Fechar
Publicidade

Sábado, 31 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Brotas também tem calmaria

Celso Luiz Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Além das atividades radicais, a cidade oferece opções para quem quer sossego


Renato Gerbelli
Enviado a Brotas

28/08/2014 | 07:00


Celso Luiz

Nem só de esportes radicais vive Brotas. Os turistas em busca de horas relaxantes encontram diversas atividades na cidade. Banhos de cachoeiras estão na topo da lista. Elas estão presentes em vários parques e fazendas. No Recanto das Cachoeiras, por exemplo, o turista tem direito ao day use por R$ 35. O pacote inclui passeio em até duas cachoeiras, salão de jogos, piscina e estacionamento. Com caminhada de 15 minutos, o visitante passa pelas cachoeiras Roseira e Santo Antonio, onde pode ficar debaixo da queda-d’água e nadar no rio. Além disso, quem for ao sítio tem a chance de apreciar linda vista do mirante panorâmico.

No mesmo local, é possível fazer a cavalgada, com duas horas e meia de duração, e tem acesso exclusivo à cachoeira das Lebres. O passeio custa R$ 69 (sem direito ao day use). Já no Arvomix, por R$ 125 (day use), o visitante pode se aventurar no arvorismo, tirolesa e rapel em frente à cachoeira Roseira. Por fim, o Recanto das Cachoeiras ainda proporciona o passeio da Trilha da Pedra Branca (R$ 63, day use) que, após 3 quilômetros e meio de caminhada em mata fechada, leva o visitante até o Rio Jacaré-Pepira, onde se pode pular da Pedra Branca e nadar no rio.

Quem for a Brotas não pode deixar de ir até a nascente da Areia que Canta. Localizada no hotel fazenda que leva o mesmo nome, a nascente produz de 60 mil a 70 mil litros de água límpida por hora e forma uma piscina de dez metros de diâmetro em meio à mata nativa. A curiosidade, porém, fica por conta da areia que, quando esfregada com as mãos ‘canta’, fazendo o som de uma cuíca. A explicação técnica é que a areia é composta por 100% de quartzo (material utilizado para produzir vidro) e, por isso, faz o som característico quando friccionada.

O visitante também tem a oportunidade de entrar na nascente e pisar exatamente no lugar em que a água brota. Lá, ele terá a sensação de estar em areia movediça, já que afunda até o joelho. No outro ponto, o turista vai sentir a água brotando abaixo dos pés. Depois, é possível desfrutar das quedas-d’água e mergulhar no Rio Tamanduá, que passa pela fazenda. O passeio na nascente Areia que Canta custa R$ 40. O Hotel Fazenda, entre outras atividades, ainda oferece a cavalgada, pelo mesmo preço, e trilhas na mata com almoço incluso, também por R$ 40.

Para realizar as trilhas até cachoeiras e quedas-d’água de Brotas, é recomendável que o turista utilize tênis confortável, que possa sujar e molhar. O repelente é outro item indispensável, até mais importante que o protetor solar, já que, enquanto as copas das árvores protejem o visitante do sol, os insetos não perdoam.

HOSPEDAGEM
O destino oferece variadas opções de estadia. Para quem pretende economizar e investir nos passeios, uma pousada com café da manhã incluso no Centro da cidade cobra a partir de R$ 60 a diária. O município também conta com hotéis mais sofisticados com quadras de tênis, poliesportiva, campo de futebol, piscina, animais e diversas atividades lúdicas.

O Brotas Eco Resort, por exemplo, tem parceria com a Fundação CEU (Centro de Estudos do Universo) e oferece até um planetário com telescópio. As diárias, porém, são salgadas e ficam por volta de R$ 500 em alguns locais e superam R$ 1.000 em outros. Ao passar por Brotas, também é impossível não perceber a influência do cantor sertanejo Daniel no município. Nos comércios e hotéis não é raro encontrar quadros da figura ilustre da cidade.

 

Morador recomenda turismo radical - Nascido e criado em Brotas, o motorista Ricardo Tessari, 49 anos, destacou os pontos positivos do município e demonstrou gostar de morar no local, principalmente pela típica tranquilidade encontrada nas cidades do interior paulista. “Gosto de viver em Brotas por ser uma cidade muito pacata e por ter a paz que a cidade grande não proporciona. Aqui todo mundo conhece todo mundo. É um lugar calmo e simples de viver”, disse.

Para o turista que passar pelo município, Tessari recomendou que o visitante esqueça o clima de sossego dos moradores e das ruas de Brotas e faça todas as atividades de aventura que a cidade, reconhecida como uma estância turística, proporciona. “Recomendo que o visitante faça o turismo de aventura, principalmente o rafting que, na minha opinião, é a atividade mais divertida daqui.”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;