Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Projeto no Tocantins busca controle do efeito estufa


Do Diário do Grande ABC

07/08/1999 | 15:48


O ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, participou neste sábado no Tocantins da inauguraçao do Centro de Pesquisa Canguçu de Seqüestro de Carbono. O projeto, instalado na margem direita do rio Javaés, na regiao da Ilha do Bananal, envolve cinco municípios em uma área de 770 mil e 587 hectares. Trata-se de um projeto audacioso de combate ao efeito estufa, cuja meta é conter 27 toneladas de gás carbônico durante 25 anos.

O projeto de seqüestro de carbono prevê a preservaçao de 200 mil hectares de florestas primárias no Parque Nacional do Araguaia e na Area de Preservaçao Ambiental do Cantao e a produçao anual de 120 mil mudas de árvores e arbustos nativos e fritíferos para distribuiçao nos cinco municípios que participam da iniciativa. No Tocantins, os cerca de 2 milhoes de hectares que compoem a Ilha do Bananal, a maior ilha fluvial do mundo, têm sofrido com as queimadas.

Para o diretor executivo da empresa Ecológica, Divaldo Rezende, responsável pelas açoes, a idéia é estabelecer um sistema de monitoramento ambiental permanente, com a elaboraçao de um estudo regional, fornecendo recomendaçoes que possam ser usadas para gerar iniciativas de desenvolvimento apropriados nos municípios .

Na primeira etapa do projeto, que tem à frente a empresa Ecológica (de Palmas-TO), estao sendo investidos US$ 1,5 milhao, dinheiro financiado pela britânica AES Barry. A iniciativa tem como parceiros o Ibama, Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e a ONG Gaia. O programa será avaliado no mês de outubro, em Bonn (Alemanha), por delegaçoes de todos os países que participaram da Conferência de Kioto, em 1997.

Esse projeto coloca o Brasil dentre os três países no planeta ao lado de Peru e México, a desenvolver uma açao sistemática de monitoramento e preservaçao ambiental para a retirada de excesso de CO2 da atmosfera.

Em Palmas, antes de embarcar para o Centro de Pesquisa, Sarney Filho assistiu à incineraçao de seis toneladas de material de caça e pesca predatórias e assinou um convênio com o governo do estado no valor de R$ 700 mil, para investimento em projeto de extrativismo e criaçao de animais silvestres em cativeiro.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;