Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Em 8 anos, Anchieta-Imigrantes estará saturado


Rodrigo Cipriano
Do Diário do Grande ABC

23/07/2007 | 07:00


O sistema Anchieta-Imigrantes, principal ligação entre o Grande ABC e a Baixada Santista, tem prazo de validade. Em oito anos, com o aumento do número de veículos, o cenário será semelhante ao que era antes da duplicação da Rodovia dos Imigrantes, em 2002. Na época, uma viagem até Santos durava 1h20. Hoje, 50 minutos.

A análise é de Marcelino Rafart de Seras, diretor-presidente da EcoRodovias, holding à frente da Ecovias, concessionária que administra o sistema.

Desde 2000, o fluxo aumenta, em média, 1% ao ano. Em 2006, o percentual representou 707 mil carros a mais no sistema no comparativo com 2005.

No primeiro semestre deste ano, 17,2 milhões de veículos passaram pelo sistema. Caso a marca se repita nos próximos seis meses, o tráfego em 2007 será o maior desde o início da concessão, em 1998. Se o crescimento se manter na faixa de 1%, 33 milhões de carros usarão o sistema em 2015.

EXPECTATIVA

Ainda assim, o aumento do fluxo ficou abaixo do esperado pela Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), órgão regulador do governo do Estado que monitora as concessões rodoviárias. Entre 2000 e 2007 acreditava-se que a alta no fluxo de carros seria de 23,86%. O aumento, no entanto, foi de 5,4%.

Para o engenheiro de tráfego José Bento Ferreira, professor-doutor da Unesp (Universidade Estadual Paulista), o fenômeno se deve à desaceleração da economia brasileira. “Se estivéssemos crescendo no ritmo que gostaríamos, o sistema estaria saturado hoje e não daqui 8 anos”, afirma.

Para prever a saturação do Sistema Anchieta-Imigrantes, o diretor-presidente da EcoRodovias, Marcelino de Seras, vislumbra o reaquecimento da economia, que impulsionaria o Porto de Santos e a Baixada. “Com crescimento de 3% ao ano, em oito anos teríamos que sentar e estudar um aumento de capacidade”, diz.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em 8 anos, Anchieta-Imigrantes estará saturado

Rodrigo Cipriano
Do Diário do Grande ABC

23/07/2007 | 07:00


O sistema Anchieta-Imigrantes, principal ligação entre o Grande ABC e a Baixada Santista, tem prazo de validade. Em oito anos, com o aumento do número de veículos, o cenário será semelhante ao que era antes da duplicação da Rodovia dos Imigrantes, em 2002. Na época, uma viagem até Santos durava 1h20. Hoje, 50 minutos.

A análise é de Marcelino Rafart de Seras, diretor-presidente da EcoRodovias, holding à frente da Ecovias, concessionária que administra o sistema.

Desde 2000, o fluxo aumenta, em média, 1% ao ano. Em 2006, o percentual representou 707 mil carros a mais no sistema no comparativo com 2005.

No primeiro semestre deste ano, 17,2 milhões de veículos passaram pelo sistema. Caso a marca se repita nos próximos seis meses, o tráfego em 2007 será o maior desde o início da concessão, em 1998. Se o crescimento se manter na faixa de 1%, 33 milhões de carros usarão o sistema em 2015.

EXPECTATIVA

Ainda assim, o aumento do fluxo ficou abaixo do esperado pela Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), órgão regulador do governo do Estado que monitora as concessões rodoviárias. Entre 2000 e 2007 acreditava-se que a alta no fluxo de carros seria de 23,86%. O aumento, no entanto, foi de 5,4%.

Para o engenheiro de tráfego José Bento Ferreira, professor-doutor da Unesp (Universidade Estadual Paulista), o fenômeno se deve à desaceleração da economia brasileira. “Se estivéssemos crescendo no ritmo que gostaríamos, o sistema estaria saturado hoje e não daqui 8 anos”, afirma.

Para prever a saturação do Sistema Anchieta-Imigrantes, o diretor-presidente da EcoRodovias, Marcelino de Seras, vislumbra o reaquecimento da economia, que impulsionaria o Porto de Santos e a Baixada. “Com crescimento de 3% ao ano, em oito anos teríamos que sentar e estudar um aumento de capacidade”, diz.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;