Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 14 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Júlio César chama a responsabilidade para si


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

02/05/2010 | 07:25


Capitão do time, jogador mais velho do elenco, com 31 anos, experiência de sobra e único do grupo a conquistar a Copa do Brasil pelo Ramalhão em 2004: esse é Júlio César. Hoje, contra o Santos, o goleiro chama a responsabilidade para si, garante que não vai tomar gols, confia no Santo André e quer comemorar o título ao apito final.

O jogador foi um dos principais responsáveis, se não o maior, por levar o time à final do Paulistão. Não fossem as providenciais defesas na segunda partida semifinal contra o Grêmio Prudente, hoje o Ramalhão estaria apenas assistindo a tudo pela TV. "Vou assumir a responsabilidade e passar tranquilidade aos meus companheiros, para que pensem que é possível reverter essa situação", disse Júlio César.

A vantagem nessa final é toda santista. Podendo perder por até um gol de diferença, o time da Vila Belmiro tem posição mais confortável. O goleiro andreense, no entanto, espera fazer a diferença, segurar tudo atrás e tranquilizar a vida dos atacantes Nunes e Rodriguinho. "Espero demais. Vou fazer de tudo por um jogo perfeito, sem tomar gols, o que estou devendo ao time", comentou - o Ramalhão só não sofreu gols neste Paulistão contra Portuguesa e Monte Azul, enquanto o ataque não passou em branco nenhuma vez. "Se fizerem dois gols, podem ficar tranquilos que vou segurar tudo aqui atrás e a gente sai com o título", emendou.

O jogador também é adepto da ideia que o Santo André tem de explorar o peso que está depositado sobre o Peixe e cita um exemplo recente pelo qual o próprio Ramalhão passou. "Somos franco atiradores. Vivemos essa situação que o Santos vive no segundo jogo da semifinal contra o Grêmio Prudente (quando no Bruno Daniel lotado recebeu o adversário podendo perder por até um gol) e vimos no que deu, a dificuldade que tivemos para conquistar a vaga para a final (acabou derrotado por 2 a 1)."

Conhecido por ser estudioso, Júlio César explicou o que o Ramalhão tem de repetir e abolir em relação ao primeiro duelo da final. "Marcar muito forte o meio-campo deles, encostar nos homens de meio e não dar os contra-ataques, que foi o que deixamos de fazer naqueles 15 minutos no segundo tempo. Se conseguirmos fazer tudo certinho, dá para trazer o título.", concluiu o camisa um.

Sustos - No rachão de ontem, o goleiro teve um choque com Alê e levou a pior: o volante acertou uma dedada em seu olho (semelhante a de Neymar) e virou dúvida para a partida. O departamento médico do Santo André corre contra o tempo para deixá-lo em condições. "Ele está em tratamento intensivo, fazendo compressa, colocando remédio e passará por avaliação do oftalmologista amanhã (hoje)", explicou o médico do clube, Rui de Oliveira.

Outro que se machucou na atividade foi Cicinho, que torceou o joelho direito. Rômulo pode substitui-lo.

Sérgio Soares aposta que os mais experientes farão diferença
Um dos maiores trunfos do Santo André no Campeonato Paulista, coincidentemente ou não, foi o fato da mudança de filosofia do clube: deixar de lado os medalhões e apostar na garotada. Não à toa, a média de idade caiu de 32 para 23 anos do ano passado para este. Seria natural julgar que, neste momento de decisão, a juventude prejudicasse o Ramalhão, mas Sérgio Soares não pensa assim. O técnico tem suas armas no elenco e depoista confiança neles.

"Nosso elenco amadureceu muito rápido durante o campeonato. Foi necessário. Alguns jogadores são jovens, mas já tiveram situações de decisão, como o Alê, pelo São Paulo, o Carlinhos e o Halisson pelo Santos, e o Júlio César no próprio Santo André. Esses atletas vão dar o caminho aos demais e estou muito tranquilo quanto a isso", disse Sérgio Soares.

Torcida - Diferentemente do primeiro jogo, quando ônibus sairam de Santo André rumo ao Pacaembu de três pontos (Craisa, Paço Municipal e Bruno Daniel), hoje o esquema é outro. A caravana (gratuita) rumo a São Paulo estará concentrada no Brunão, com saída prevista para as 12h.

Todos os torcedores que já compraram ingresso terão direito ao transporte, independentemente de quantos ônibus sejam necessários.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Júlio César chama a responsabilidade para si

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

02/05/2010 | 07:25


Capitão do time, jogador mais velho do elenco, com 31 anos, experiência de sobra e único do grupo a conquistar a Copa do Brasil pelo Ramalhão em 2004: esse é Júlio César. Hoje, contra o Santos, o goleiro chama a responsabilidade para si, garante que não vai tomar gols, confia no Santo André e quer comemorar o título ao apito final.

O jogador foi um dos principais responsáveis, se não o maior, por levar o time à final do Paulistão. Não fossem as providenciais defesas na segunda partida semifinal contra o Grêmio Prudente, hoje o Ramalhão estaria apenas assistindo a tudo pela TV. "Vou assumir a responsabilidade e passar tranquilidade aos meus companheiros, para que pensem que é possível reverter essa situação", disse Júlio César.

A vantagem nessa final é toda santista. Podendo perder por até um gol de diferença, o time da Vila Belmiro tem posição mais confortável. O goleiro andreense, no entanto, espera fazer a diferença, segurar tudo atrás e tranquilizar a vida dos atacantes Nunes e Rodriguinho. "Espero demais. Vou fazer de tudo por um jogo perfeito, sem tomar gols, o que estou devendo ao time", comentou - o Ramalhão só não sofreu gols neste Paulistão contra Portuguesa e Monte Azul, enquanto o ataque não passou em branco nenhuma vez. "Se fizerem dois gols, podem ficar tranquilos que vou segurar tudo aqui atrás e a gente sai com o título", emendou.

O jogador também é adepto da ideia que o Santo André tem de explorar o peso que está depositado sobre o Peixe e cita um exemplo recente pelo qual o próprio Ramalhão passou. "Somos franco atiradores. Vivemos essa situação que o Santos vive no segundo jogo da semifinal contra o Grêmio Prudente (quando no Bruno Daniel lotado recebeu o adversário podendo perder por até um gol) e vimos no que deu, a dificuldade que tivemos para conquistar a vaga para a final (acabou derrotado por 2 a 1)."

Conhecido por ser estudioso, Júlio César explicou o que o Ramalhão tem de repetir e abolir em relação ao primeiro duelo da final. "Marcar muito forte o meio-campo deles, encostar nos homens de meio e não dar os contra-ataques, que foi o que deixamos de fazer naqueles 15 minutos no segundo tempo. Se conseguirmos fazer tudo certinho, dá para trazer o título.", concluiu o camisa um.

Sustos - No rachão de ontem, o goleiro teve um choque com Alê e levou a pior: o volante acertou uma dedada em seu olho (semelhante a de Neymar) e virou dúvida para a partida. O departamento médico do Santo André corre contra o tempo para deixá-lo em condições. "Ele está em tratamento intensivo, fazendo compressa, colocando remédio e passará por avaliação do oftalmologista amanhã (hoje)", explicou o médico do clube, Rui de Oliveira.

Outro que se machucou na atividade foi Cicinho, que torceou o joelho direito. Rômulo pode substitui-lo.

Sérgio Soares aposta que os mais experientes farão diferença
Um dos maiores trunfos do Santo André no Campeonato Paulista, coincidentemente ou não, foi o fato da mudança de filosofia do clube: deixar de lado os medalhões e apostar na garotada. Não à toa, a média de idade caiu de 32 para 23 anos do ano passado para este. Seria natural julgar que, neste momento de decisão, a juventude prejudicasse o Ramalhão, mas Sérgio Soares não pensa assim. O técnico tem suas armas no elenco e depoista confiança neles.

"Nosso elenco amadureceu muito rápido durante o campeonato. Foi necessário. Alguns jogadores são jovens, mas já tiveram situações de decisão, como o Alê, pelo São Paulo, o Carlinhos e o Halisson pelo Santos, e o Júlio César no próprio Santo André. Esses atletas vão dar o caminho aos demais e estou muito tranquilo quanto a isso", disse Sérgio Soares.

Torcida - Diferentemente do primeiro jogo, quando ônibus sairam de Santo André rumo ao Pacaembu de três pontos (Craisa, Paço Municipal e Bruno Daniel), hoje o esquema é outro. A caravana (gratuita) rumo a São Paulo estará concentrada no Brunão, com saída prevista para as 12h.

Todos os torcedores que já compraram ingresso terão direito ao transporte, independentemente de quantos ônibus sejam necessários.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;