Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Trump sugere que vai acabar com o Nafta



23/08/2017 | 01:10


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje que não acha que seu país poderá fechar um acordo sobre a renegociação do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês), com o Canadá e o México.

"Acho que vamos ter de acabar com o Nafta", disse o presidente durante discurso no comício em Phoenix, Arizona. Trump voltou a defender as políticas protecionistas de seu governo e disse que o Canadá "e principalmente o México" se aproveitaram de acordos que os beneficiaram em detrimento do crescimento econômico dos EUA.

"Nós nos tornamos exportadores de energia pela primeira vez na história, recentemente". "Somos a nação que construiu o canal do Panamá, venceu duas guerras mundiais, pôs o homem na lua e derrotou o comunismo", afirmou o presidente em seu discurso patriótico.

O republicano voltou a falar de seus planos para melhorar a infraestrutura dos EUA. "Vamos construir pontes, rodovias, hidrovias, lindas obras de arte com mãos americanas". "Vamos comprar produtos americanos e contratar americanos". "Não vamos deixar que outros países fechem nossas fábricas, roubem nossos empregos e drenem nossas riquezas".

Ele também reiterou que vai baixar os impostos para a classe média e pediu a colaboração de congressistas. O presidente atacou críticos de seu governo e acusou os democratas de obstruírem, no Congresso, projetos de lei sobre saúde.

Após fazer duras críticas à imprensa e se defender de acusações de racismo, na esteira da manifestação violenta de supremacistas brancos em Charlottesville, Trump reiterou a promessa de construir o muro na fronteira com o México, arrancando aplausos da plateia entusiasmada.

Ele também defendeu sua abordagem com o regime do líder norte-coreano, Kim Jong Un, com quem trocou ameaças de ação militar recentemente. "eu começo a acreditar que Kim Jong Un está começando a nos respeitar", disse. (Matheus Maderal - matheus.maderal@estadao.com)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Trump sugere que vai acabar com o Nafta


23/08/2017 | 01:10


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje que não acha que seu país poderá fechar um acordo sobre a renegociação do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês), com o Canadá e o México.

"Acho que vamos ter de acabar com o Nafta", disse o presidente durante discurso no comício em Phoenix, Arizona. Trump voltou a defender as políticas protecionistas de seu governo e disse que o Canadá "e principalmente o México" se aproveitaram de acordos que os beneficiaram em detrimento do crescimento econômico dos EUA.

"Nós nos tornamos exportadores de energia pela primeira vez na história, recentemente". "Somos a nação que construiu o canal do Panamá, venceu duas guerras mundiais, pôs o homem na lua e derrotou o comunismo", afirmou o presidente em seu discurso patriótico.

O republicano voltou a falar de seus planos para melhorar a infraestrutura dos EUA. "Vamos construir pontes, rodovias, hidrovias, lindas obras de arte com mãos americanas". "Vamos comprar produtos americanos e contratar americanos". "Não vamos deixar que outros países fechem nossas fábricas, roubem nossos empregos e drenem nossas riquezas".

Ele também reiterou que vai baixar os impostos para a classe média e pediu a colaboração de congressistas. O presidente atacou críticos de seu governo e acusou os democratas de obstruírem, no Congresso, projetos de lei sobre saúde.

Após fazer duras críticas à imprensa e se defender de acusações de racismo, na esteira da manifestação violenta de supremacistas brancos em Charlottesville, Trump reiterou a promessa de construir o muro na fronteira com o México, arrancando aplausos da plateia entusiasmada.

Ele também defendeu sua abordagem com o regime do líder norte-coreano, Kim Jong Un, com quem trocou ameaças de ação militar recentemente. "eu começo a acreditar que Kim Jong Un está começando a nos respeitar", disse. (Matheus Maderal - matheus.maderal@estadao.com)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;