Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Para Ailton, Sto.André tem de parar de eleger prefeito sem noção de gestão

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Vereador do Solidariedade busca quebrar polarização no pleito andreense


Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

16/08/2016 | 07:00


Pela primeira vez na corrida pela Prefeitura de Santo André, o vereador Ailton Lima (SD) afirmou que a cidade precisa “parar de eleger só lideranças carismáticas”, mas que “pouco têm noção de gestão”. O parlamentar de dois mandatos avaliou ser improvável que a polarização entre o prefeito Carlos Grana (PT) e o ex-prefeito Aidan Ravin (PSB) continue até o fim do primeiro turno, no dia 2 de outubro.

“Santo André tem apostado muito em prefeito com pouca noção de gestão, de administração. A cidade respira por aparelhos porque parou de arrecadar muito por causa da evasão de empresas. Isso condenou as finanças do município. O último grande gestor de Santo André foi Celso Daniel (PT, morto em 2002)”, pontuou Ailton, em visita à sede do Diário. O nome do Solidariedade no pleito assegurou que, se eleito, fará auditoria nas contas públicas e de imediato vai cortar 15% do custeio da máquina pública.

Na busca por quebrar a polarização entre Aidan e Grana, Ailton não poupou críticas aos adversários. “Os dois falam muito em campanha anti isso, anti aquilo. Um (Grana) vem com mote de não ter corrupção, mas isso não é qualidade, é obrigação. Ao Aidan falta conteúdo. Tanto que ele teve a oportunidade (governou Santo André entre 2009 e 2012) e a cidade o tirou”, citou Ailton, que foi líder do governo Aidan até 2012, quando houve o rompimento político. Na Câmara, Ailton sempre se portou como oposição ao PT.

Para o parlamentar, o município hoje necessita de “nova opção” e que há tempo para que o eleitor andreense conheça todos os quadros políticos. “Logo a cidade vai perceber que há outros projetos, alternativas. Por isso a campanha deles (Aidan e Grana) vai encolher”, vislumbrou o vereador. Neste ano haverá tempo menor de campanha: o primeiro turno terá somente 45 dias.

Fora da disputa pela Câmara, Ailton projetou eleição de três a quatro nomes do Solidariedade no Legislativo – hoje há os vereadores Elian Santana e Sargento Lobo. Seu vice é o ex-vereador Gilberto Primavera (SD). 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Para Ailton, Sto.André tem de parar de eleger prefeito sem noção de gestão

Vereador do Solidariedade busca quebrar polarização no pleito andreense

Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

16/08/2016 | 07:00


Pela primeira vez na corrida pela Prefeitura de Santo André, o vereador Ailton Lima (SD) afirmou que a cidade precisa “parar de eleger só lideranças carismáticas”, mas que “pouco têm noção de gestão”. O parlamentar de dois mandatos avaliou ser improvável que a polarização entre o prefeito Carlos Grana (PT) e o ex-prefeito Aidan Ravin (PSB) continue até o fim do primeiro turno, no dia 2 de outubro.

“Santo André tem apostado muito em prefeito com pouca noção de gestão, de administração. A cidade respira por aparelhos porque parou de arrecadar muito por causa da evasão de empresas. Isso condenou as finanças do município. O último grande gestor de Santo André foi Celso Daniel (PT, morto em 2002)”, pontuou Ailton, em visita à sede do Diário. O nome do Solidariedade no pleito assegurou que, se eleito, fará auditoria nas contas públicas e de imediato vai cortar 15% do custeio da máquina pública.

Na busca por quebrar a polarização entre Aidan e Grana, Ailton não poupou críticas aos adversários. “Os dois falam muito em campanha anti isso, anti aquilo. Um (Grana) vem com mote de não ter corrupção, mas isso não é qualidade, é obrigação. Ao Aidan falta conteúdo. Tanto que ele teve a oportunidade (governou Santo André entre 2009 e 2012) e a cidade o tirou”, citou Ailton, que foi líder do governo Aidan até 2012, quando houve o rompimento político. Na Câmara, Ailton sempre se portou como oposição ao PT.

Para o parlamentar, o município hoje necessita de “nova opção” e que há tempo para que o eleitor andreense conheça todos os quadros políticos. “Logo a cidade vai perceber que há outros projetos, alternativas. Por isso a campanha deles (Aidan e Grana) vai encolher”, vislumbrou o vereador. Neste ano haverá tempo menor de campanha: o primeiro turno terá somente 45 dias.

Fora da disputa pela Câmara, Ailton projetou eleição de três a quatro nomes do Solidariedade no Legislativo – hoje há os vereadores Elian Santana e Sargento Lobo. Seu vice é o ex-vereador Gilberto Primavera (SD). 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;