Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sem projeto majoritário, PSL fecha apoio para Paulo Serra

Partido flertou com candidatura própria, mas citou ‘decisão acertada’ em estar com o tucano


Daniel Tossato
do Diário do Grande ABC

27/09/2020 | 19:54


O diretório do PSL de Santo André ameaçou lançar candidatura própria às vésperas das convenções que homologam os projetos políticos. Mas decidiu mesmo traçar o caminho no qual estava desde o começo do ano: dar suporte à tentativa de reeleição do prefeito Paulo Serra (PSDB).

Com a decisão, Santo André será a única cidade do Grande ABC que não verá um filiado do PSL concorrendo à Prefeitura. “Foi a melhor decisão”, sustentou o presidente do partido na cidade, Régis Gomes, sobre apoiar Paulo Serra.

“Durante reunião na semana passada, a executiva decidiu que era melhor apoiar o atual prefeito Paulo Serra. Dessa forma, vamos apenas lançar nossos candidatos a vereador, com chapa completa”, emendou Gomes. A chapa de vereadores do partido conta com 32 candidatos e a sigla tem expectativa de eleger dois parlamentares – um deles, Toninho de Jesus.

No começo do mês, em estratégia que não se vinculava com a imagem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Gomes havia relatado que o partido tinha três opções de projeto político. O primeiro, e mais ousado, era o de lançar chapa pura ao Executivo, com Toninho como candidato a prefeito e Gomes como vice. Outra possibilidade seria a de tentar encaixar Toninho como candidato a vice na chapa com Paulo Serra. Como esses dois planos fracassaram, a sigla adotou a última opção, e mais palpável, a de não lançar candidato ao Executivo.

Em entrevista no mês passado ao Diário, o deputado federal e presidente estadual da legenda, Júnior Bozzella (PSL), já havia dado sinalização de que em Santo André o terreno não estava fértil para um voo do PSL ao dizer que o partido teria apenas seis candidaturas ao Executivo na região. As outras candidaturas são Rafael Demarchi (São Bernardo), Nilson Bonome (São Caetano), Jhonny Rich (Diadema), Professor Betinho (Mauá), Carlos Sacomani, o Banana (Ribeirão Pires), e José Teixeira (Rio Grande da Serra).

O PSL de Santo André se aproximou de Paulo Serra já em 2018. No mês passado, por exemplo, durante inauguração do escritório político do PSL na cidade, o prefeito compareceu, tirou fotos e conversou com filiados. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sem projeto majoritário, PSL fecha apoio para Paulo Serra

Partido flertou com candidatura própria, mas citou ‘decisão acertada’ em estar com o tucano

Daniel Tossato
do Diário do Grande ABC

27/09/2020 | 19:54


O diretório do PSL de Santo André ameaçou lançar candidatura própria às vésperas das convenções que homologam os projetos políticos. Mas decidiu mesmo traçar o caminho no qual estava desde o começo do ano: dar suporte à tentativa de reeleição do prefeito Paulo Serra (PSDB).

Com a decisão, Santo André será a única cidade do Grande ABC que não verá um filiado do PSL concorrendo à Prefeitura. “Foi a melhor decisão”, sustentou o presidente do partido na cidade, Régis Gomes, sobre apoiar Paulo Serra.

“Durante reunião na semana passada, a executiva decidiu que era melhor apoiar o atual prefeito Paulo Serra. Dessa forma, vamos apenas lançar nossos candidatos a vereador, com chapa completa”, emendou Gomes. A chapa de vereadores do partido conta com 32 candidatos e a sigla tem expectativa de eleger dois parlamentares – um deles, Toninho de Jesus.

No começo do mês, em estratégia que não se vinculava com a imagem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Gomes havia relatado que o partido tinha três opções de projeto político. O primeiro, e mais ousado, era o de lançar chapa pura ao Executivo, com Toninho como candidato a prefeito e Gomes como vice. Outra possibilidade seria a de tentar encaixar Toninho como candidato a vice na chapa com Paulo Serra. Como esses dois planos fracassaram, a sigla adotou a última opção, e mais palpável, a de não lançar candidato ao Executivo.

Em entrevista no mês passado ao Diário, o deputado federal e presidente estadual da legenda, Júnior Bozzella (PSL), já havia dado sinalização de que em Santo André o terreno não estava fértil para um voo do PSL ao dizer que o partido teria apenas seis candidaturas ao Executivo na região. As outras candidaturas são Rafael Demarchi (São Bernardo), Nilson Bonome (São Caetano), Jhonny Rich (Diadema), Professor Betinho (Mauá), Carlos Sacomani, o Banana (Ribeirão Pires), e José Teixeira (Rio Grande da Serra).

O PSL de Santo André se aproximou de Paulo Serra já em 2018. No mês passado, por exemplo, durante inauguração do escritório político do PSL na cidade, o prefeito compareceu, tirou fotos e conversou com filiados. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;