Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Putin condena represálias de Israel


Das Agências

15/12/2001 | 15:12


“A Rússia não admite as operações militares de Israel nos territórios ocupados", afirmou neste sábado o presidente russo, Vladimir Putin, numa mensagem dirigida ao presidente palestino, Yasser Arafat, citada pela agência Interfax.

Putin manifestou a esperança de que a administração palestina "corte decididamente o caminho ao terror" e pediu o fim de todas as formas de violência e o retorno à busca de uma solução política ao conflito israelense-palestino.

O presidente russo, alegando sua "profunda preocupação", disse que seu país "buscará contribuir energicamente para a realização desses objetivos".

"Os organizadores de atos terroristas visam não apenas os israelenses, mas também buscam minar a autoridade e a posição da administração palestina e sabotar definitivamente o processo de paz", acrescentou Putin.

Ele confirma a condenação de Moscou às ações de Israel como "o bloqueio e os bombardeios dos territórios palestinos, as incursões das forças armadas (israelenses) nas cidades palestinas e as represálias extrajudiciais".

"Escolher esses meios não solucionará os problemas que se acumularam nas relações palestino-israelenses", escreve Putin, afirmando que, apesar do caráter dramático do atual momento, é possível reorientar a situação para uma solução política" que deve se basear nas resoluções 242 e 338 da ONU.

A Rússia e os EUA procuram ajudar no processo de paz no Oriente Médio.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Putin condena represálias de Israel

Das Agências

15/12/2001 | 15:12


“A Rússia não admite as operações militares de Israel nos territórios ocupados", afirmou neste sábado o presidente russo, Vladimir Putin, numa mensagem dirigida ao presidente palestino, Yasser Arafat, citada pela agência Interfax.

Putin manifestou a esperança de que a administração palestina "corte decididamente o caminho ao terror" e pediu o fim de todas as formas de violência e o retorno à busca de uma solução política ao conflito israelense-palestino.

O presidente russo, alegando sua "profunda preocupação", disse que seu país "buscará contribuir energicamente para a realização desses objetivos".

"Os organizadores de atos terroristas visam não apenas os israelenses, mas também buscam minar a autoridade e a posição da administração palestina e sabotar definitivamente o processo de paz", acrescentou Putin.

Ele confirma a condenação de Moscou às ações de Israel como "o bloqueio e os bombardeios dos territórios palestinos, as incursões das forças armadas (israelenses) nas cidades palestinas e as represálias extrajudiciais".

"Escolher esses meios não solucionará os problemas que se acumularam nas relações palestino-israelenses", escreve Putin, afirmando que, apesar do caráter dramático do atual momento, é possível reorientar a situação para uma solução política" que deve se basear nas resoluções 242 e 338 da ONU.

A Rússia e os EUA procuram ajudar no processo de paz no Oriente Médio.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;