Fechar
Publicidade

Sábado, 22 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Após 5 meses, Aciscs debaterá suspeitas contra Natal Iluminado

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

06/09/2019 | 06:10


Somente cinco meses depois de o Diário revelar que a prestação de contas do Natal Iluminado de 2016 apresentou inconsistências, a Aciscs (Associação Comercial e Industrial de São Caetano) decidiu debater as acusações formalmente, em reunião agendada para o dia 16.

Edital de convocação de integrantes do conselho superior da entidade para eleição de seu novo presidente apresenta que os desdobramentos da investigação estarão oficialmente na pauta de discussão na entidade.

Em abril, o Diário mostrou que comissão montada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de São Caetano havia apontado série de irregularidades no convênio firmado entre Prefeitura e Aciscs em 2016 – à época a administração municipal estava sob responsabilidade de Paulo Pinheiro (DEM) e a entidade comercial era gerida pelo advogado Walter Estevam Junior. O contrato envolveu R$ 1,2 milhão, sendo R$ 1 milhão de recursos públicos.

O primeiro item da pauta de reunião será a eleição do presidente do conselho superior. O cargo estava com o ex-vereador Amaury Laselva, que morreu em junho. Depois, conforme o edital, os integrantes vão discutir quais providências irão adotar em razão dos questionamentos, por parte do TCE (Tribunal de Contas do Estado), na prestação de contas do Natal Iluminado, de sindicância em curso na Prefeitura de São Caetano e da CPI que foi instalada na Câmara, em agosto.

No mês passado, o Diário mostrou que os integrantes do conselho fiscal da Aciscs desrespeitam item do estatuto da entidade que obriga denunciar à diretoria executiva ou à assembleia geral qualquer irregularidade verificada na administração da associação. Os conselheiros poderiam até mesmo perder o cargo por negligenciarem obrigação estatutária.

A equipe do Diário tentou conversar com representantes do conselho fiscal da Aciscs acerca do caso, mas nenhum dos contatados quis se manifestar. Um, inclusive, relatou que há acirramento interno devido à oficialização, em edital, de discussão sobre o Natal Iluminado de 2016.

O presidente da entidade, Moacir Passador Junior, e Estevam não retornaram aos telefonemas. Em outras ocasiões, Estevam negou irregularidades na prestação de contas do Natal Iluminado e creditou a movimentações políticas o avanço das investigações. Mesmo fora da entidade, Estevam segue com influência junto à direção – Passador foi eleito sob sua bênção. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Após 5 meses, Aciscs debaterá suspeitas contra Natal Iluminado

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

06/09/2019 | 06:10


Somente cinco meses depois de o Diário revelar que a prestação de contas do Natal Iluminado de 2016 apresentou inconsistências, a Aciscs (Associação Comercial e Industrial de São Caetano) decidiu debater as acusações formalmente, em reunião agendada para o dia 16.

Edital de convocação de integrantes do conselho superior da entidade para eleição de seu novo presidente apresenta que os desdobramentos da investigação estarão oficialmente na pauta de discussão na entidade.

Em abril, o Diário mostrou que comissão montada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de São Caetano havia apontado série de irregularidades no convênio firmado entre Prefeitura e Aciscs em 2016 – à época a administração municipal estava sob responsabilidade de Paulo Pinheiro (DEM) e a entidade comercial era gerida pelo advogado Walter Estevam Junior. O contrato envolveu R$ 1,2 milhão, sendo R$ 1 milhão de recursos públicos.

O primeiro item da pauta de reunião será a eleição do presidente do conselho superior. O cargo estava com o ex-vereador Amaury Laselva, que morreu em junho. Depois, conforme o edital, os integrantes vão discutir quais providências irão adotar em razão dos questionamentos, por parte do TCE (Tribunal de Contas do Estado), na prestação de contas do Natal Iluminado, de sindicância em curso na Prefeitura de São Caetano e da CPI que foi instalada na Câmara, em agosto.

No mês passado, o Diário mostrou que os integrantes do conselho fiscal da Aciscs desrespeitam item do estatuto da entidade que obriga denunciar à diretoria executiva ou à assembleia geral qualquer irregularidade verificada na administração da associação. Os conselheiros poderiam até mesmo perder o cargo por negligenciarem obrigação estatutária.

A equipe do Diário tentou conversar com representantes do conselho fiscal da Aciscs acerca do caso, mas nenhum dos contatados quis se manifestar. Um, inclusive, relatou que há acirramento interno devido à oficialização, em edital, de discussão sobre o Natal Iluminado de 2016.

O presidente da entidade, Moacir Passador Junior, e Estevam não retornaram aos telefonemas. Em outras ocasiões, Estevam negou irregularidades na prestação de contas do Natal Iluminado e creditou a movimentações políticas o avanço das investigações. Mesmo fora da entidade, Estevam segue com influência junto à direção – Passador foi eleito sob sua bênção. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;