pai de Claudinho
Pai de Claudinho da Geladeira (Podemos), prefeito de Rio Grande da Serra, Manoel Custódio de Melo morreu ontem aos 75 anos. A causa oficial do falecimento foi insuficiência cardíaca congestiva. Popularmente conhecido como sr. Chic Chic, ele estava prestes a fazer aniversário (dia 22 de março). O Paço manifestou “muito pesar” com a informação. “A Prefeitura de Rio Grande, em nome de todos os servidores, lamenta o ocorrido e deseja que todos os familiares e amigos encontrem forças para superar esse momento tão difícil.” 

Comentários


Veja Também


Voltar