Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 30 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Pelo menos 20 imóveis são evacuados no Jd.Sto.André

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

27/02/2019 | 07:00


 Cerca de 20 famílias residentes de núcleos carentes do Jardim Santo André, situado no extremo do território andreense, abandonaram ontem suas casas após forte chuva danificar parte das moradias em áreas de risco do bairro.

Abrigadas temporariamente na associação de moradores da comunidade e em casa de parentes, as famílias afetadas afirmam que o temporal causou rachaduras e danos estruturais em barracos construídos nos núcleos Missionário, ABB (antigo clube do Banco do Brasil) e Cruzado.

De acordo com a Associação Beneficente do Jardim Santo André e Adjacências, cerca de 80 moradias ficaram destelhadas devido à forte chuva, sendo que em 66 imóveis irregulares a Defesa Civil da cidade, junto com a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), improvisam lona na cobertura para evitar enchentes.

Moradora no núcleo do Cruzado há dois anos, a berçarista Tatiane Otilia de Souza, 38 anos, teve de abandonar seu imóvel ainda de madrugada, quando vento forte destelhou todo seu barraco. “Nunca vi um vento tão forte na minha vida. Foi o tempo de a gente pedir socorro e sair de casa largando tudo para trás. Durante a saída uma telha chegou a cair na cabeça da minha neta, mas por sorte saímos sem ferimentos. Desde então estamos aqui na espera de vistoria da Defesa Civil. E mesmo assim ninguém veio aqui ajudar. Só virão quando um caixão sair daqui.”

A dona de casa Maria Aucirene Pereira Moura, 33, que também mora na comunidade, foi afetada pelo incidente. Com a força da chuva, uma rachadura se abriu no chão do seu barraco. “Minha casa está com um buraco dividindo ela em duas. Pior de tudo é que não temos para onde ir”, desabafa.

Por meio de nota, a Prefeitura de Santo André informou que as moradias em risco foram interditadas e as famílias que necessitam de algum auxílio estão sendo encaminhadas para a assistência social para atendimento.

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pelo menos 20 imóveis são evacuados no Jd.Sto.André

Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

27/02/2019 | 07:00


 Cerca de 20 famílias residentes de núcleos carentes do Jardim Santo André, situado no extremo do território andreense, abandonaram ontem suas casas após forte chuva danificar parte das moradias em áreas de risco do bairro.

Abrigadas temporariamente na associação de moradores da comunidade e em casa de parentes, as famílias afetadas afirmam que o temporal causou rachaduras e danos estruturais em barracos construídos nos núcleos Missionário, ABB (antigo clube do Banco do Brasil) e Cruzado.

De acordo com a Associação Beneficente do Jardim Santo André e Adjacências, cerca de 80 moradias ficaram destelhadas devido à forte chuva, sendo que em 66 imóveis irregulares a Defesa Civil da cidade, junto com a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), improvisam lona na cobertura para evitar enchentes.

Moradora no núcleo do Cruzado há dois anos, a berçarista Tatiane Otilia de Souza, 38 anos, teve de abandonar seu imóvel ainda de madrugada, quando vento forte destelhou todo seu barraco. “Nunca vi um vento tão forte na minha vida. Foi o tempo de a gente pedir socorro e sair de casa largando tudo para trás. Durante a saída uma telha chegou a cair na cabeça da minha neta, mas por sorte saímos sem ferimentos. Desde então estamos aqui na espera de vistoria da Defesa Civil. E mesmo assim ninguém veio aqui ajudar. Só virão quando um caixão sair daqui.”

A dona de casa Maria Aucirene Pereira Moura, 33, que também mora na comunidade, foi afetada pelo incidente. Com a força da chuva, uma rachadura se abriu no chão do seu barraco. “Minha casa está com um buraco dividindo ela em duas. Pior de tudo é que não temos para onde ir”, desabafa.

Por meio de nota, a Prefeitura de Santo André informou que as moradias em risco foram interditadas e as famílias que necessitam de algum auxílio estão sendo encaminhadas para a assistência social para atendimento.

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;