Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Justiça obriga Embraer a negociar com sindicatos



27/02/2009 | 08:17


Representantes dos trabalhadores da Embraer se reuniram quinta-feira com o presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Campinas (SP), desembargador Luis Carlos Candido Martins Sotero da Silva. No encontro informal pedido pelos sindicalistas, foi manifestado ao desembargador que a demissão por carta de 4.270 funcionários, na semana passada, é irregular, pois a direção da empresa fez uma dispensa em massa sem negociar com sindicatos.

Os dirigentes da Força Sindical e Conlutas entraram também no TRT de Campinas com pedido de liminar no qual solicitam a reintegração imediata dos trabalhadores dispensados.

De acordo com o presidente da Força e deputado federal, Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho, a reunião com o presidente do TRT foi muito positiva. "Ele nos ouviu e determinou que será realizada uma audiência de conciliação entre a Embraer e os representantes dos trabalhadores na próxima quinta-feira", comentou. "A empresa não quis estabelecer antes um diálogo com os sindicatos para encontrar saídas razoáveis para ambos os lados. Agora, vai ter de abandonar a postura intransigente para negociar na presença da Justiça", afirmou.

Para o coordenador nacional do Conlutas, José Maria de Almeida, a audiência de conciliação determinada pelo TRT indica que a direção da companhia está equivocada pois "prejudicou 4.270 famílias com demissões não justificadas, já que a companhia apresenta bom nível de produção e rentabilidade." Segundo ele, a Embraer fabricou 204 aviões no ano passado e deve negociar outros 242 neste ano. "É uma mentira dizer que a demanda dos clientes caiu com a crise, pois os pedidos não baixaram. O que vai ocorrer é que a recessão mundial não permitirá a concretização da expectativa de vendas muito elevadas para 2009, realizadas, pelos dirigentes da Embraer", disse.

Na avaliação de Paulinho, há boas chances de o TRT-Campinas deferir a liminar para reintegração dos 4.270 funcionários da Embraer. "Poderemos estabelecer um acordo adequado para todos", comentou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Justiça obriga Embraer a negociar com sindicatos


27/02/2009 | 08:17


Representantes dos trabalhadores da Embraer se reuniram quinta-feira com o presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Campinas (SP), desembargador Luis Carlos Candido Martins Sotero da Silva. No encontro informal pedido pelos sindicalistas, foi manifestado ao desembargador que a demissão por carta de 4.270 funcionários, na semana passada, é irregular, pois a direção da empresa fez uma dispensa em massa sem negociar com sindicatos.

Os dirigentes da Força Sindical e Conlutas entraram também no TRT de Campinas com pedido de liminar no qual solicitam a reintegração imediata dos trabalhadores dispensados.

De acordo com o presidente da Força e deputado federal, Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho, a reunião com o presidente do TRT foi muito positiva. "Ele nos ouviu e determinou que será realizada uma audiência de conciliação entre a Embraer e os representantes dos trabalhadores na próxima quinta-feira", comentou. "A empresa não quis estabelecer antes um diálogo com os sindicatos para encontrar saídas razoáveis para ambos os lados. Agora, vai ter de abandonar a postura intransigente para negociar na presença da Justiça", afirmou.

Para o coordenador nacional do Conlutas, José Maria de Almeida, a audiência de conciliação determinada pelo TRT indica que a direção da companhia está equivocada pois "prejudicou 4.270 famílias com demissões não justificadas, já que a companhia apresenta bom nível de produção e rentabilidade." Segundo ele, a Embraer fabricou 204 aviões no ano passado e deve negociar outros 242 neste ano. "É uma mentira dizer que a demanda dos clientes caiu com a crise, pois os pedidos não baixaram. O que vai ocorrer é que a recessão mundial não permitirá a concretização da expectativa de vendas muito elevadas para 2009, realizadas, pelos dirigentes da Embraer", disse.

Na avaliação de Paulinho, há boas chances de o TRT-Campinas deferir a liminar para reintegração dos 4.270 funcionários da Embraer. "Poderemos estabelecer um acordo adequado para todos", comentou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;