Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Os viciados em trabalho

Você continua pensando no trabalho mesmo quando chega em casa? Fique atento, pois você pode estar se tornando um workaholic


Cíntia Bortotto

28/03/2011 | 00:00


Você continua pensando no trabalho mesmo quando chega em casa? Você acorda à noite pensando em algum compromisso do trabalho, projeto ou resultado que precisa ser alcançado? Você tem se distanciado de seu companheiro, filhos, pais, amigos e percebe que sempre é o mesmo motivo - o trabalho? Se você respondeu sim a essas perguntas, fique atento, pois você pode estar ficando viciado em trabalho, ou seja, pode ter se tornado um workaholic.

Workaholics também são conhecidos como trabalhadores compulsivos ou dependentes do trabalho. O workaholic sempre existiu, mas, nos últimos anos, o número de pessoas com esse problema passou a ser maior pela competitividade do mundo corporativo ou até mesmo pela ganância de certos indivíduos. Muitas vezes, a dependência pelo trabalho nasce de uma necessidade que o indivíduo tem de provar algo para si mesmo ou para alguém, por exemplo, que pode fazer determinado projeto, ou que pode ser promovido, entre outros.

Em geral, o processo de se tornar um workaholic se dá de duas maneiras. Em primeiro lugar, pode ocorrer por conta da necessidade. Nesse caso, muitas vezes o início ocorre porque a pessoa não ganhava o suficiente trabalhando numa carga considerada normal, ou seja, uma jornada de 8 horas diárias. A pessoa começou então a trabalhar mais, às vezes com horas extras, às vezes em dois empregos e se acostumou a isso. Como quer sempre se mostrar capaz de dar conta de tudo, continuou com o ritmo acelerado e nem pensa em diminuir.

Uma outra porta de entrada para esse problema pode ser uma tentativa exagerada de provar para si ou para os outros de que é capaz - e este tipo de workaholic é bem comum no mercado corporativo. Em geral, há uma necessiadade de se provar que é possível ser promovido, ou escolhido para fazer um trabalho ou ser bem visto. O problema ocorre quando não se tem limite para isso. Workaholics podem trabalhar até de madrugada ou virar a noite porque querem entregar algo, podem ficar meses sem ir ao dentista ou aos médicos de rotina, porque não podem parar um segundo em nome da saúde. Assim, o único pilar da vida passa a ser o trabalho.

PERIGOS

Os danos pessoais mais comuns estão ligados à saúde, ou seja, a pessoa começa a ficar doente. Gastrites, crises de insônia, impotência sexual, falta de apetite, são alguns dos principais sinais. Para a família e amigos, o dano mais comum é a falta de convivência e todas as consequências que isto pode gerar. Distanciamento nas relações com o cônjuge, filhos, pais, separações, ausência em momentos importantes da vida de quem se ama, gerando a falta de credibilidade por parte do outro, falta de entendimento sobre o que ocorre na vida do outro.

Para evitar este processo, é preciso encontrar outras motivações que não apenas o trabalho. Ter autoestima forte também ajuda, pois você não tem de fazer tudo exatamente na hora em que pedem: pode aprender a negociar tanto prazos quanto o que é esperado. Saber se colocar sem ter medo de perder o emprego ou ser mal interpretado pode ajudá-lo.

Outro ponto importante é marcar compromissos como inglês, academia e jantares em horários logo após o expediente, assim você se obriga a sair no horário. Resista à tentação de desmarcar ou remarcar. Mais uma dica é começar uma atividade física, ou intensificar se você já faz uma. Isso fará com que você consiga se concentrar mais e render mais durante o dia de trabalho, evitando horas extras após o expediente.

A SAÍDA

Se você já caiu nesse esquema e está sofrendo por estar viciado no seu trabalho, não se desespere. Segue uma lista dos dez passos para deixar de ser um workaholic.

1)TBPeça ajuda para chefes e subordinados;

2)TBNão faça atividades de análise após o expediente;

3)TBReserve parte da agenda do dia para análise, gestão de pessoas e projetos importantes, mesmo que você tenha muitas reuniões;

4)TBAprenda a dizer não;

5)TBRe-priorize, delegue;

6)TBDiferencie o urgente do importante;

7)TBVeja onde, de fato, você faz a diferença e coloque sua energia aí;

8)TBRespeite você em primeiro lugar, chegue no horário e saia no horário;

9)TBFaça terapia se perceber que tem problema de autoestima ou se começar a duvidar de você mesmo;

10) Identifique desperdiçadores de tempo e os elimine; não perca tempo com atividades que não agregam valor.

Lembre-se: não coloque todo o foco de sua vida em um só pilar, pois se esse ruir, a probabilidade de uma depressão é enorme. Divida sua energia em vários setores, como família, lazer, o lado espiritual, trabalho, amigos, atividades físicas, etc. Com autoconhecimento e autopercepção é possível chegar ainda mais longe de forma saudável. Siga confiante e boa sorte!



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;