Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

‘Fórum de Sto.André precisa crescer’,afirma novo diretor


Renan Cacioli
Do Diário do Grande ABC

12/02/2006 | 09:31


O novo diretor do Fórum Ministro Raphael de Barros Monteiro - Comarca de Santo André, juiz João Antunes dos Santos Neto, aponta um dos principais desafios que terá pela frente: fazer o Judiciário da cidade crescer, no sentido literal da palavra. Neto receberá seis novos juízes para trabalhar no mês que vem, e quebra a cabeça para encontrar espaço dentro do prédio.

  

“Eu não diria que o Fórum está obsoleto. Ele precisa crescer”, afirmou o juiz, que se não bastasse ter de enfrentar o problema físico também se depara com outra questão: o conjunto arquitetônico do Paço Municipal é tombado pelo patrimônio histórico, e isso não permite que se façam reformas, nem seja alterada a concepção arquitetônica do prédio. “Aqui não dá para crescer mais. E as modificações na divisão interna do espaço já estão chegando ao seu limite máximo. Talvez a única solução seja o espaço subterrâneo”, lamentou Neto.

Solução – Desta forma, o juiz se vê diante de uma solução-problema: ao mesmo tempo que a chegada de novos profissionais o auxiliará na demanda crescente de trabalho, Neto precisa pensar aonde eles serão instalados. Mesmo assim, não reclama e quer implementar o funcionamento das novas varas já criadas. “Vamos receber seis novos juízes, sendo que dois são titulares de Vara de Fazenda Pública, que nós não tínhamos. E também chegarão mais quatro juízes auxiliares para ajudar na condução dos processos”, ressaltou Neto.

  

Ele destacou que a demanda atual do Fórum está bem acima do número de profissionais. São 19 juízes responsáveis por mais de 10 mil processos cada. “Só a título comparativo, em países desenvolvidos da Europa e nos Estados Unidos são cerca de 300 a 500 processos por juiz. E isso porque a Comarca de Santo André não está superafogada em processos. Existem outras no Estado de São Paulo em que o número de processos por juiz é bem maior.”

Reformas – Além dos novos juízes prestes a chegar ao Fórum andreense, o juiz João Antunes já pensa nos outros cinco que deverão vir trabalhar na cidade até o fim do ano. Ele destacou que uma solução possível para o caso seria a construção de um anexo fora do Paço Municipal. Mas isso dependeria da aprovação do Estado, já que o Poder Judiciário não possui orçamento próprio.

Outro problema está na lentidão da Justiça brasileira, que atravanca os processos e faz com que o volume de casos aumente nas prateleiras. “Os ritos processuais no Brasil permitem que as partes tenham acesso a um número muito grande de recursos. É um dos poucos países do mundo onde as decisões dos juízes de primeiro grau valem muito pouco. Temos de prestigiá-las mais. Aqui temos praticamente quatro instâncias, diferentemente do que ocorre em outros países”, disse Neto.

  

O juiz Neto, 42 anos, é formado pela Faculdade de Direito de São Bernardo, onde atualmente leciona a disciplina de Direito Administrativo. É mestre e doutor em Direito de Estado pela USP (Universidade de São Paulo) e também dá aulas na Escola Paulista da Magistratura. Ele assume a diretoria do Fórum andreense pela segunda vez – exerceu o cargo entre 1999 e 2002 – conforme designação da presidência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;